Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

BB 2020: Soraia vencedora e Diogo derrotado

Sem Título1.jpg

 

Foi ontem a final do Big Brother 2020.

Pela primeira vez, estavam lá os meus favoritos, e a vitória seria bem entregue a qualquer um deles.

De entre os dois grupos que se foram formando na casa ao longo do programa, os "sensatos" estavam em maioria, sendo que os "kamikazes" em jogo eram os mais pacíficos, após a saída de todos os que mais contribuíram para o mau ambiente na casa.

 

Apesar de estes programas serem sempre uma surpresa, penso que a dúvida estava em quem ficaria nos 4º, 5º e 6º lugares. Já se anticipava que o pódio seria partilhado entre Diogo, Soraia e Noélia.

Confesso que sempre pensei que fosse o Diogo a vencer mas, dadas as sondagens, algo me dizia que a Soraia poderia dar a volta, e surpreender.

 

Ao longo do programa, foram afirmando que a produção levou a Sandrina ao colo, para ganhar. Ficou em 6º, para minha surpresa, mas bem entregue. Também afirmavam que nos últimos dias estavam só a dar canal à Iury. Ficou em 4º, também bem atribuído, muito por conta de algumas atitudes influenciadas pelos amigos e namorado, e pela forma como, muitas vezes, se fez de sonsa.

Quanto ao Diogo, depois de tanto dizerem que a produção estava contra ele, mudaram de opinião e já estava tudo feito para ele ganhar. Ficou em 2º, trocando as voltas.

 

 

Sem Título2.jpg

 

E, no fim, venceu a Soraia, que passou a maior parte do tempo apagada no jogo, e ninguém acharia que chegava à final. Como ela própria diz, valeu-lhe ter passado um pouco pelos pingos da chuva, mas também pela sua bondade, sensatez, tranquilidade. E os votos do público, claro (acreditando que não houve manipulações).

 

De todos os concorrentes que por lá passaram, o Diogo acabou por ser o "grande derrotado". Uma pessoa que se preparou durante 10 anos, que levava a lição bem estudada, que conseguiu ser o preferido dos portugueses e ser sempre salvo, que chegou à final, com o seu grupo dos sensatos, e que já estava convencido que a vitória estava garantida, viu-a escapar por entre os dedos, sem saber bem como.

Não que ele não fique feliz pela Soraia. Mas deve ter sido um "balde de água fria".

E quem, apesar de tudo, adorou essa "tampa" foram, certamente, os kamikazes!

 

Acredito que, se fizerem algo parecido com o que aconteceu nos "Secret Story", uma espécie de desafio final, o Diogo é capaz de tentar a desforra, e ver se é dessa que vence!

 

Pedro Soá: intimidar é muito diferente de fazer-se respeitar

Pedro Soá expulso do 'Big Brother' após comportamento agressivo ...

 

Pedro Soá foi um dos concorrentes que mais deu (e ainda dá) que falar, deste Big Brother 2020, pela postura que manteve dentro da casa, e atitudes que levaram à sua expulsão do reality show.

Cá fora, arrepende-se desse comportamento. Diz que, se voltasse a entrar, agiria de outra forma.

Ao lado da namorada, parecem formal um casal como outro qualquer. Ela diz que ele nunca foi agressivo consigo. Talvez... Sinceramente, tenho dúvidas. Mas isso é lá com eles.

 

Disse Pedro Soá Eu sou uma pessoa muito controlada, porque eu uso a argumentação, é o meu ponto forte.

Talvez seja por isso que ele afirma, ao ver as imagens, que parecia estar a observar outra pessoa que não ele.

Porque, a julgar por todas as atitudes, comportamentos e palavras, controlo foi algo que não existiu da parte dele, a não ser o "controlo" que detinha sobre alguns dos seus colegas. E argumentação? Bom, quando ela é inexistente, parte-se para a agressividade, para a violência, para os gritos...

 

Existem muitos Pedros Soás por este mundo fora.

Pessoas que são divertidas, simpáticas, amigas, companheiras, educadas, normais. Mas que, de um momento para o outro, sob stress ou pressão, ou quando as coisas não correm como querem, ou quem queriam não age como esperariam, na impossibilidade de manterem uma conversa ou mostrar o seu ponto de vista, exaltam-se, enervam-se, transformam-se em pessoas das quais, quem está ao lado, tem medo, Surge um lado mais agressivo, ainda que na maioria das vezes só verbalmente, mas que pode facilmente chegar à agressividade física.

 

"Nunca seria capaz de agredir a Teresa", garantiu Pedro.

Talvez...

Esse é o argumento ouvido na maioria das vezes "ah e tal, eu estava assim mas nunca chegaria a esse ponto", "ah e tal, eu estava enervado mas nunca agrediria ninguém".

Até podia nem ser essa a intenção. Mas, no calor do momento, e cegas, essas pessoas nunca poderão garantir que uma agressão física nunca iria acontecer. Porque nem eles sabem. 

E para quem está do outro lado, fica sempre a dúvida: "Desta vez, não aconteceu. Mas, e para a próxima?"

 

Não são raras as vezes em que essas pessoas acham que não fizeram nada de mais. E que até resultou. Que se fizeram respeitar dessa forma.

Para mim, isso não é respeito. É medo.

Intimidar é muito diferente de fazer-se respeitar.

Porque o respeito não se ganha com gritos, com agressividade, com violência. Pelo contrário.

Ganha-se pelo exemplo. Pelas atitudes correctas, que devem prevalecer. Pela firmeza. Pela calma. 

 

Como vários colegas afirmaram, Pedro Soá intimidava. 

Mas aposto que nenhum deles irá algum dia respeitá-lo.