Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Sinto-me como a Fiona e o Shrek quando se vestiram de reis!

S3006_S3_sq102.jpg

 

Uma das melhores formas de combater o frio é vestir várias camadas de roupa.

E eu levo essa medida muito a sério!

Assim, nos últimos dias, tenho-me equipado com 3 camisolas, e 3 casacos, para sair à rua e ir trabalhar. 

E foi o que fiz hoje.

 

O problema, foi quando quis prender o cabelo, e os meus braços não conseguiam mexer-se o suficiente para conseguir agarrar o cabelo lá atrás!

Senti-me como a Fiona, naquele dia em que lhe vestiram tanta roupa, para parecer uma rainha, que parecia um espantalho, sem se conseguir mexer nem aproximar do Shrek.

Parecia que nem tinha força nos braços, enfiada num "colete de forças".

 

Depois, junta-se um cachecol bem quente, e volumoso, que às tantas me faz doer o pescoço.

E uma máscara que, ainda no outro dia, com todo este equipamento, estava tão perto dos olhos que fiquei na dúvida se o arame da máscara não seria, na verdade, a armação dos óculos, que não tinha na cara!

 

Frio, a quanto obrigas...

Quando nos limitamos a olhar para o superficial

Relacionamento superficial - Wellness Hunter

 

Quando nos habituamos a olhar só para o superficial, ficamos cegos ao que se esconde por baixo.

Existem pessoas cuja mente está tão programada para ver apenas a camada visível de cada pessoa, que não consegue decifrar qualquer outra que se encontre abaixo dessa.

Quando as pessoas se focam muito na aparência, numa determinada imagem que têm dos outros, e a que estão habituadas, podem ter esses outros a meio metro de distância que, se não corresponderem a essa imagem, não os reconhecerão.

Basta retirar essa camada, que passarão a ser invisíveis, e indiferentes aos olhos das pessoas que deveriam, à partida, conseguir identificar. 

Quando vemos, nos outros, um reflexo de nós próprios

Reflexo no espelho.jpg

 

Mais depressa olhamos para os outros, do que para nós. E é tão mais fácil observar quem nos rodeia, do que direccionar a visão na nossa direcção, pela dificuldade de conseguirmos ver tudo, e de forma isenta.

 

Mas, se pensarmos bem, muitas vezes, aquilo que vemos e apontamos nos outros é, também, um reflexo de nós próprios.

 

Somos as pessoas que, em determinado momento, agem com o coração. E em outro, com a mente, com ponderação.

Somos as pessoas que preferem ver o lado bom das coisas, mas também somos aquelas que, algumas vezes, não conseguem esquecer o mau, e se revoltam.

Somos aquelas pessoas que, muitas vezes, guardam para si as suas opiniões, que preferem calar-se, ignorar provocações, mas também aquelas que, noutras ocasiões, dizem o que têm a dizer, e explodem.

Somos pessoas organizadas e metódicas mas, também, quando calha, menos perfeccionistas.

Somos pessoas de trabalho mas, como outras, também nos sabe bem o descanso, o não fazer nada.

Somos pessoas de causas que, muitas vezes, não precisam de causas para agir.

Somos pessoas calmas, mas até as mais calmas, em determinados momentos, podem exaltar-se.

Somos inseguros, vulneráveis, mas outras vezes confiantes e fortes.

Podemos parecer frios em algumas circunstâncias mas, noutras, oferecer aquele calor humano que conforta.

 

Somos um conjunto de "camadas", de diferentes pessoas numa só, com características mais vincadas e activas que outras e que, à partida, nos definem. 

Mas somos, não raras vezes, um reflexo daquilo que criticamos nos outros, mas que também poderá existir dentro de nós, ainda que adormecido, ou pouco visível.