Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Viver continuamente sob stress...

Resultado de imagem para viver sob stress

 

... não é para mim.

Há quem goste dessa adrenalina, dessa correria, desse stress constante de viver sempre ali no limite, de ter mil e uma coisas para fazer e consegui-las, nem que seja no último minuto!

Para algumas pessoas, só assim a vida faz sentido, só assim se sentem vivas, activas, úteis.

 

 

Para mim, não dá.

A mim, faz-me sentir pressionada, ansiosa, preocupada, nervosa, stressada e, até, irritada.

Nunca fui disso, mas cada vez mais preciso de paz, sossego, calma, tranquilidade, de fazer as coisas ao meu tempo, e não em contrarrelógio.

De fazer as coisas por gosto, com a devida atenção dada a cada uma delas em particular, e não de as fazer de empreitada, como se costuma dizer "a aviar porcos".

 

 

Quando começo a ver muitas coisas a juntarem-se ao mesmo tempo, e percebo que não sei se terei tempo para todas elas, nem como vou dar conta delas em tempo útil e com a celeridade que, por vezes, é necessária, começo a entrar em parafuso.

Parece uma onda gigante que vem lá ao fundo e se está a aproximar, e da qual só nos apetece fugir.

No entanto, até ver, tenho-me mantido dentro de água e, quando a onda chega e passa por mim, afinal não era assim tão grande como parecia.

Até um dia...

 

 

E por aí, são daquelas pessoas a quem o stress dá energia e pica para viver, ou das que preferem a tranquilidade?

 

 

Já posso ter um ataque de nervos?!

Imagem relacionada

 

Estamos a pouco mais de duas semanas do final do primeiro período.

A minha filha tem ainda, por fazer, cerca de 5 ou 6 testes.

Todos os dias traz TPC's para fazer.

Tem um trabalho de Educação Visual para terminar em casa, porque as aulas não são suficientes.

 

 

Como se tudo isto não chegasse, tem ainda para fazer, em pares/ grupo:

  • um trabalho de português
  • um trabalho de espanhol 
  • um trabalho de inglês 
  • um trabalho de geografia
  • um trabalho de físico-química 
  • um trabalho de matemática 

 

 

Inês, já escolheram o artista espanhol para a entrevista? 

Não.

Inês, já pensaste qual a Lei de Newton que vais escolher? Já viste os links que te enviei?

Ainda não.

Inês, já combinaram entre vocês quando é que se juntam para fazer o trabalho de geografia?

Não.

 

 

É tudo para fazer até ao final do período, enquanto estuda e tenta não deixar nada por fazer, mas sem tempo nem cabeça para tudo ao mesmo tempo. E, pelos vistos, também sem muito interesse e responsabilidade.

 

 

Agora digam-me: ainda é cedo, ou já posso ter um ataque de nervos, já que a minha filha é a calma e relax em pessoa?!

 

Passeio até Alcarias

33515029_1657999557648676_6927570987596644352_n.jp

A convite da Nélia e da Daniela, fomos ontem conhecer a aldeia de Alcarias!

Depois de uma viagem de quase 3 horas, fomos recebidos pela simpatia e hospitalidade alentejana.

À nossa espera, aguardava-nos um almoço do qual tenho que destacar a Sopa de Coentros, que nunca tinha provado, e adorei! E, parecendo adivinhar que uma das coisas que mais gosto é arroz doce, também ele marcou presença 

 

 

IMG_5776.JPG

O que notamos logo à chegada, é o silêncio, a paz que a aldeia nos transmite, com campos à nossa volta, que dá vontade de entrar neles e descobrir o que escondem, caminhar pelo meio das árvores e ervas.

Não estava muito sol, e a meio da tarde o céu vestiu-se de nuvens bem negras, que combinavam na perfeição com todo aquele cenário.

 

 

IMG_5773.JPG

A seguir ao almoço, a Nélia e a Daniela mostraram-nos a aldeia, e contaram-nos um pouco da história, de quem por ali morou, e como se vivia em outros tempos na aldeia.

 

 

 

IMG_5774.JPG

IMG_5775.JPG

 

IMG_5777.JPG

IMG_5781.JPG

33647285_1658041740977791_2497126954063364096_n.jp

IMG_5782.JPG

IMG_5783.JPG

IMG_5785.JPG

Também visitámos Conceição, que fica relativamente próxima.

A aldeia de Alcarias é conhecida pelos seus gatos, mas quem nos acompanhou em todo o percurso foi o Max, um dos únicos cães residentes!

 

 

IMG_5780.JPG

IMG_5784.JPG

Infelizmente, o tempo passou depressa e estava na hora de regressar a Mafra.

No caminho de regresso, despedimo-nos com estas imagens.

 

 

IMG_5805.JPG

IMG_5806.JPG

IMG_5810.JPG

 

Para saberem mais sobre os bichanos da aldeia, vejam este post.

 

Muito obrigada, Nélia e Daniela!

 

 

 

 

 

Como é que ela consegue?!

Resultado de imagem para mãe e filha a passear

 

Segunda-feira de manhã:

Levantar cedo, despachar parte das coisas e levar a filha à escola, já em cima da hora. Voltar a casa, tratar do resto das coisas e seguir para o trabalho, a acelerar.

Quando estou a chegar ao destino, já cansadíssima da correria e caminhada ainda antes das 9h, deparo-me com uma mãe, a passear calmamente com a sua filha, sem pressas, como se tivesse todo o tempo do mundo! 

E se calhar tem!

Também gostava de poder disfrutar dessa calma matinal, nem que fosse só de vez em quando...

A arte de irritar alguém!

 

Há pessoas que são peritas nesta arte! 

E gostam tanto de o fazer.

 

Há as que percebem, e o fazem de propósito só para nos tirar do sério.

Há as que o fazem sem saber, mas têm o mesmo efeito.

Há as que nos irritam assim que soltam a primeira palavra, e as que nem precisam de abrir a boca!

 

Há as que gostam de ser do contra só porque sim!

Há as que se limitam a rebater as afirmações dos outros, porque não têm as suas próprias para proferir.

 

Há as que escolhem a vítima do momento, e as que disparam contra tudo e todos!

 

Se o mundo seria diferente sem estas pessoas? Ser até seria...

Mas depois como é que treinávamos a nossa paciência, a nossa calma, a nossa capacidade de ouvir e ignorar?

Não seria a mesma coisa, pois não?!

  • Blogs Portugal

  • BP