Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

O que é que cheira a lúcia-lima, mas sabe a malagueta?

Resultado de imagem para gengibre"

 

Nunca tinha utilizado gengibre na vida.

Sabia de alguns benefícios, mas nunca tinha aprofundado.

Este fim de semana, o meu marido comprou, para fazer chá.

 

Achei que não tivesse cheiro, ou este fosse algo parecido com batatas. Quando ele me deu a cheirar, adorei o odor. E fez-me lembrar algo que, só mais tarde, percebi ser lúcia-lima. É idêntico.

 

Como gosto de provar coisas diferentes, disse-lhe que também queria aquele chá. Se soubesse tão bem como cheirava, deveria ser óptimo.

 

Já na cama, com a caneca na mão, provo o dito chá.

Realmente, o sabor é bom.

O problema, é que ninguém me avisou que seria picante!

Parecia que estava a beber chá de malagueta, e não de gengibre.

Não consegui bebê-lo todo. O resto foi fora. 

E o efeito do picante na boca ainda demorou a passar.

 

 

 

Um chá que solidifica?!

1283_Ch_ControlApetite_SITE.png

 

Estou habituada a beber chás desta gama.

Gosto muito do sabor do "Dormir Bem", com flor de laranjeira, e do "Adelgass Plus", com chá verde e algas. Em tempos, experimentei outro, mas não fiquei fã.

Não compro estes chás pelo que são, mas pelo sabor. Por isso, quando este fim de semana andei à procura de um novo para experimentar, fiquei curiosa com este "Control Apetite", de pêssego e laranja.

 

No domingo à noite, estreei-o.

Aqueci água, como habitualmente, e deitei o conteúdo da saqueta na chávena. O cheiro não me inspirou muito mas...

Como tive que fazer umas coisas antes, acabei por aquecê-lo um pouco mais no microondas, e levei-o para o quarto.

 

Quando provei, aquilo não era água! Estava pastoso.

Fui à cozinha mexê-lo com uma colher. Quando retiro a colher, vinha uma espécie de polme agarrado a ela.

Deitei fora essa parte. Bebi o resto. Lentamente. Com pouca vontade.

Agora percebo porque diz que controla o apetite. É que, se não vomitarmos com ele, também não nos apetece pôr mais nada dentro do estômago.

Ainda deixei um resto na caneca. Não conseguia beber mais.

 

No dia seguinte, levo a caneca para a cozinha, para despejar o chá.

Saiu da caneca, não líquido, mas numa espécie de gelatina. E não era do frio!

Só então me deu para ir ler o que vinha lá na caixa, e foi quando me saltou à vista "beber de imediato, antes de solidificar"!

 

Ora, nunca na minha vida imaginei que um chá pudesse solidificar. Ainda sou do tempo dos chás líquidos, independentemente do tempo em que ficassem no bule ou na caneca.

E por aí, conheciam?