Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Segunda ronda de batalhas no The Voice Portugal

Foto de The Voice Portugal.

 

Mais uma ronda de batalhas, cheia de surpresas, uma grande "dança das cadeiras" e alguns comentários desnecessários da Catarina.

 

 

Começo já pela pior batalha da noite - a primeira a ser disputada, entre as concorrentes do Anselmo Ralph, Célia e Telma!

 

Foto de The Voice Portugal.

 

Eu já não tinha gostado de ouvir a Célia a cantar na prova cega. Ontem, ainda gostei menos. E não só não gostei de a ouvir, como não gostei da atitude dela, para com a Telma.

Não conheço a Célia, como se costuma dizer, de "outros carnavais", pelo que não sei se algum dia foi uma boa cantora e com talento. O que eu vejo é alguém desesperado por mostrar tudo o que acha que pode dar, mas o que sai cá para fora são gritos, desafinações constantes, mais gritos, e pouco mais.

Face a essa postura, a Telma tentou fazer-se ouvir, por entre os gritos, e correu bem em algumas partes. Depois, teve que gritar para ver se não ficava atrás da Célia.

Foi, dentro desta guerra de gritos, justa a escolha da Telma.

 

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Ana Paula e Juliana, cada uma dentro do seu estilo, mostraram aquilo que sabem fazer. A Juliana, nesta batalha, convenceu-me mais que na prova cega. A música encaixava melhor na sua voz.

A voz da Ana Paula, no tom mais baixo, soava bem, mas quando subia, era um atentado aos ouvidos. Gostei muito da parte em que ela não cantou em estilo lírico, e aí fiquei positivamente surpreendida.

Eu teria escolhido, nesta batalha, a Juliana.

Felizmente, por enquanto, estão as duas salvas. Vamos ver o que reserva a próxima ronda à Juliana, tendo em conta que todas as cadeiras foram ocupadas, nesta ronda, por novos concorrentes, mandando para casa os que tinham sido salvos na primeira ronda de batalhas.

 

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Frederico e Tomás - não gostei desta nova versão da música. Gosto que dêem um cunho pessoal, mas nem sempre, em exagero, fica bem. De qualquer forma, concordo com a Marisa, relativamente à dificuldade em escolher apenas um deles, tendo em conta a prestação de ambos.

Também neste caso, salvaram-se os dois. Resta saber se a Aurea manterá o Frederico na cadeira.

Já agora, deixem-se dessa história de "ah e tal, já estou arrependido(a) de vos ter juntado", porque sabem muito bem o que valem os concorrentes e, se os juntam, é porque sabem que vão dar luta e proporcionar uma boa batalha. Seria muito mais fácil juntar os melhores com os menos bons, mas não seria justo.

 

 

 

Foto de The Voice Portugal.

João e Salomé - não vi nada de especial em nenhum dos dois, foi uma batalha fraquinha, a música não ficou boa nas vozes deles. Ainda assim, concordo com a escolha da Salomé.

 

 

 

Foto de The Voice Portugal.

A Marta e a Raquel mostraram, mais uma vez, o seu lado rockeiro!

Gostei mais do timbre da Raquel. Preferi a atitude da Marta. 

Confesso que tenho curiosidade em ver a Marta, daqui em diante, em estilos diferentes e, talvez também por isso, a tenham escolhido a ela. Para ver o que tem para dar, além do que mostrou em trio, na edição anterior, e deste estilo a que parece ter aderido agora. Talvez por isso a Raquel tenha saído prejudicada, e não tanto pela sua prestação na batalha.

 

 

 

Foto de The Voice Portugal. 

Afonso e Fábio - uma batalha muito fraquinha, que não deu para mostrar muito de cada um. Estava mesmo à vista que a Marisa ia escolher o Afonso! Porquê? Teorias minhas, de que ela não resiste a um menino bonito, mesmo que até nem cante nada de especial...

 

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Maria Luísa e Carolina - de uma forma geral, gostei mais de ouvir a Carolina, para além de que se mostrou mais confiante e segura.

A Maria Luísa tem uma voz muito bonita e, se conseguir vencer os nervos e a insegurança, pode ir bem longe. Penso que foi por se mostrar sempre tão receosa que não a salvaram. Talvez o percurso da Maria Luísa não passe por concursos deste género, mas por aprender nas melhores escolas, com profissionais, e controlar aquilo que a limita, que é apenas psicológico.

 

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Simão e Joaquim - talvez a melhor batalha da noite, muito equiparados os dois, mas eu escolheria o Joaquim.

Felizmente, a Aurea teve a vida facilitada, porque o Mickael ficou com o Simão, enviando para casa o Paulo que, ao contrários dos restantes concorrentes na mesma posição que ele, nem sequer esperou pela chegada do Simão. Não merecia, é certo, mas este programa está recheado de injustiças. Não percebi se a atitude do Paulo se deveu a tristeza, ao querer sair dali depressa para não sofrer mais, ou alguma "azia"...

 

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Kátia e Cristiana - Outra das melhores batalhas na noite. A Kátia esteve melhor, mas a Cristiana surpreendeu-me mais ontem do que na prova cega. Ainda bem que a Marisa a salvou, porque esteve melhor que o João, concorrente a quem "roubou" a cadeira.

 

Assim, estão agora em risco, nas cadeiras do Tudo ou Nada - o Simão (no lugar do Paulo), a Juliana (no lugar da Mariana), o Frederico (no lugar da Maria), e a Cristiana (no lugar do João, que já tinha destronado a Diana Macário).

 

 

Imagens The Voice Portugal

As primeiras batalhas do The Voice Portugal

O que é que se passou nestas batalhas, em que aqueles que nem deveriam estar nesta fase superaram algumas das melhores vozes que foram escolhidas?

 

Foto de The Voice Portugal.

Catalina x Mariana - tal como a mentora Aurea, ficava a Catalina. Ao contrário do Anselmo, não virava a cadeira para a Mariana.

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Laura x Mauro - tal como já se suspeitava, depois da foto da semana passada, a escolhida de Anselmo foi a Laura. Eu escolheria o Mauro. Felizmente, ambos ficaram. Naquele momento...

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Tiago x Inês - a Inês era daquelas concorrentes que eu não teria passado nas provas cegas, enquanto o Tiago era um dos favoritos. Nesta batalha, o Tiago foi medíocre, e a Inês teve todo o mérito. Mas, claro, a Marisa iria sempre escolher o Tiago. A Inês acabou por ser salva, mas por pouco tempo.

 

 

 

Rosa x Jessica - uma das batalhas mais fraquinhas da noite. Curiosamente, achei a Rosa mais segura que a Jessica. Para mim, por esta batalha, nenhuma delas seguiria em frente. Não tendo nada a ver com os dotes vocais achei, em termos de forma de estar, esta Rosa muito diferente da que vi na prova cega, para pior, mais convencida e trombuda. Com a Jessica, nunca fui com a cara dela. 

 

 

Paulo x Bruna - confesso que, só pela atitude da Bruna durante os ensaios, merecia ter sido eliminada. O Paulo tem o timbre, tem o feeling (que nesta música não conseguiu passar) e sabe cantar. A Bruna, que nos ensaios estava fraquinha, conseguiu uma excelente prestação na batalha, surpreendendo-me. O Paulo, não conseguiu passar a mensagem, e foi justa a decisão de ficar com a Bruna. Vamos ver se o Paulo se aguenta na cadeira, e não vai para casa.

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Maria x Kaio - outra das batalhas mais fraquinhas na noite, com mérito para o Kaio, que era daqueles que eu não escolheria para esta fase, mas que acabou por ter melhor prestação que a Maria, que era outra das candidatas favoritas. Nesta batalha, a Maria não esteve nada bem. A escolha foi justa, embora saibamos (ou assim pensamos) que a Maria, em outras circunstâncias, dará 10 a 0 ao Kaio. 

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Inês x Laura - a melhor batalha da noite! Esteve tudo lá, em termos de postura, vocais, garra, presença em palco, cumplicidade. Pessoalmente, penso que a Inês sobressaiu um pouco mais, e achei justa a escolha da mentora.

O que não compreendi, foi o facto de ninguém ter virado a cadeira para salvar a Laura, que merecia mais ocupar a cadeira onde está a Mariana. Terá sido pelo facto de não precisar deste programa para nada, e quererem dar lugar a quem está agora a começar?

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Inês e Jorge x Fábio - a terceira batalha mais fraca da noite. Dispenso o beatbox. A Inês esteve bem em termos de postura, e soa bem nos graves. No refrão, e voz mais aguda, é para esquecer. O Fábio acabou por pouco sobressair no meio daquela confusão. Apesar de o duo não virar costas e ignorar o seu adversário, como chegámos a ver em outras batalhas, também não houve grande interação entre eles.

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Diana L. x Diana M. - as Dianas portaram-se bem e foi, talvez, a segunda melhor batalha da noite. É óbvio que a Aurea iria escolher a Diana Lucas, e irá fazê-lo sempre, enquanto puder. A Diana M. foi salva. Vamos ver se consegue manter o seu posto.

 

 

Não sei se gosto muito destas cadeiras do "Tudo ou Nada". Mas sempre é mais uma oportunidade (por vezes mascarada - ficas aí até salvar outro(a) melhor que tu) para os concorrentes. É a benesse, antes do golpe final!

 

Imagens The Voice Portugal

Sexta-feira de cinema ao ar livre

Resultado de imagem para asterix e obelix o domínio dos deuses

 

Na passada sexta-feira fomos à sessão de cinema ao ar livre que a Junta de Freguesia nos proporcionou gratuitamente, no Jardim do Cerco.

O ano passado tínhamos ido um bocadinho mais cedo, e conseguimos encontrar lugares disponíveis. Desta vez, estavam as cadeiras todas ocupadas. Experimentámos sentar num espaço de relva, mas com as pessoas todas à frente, não conseguíamos ver.

Demos a volta para o lado oposto, e conseguimos um lugar na relva ainda não ocupado, e de onde se via o ecrã na perfeição.

As cadeiras da primeira fila estavam vazias, mas reservadas. Pensei que fosse para o pessoal da Câmara ou Junta de Freguesia, mas não me parece que tenham sido ocupadas por alguém daí, porque quem lá vimos depois foram crianças e adultos como nós. Nada de idosos, de portadores de deficiência, ou entidades.

Assim sendo, começámos a ver a primeira parte do filme, meio sentados, meio deitados na relva! O meu marido, às tantas, levantou-se porque já não tinha posição para estar.

Fizeram intervalo - 10 minutos. Também nos levantámos um pouco mas em pé estava mais frio, por isso voltei a sentar-me.

Uns amigos com quem nos encontrámos por lá, e que estavam atrás de nós, durante esse tempo, acabaram por descobrir umas cadeiras, e trouxeram para eles e para nós. Ou seja, do outro lado do jardim, encostadas ao muro, estavam várias cadeiras arrumadas, penso que para um evento que iria ocorrer no dia seguinte. 

Souberam-nos dizer que não podíamos levar as cadeiras reservadas, mas não souberam dizer para ir buscar aquelas.

No final do filme, a maioria que as tinha ido buscar, voltou a colocá-las no lugar, o que é de louvar.

E assim vimos a segunda parte já instalados nas nossa cadeiras!

Foi o primeiro filme do Asterix e Obelix que vi em toda a minha vida. Não dava nada por ele, ia mesmo só pela experiência, mas até gostei de ver!

 

  • Blogs Portugal

  • BP