Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

E se, de vez em quando, "calçássemos o sapato do outro"?

Será que ainda nos sentiríamos assim tão confortáveis?

Sapato - Desenho de marsala1998 - Gartic

 

Se há coisa que me irrita são pessoas que querem impôr "a sua verdade" como uma verdade absoluta.

Que pensam que, aquilo que funciona com elas, funciona com todos.

Que afirmam que, se elas conseguem, os outros também têm que conseguir.

Que acham que, o que é simples e banal para elas, o é para todos.

 

É muito fácil caminhar quando temos um sapato feito à nossa medida, que nos serve, assenta bem e com o qual nos sentimos confortáveis.

Mas, e se, de vez em quando, "calçássemos o sapato do outro"?

Será que ainda nos sentiríamos assim tão confortáveis?

Ou descalçaríamos, na primeira oportunidade, para voltar ao nosso?

 

Pois...

É que isto é muito fácil falar, quando tudo corre a nosso favor.

Mas aquela que julgamos ser a verdade é, por vezes (muitas vezes), apenas a "nossa verdade", a nossa realidade, que pode ser muito diferente daquela que as outras pessoas vivem e, por isso, seria melhor pensar um pouco antes de falar.

Porque a nossa situação, é nossa. Pode não ser a dos outros.

 

Isto aplica-se em quase todas as coisas da nossa vida mas, este desabafo, vem na sequência dos vários comentários que tenho lido pela internet, de pessoas que se julgam donas da verdade e atiram, com quatro pedras na mão, a propósito do encerramento do comércio às 13 nos fins de semana "ah e tal, podem muito bem ir às compras durante a semana" ou "em x país os hipermercados estão encerrados, porque é que aqui faz tanta confusão?", entre outros.

Quase apostaria que, quem diz estas coisas, ou tem disponibilidade de sobra, ou tem um horário flexível, que lhes permita fazê-lo, ou vivem uma realidade diferente, em termos de organização dos serviços, que não é a nossa.

 

Se eu sou contra essa medida?

Acho que, a ser implementada, deve ser para todos e, por esse ponto de vista, acho bem que o Costa a tenha igualado para todos os estabelecimentos comerciais.

Da forma como estava, só prejudicava o pequeno comércio, dando a encher os bolsos aos grandes que, não contentes com isso, ainda queriam alargar o horário. A xico-espertice no seu melhor!

Mas acredito que a concentração no curto período, que é inevitável acontecer (digam o que disserem), vai trazer mais prejuízos que benefícios.

 

E como eu não sei como são as situações dos outros, vou apenas falar por experiência própria.

Sim, vai dificultar-me a vida.

Levanto-me às 06.30 horas para me despachar, a mim, à minha filha, e às gatas, para entrar no trabalho às 09h, pelo que é impensável ir às compras antes de entrar ao serviço.

Tenho uma hora e meia de almoço, que é utilizada, mais uma vez, para tratar do almoço, das gatas, da roupa que tem que secar durante o dia, etc.

Se for às compras nesta pausa, arrisco-me a nem sequer ter tempo para almoçar.

Saio do trabalho às 19 horas, e o que mais quero é ir para casa, arrumar tudo e ir para a cama cedo. Ainda assim, poderia ir a essa hora fazer as compras mas...

Pão, a essa hora, é escasso.

Sopa, a essa hora, nem sempre há.

Coissants, por exemplo, só de manhã.

Ou seja, poder até podia, mas só conseguiria trazer metade das coisas.

Assim sendo, é-me muito mais fácil fazer as compras ao sábado. Ou seria! Num horário normal.

Com esta limitação, vou ter que acordar cedo, no único dia em que poderia aproveitar para descansar, para ver se consigo ter sorte, e não apanhar filas de duas/ três horas, para entrar no supermercado.

E não, não me venham dizer que vá antes ao comércio local, para ajudar, porque até é mais barato, porque não é. Aqui onde vivo não é mais barato. Longe disso.

 

Por isso, antes de abrirem a boca, com base naquilo que é a sua realidade, seria bom as pessoas pensarem um pouco na realidade dos outros.

Porque, se há pessoas que estão desempregadas, reformadas, que entram tarde ou saem cedo, que trabalham ao fim de semana com folgas durante a semana, que trabalham por turnos, que vivem ou trabalham perto dos supermercados e podem lá dar um saltinho a qualquer hora, também há quem saia cedo de casa e chegue tarde, quem não tenha essa disponibilidade, quem só consiga mesmo ir ao fim de semana.

 

Não há nada que não se consiga, com esforço, e vontade, mas também nada é assim tão simples como para alguns.

Em vez de criticar e apontar o dedo, seria bom solidarizarem-se com aqueles que não têm a mesma sorte ou facilidade.

Menos crítica e mais empatia.

Vale para esta medida, em particular, e para tudo na vida, em geral.

 

Problemas com a recepção dos comentários no email

Barri.goods | Freepik

 

À semelhança do que já tinha acontecido há uns tempos, aqui pela blogosfera, estou novamente com problemas na recepção dos comentários feitos aos blogues, no meu email.

Não recebo qualquer notificação dos comentários que fazem ao meu blog, nem dos comentários de resposta aos meus comentários, feitos noutros blogues.

E se, os primeiros, ainda os consigo ver aqui, os segundos, só indo a cada um dos blogues comentados, para confirmar.

Mais alguém por aí que esteja a passar pelo mesmo? 

Segunda ronda de batalhas no The Voice Portugal

Foto de The Voice Portugal.

 

Mais uma ronda de batalhas, cheia de surpresas, uma grande "dança das cadeiras" e alguns comentários desnecessários da Catarina.

 

 

Começo já pela pior batalha da noite - a primeira a ser disputada, entre as concorrentes do Anselmo Ralph, Célia e Telma!

 

Foto de The Voice Portugal.

 

Eu já não tinha gostado de ouvir a Célia a cantar na prova cega. Ontem, ainda gostei menos. E não só não gostei de a ouvir, como não gostei da atitude dela, para com a Telma.

Não conheço a Célia, como se costuma dizer, de "outros carnavais", pelo que não sei se algum dia foi uma boa cantora e com talento. O que eu vejo é alguém desesperado por mostrar tudo o que acha que pode dar, mas o que sai cá para fora são gritos, desafinações constantes, mais gritos, e pouco mais.

Face a essa postura, a Telma tentou fazer-se ouvir, por entre os gritos, e correu bem em algumas partes. Depois, teve que gritar para ver se não ficava atrás da Célia.

Foi, dentro desta guerra de gritos, justa a escolha da Telma.

 

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Ana Paula e Juliana, cada uma dentro do seu estilo, mostraram aquilo que sabem fazer. A Juliana, nesta batalha, convenceu-me mais que na prova cega. A música encaixava melhor na sua voz.

A voz da Ana Paula, no tom mais baixo, soava bem, mas quando subia, era um atentado aos ouvidos. Gostei muito da parte em que ela não cantou em estilo lírico, e aí fiquei positivamente surpreendida.

Eu teria escolhido, nesta batalha, a Juliana.

Felizmente, por enquanto, estão as duas salvas. Vamos ver o que reserva a próxima ronda à Juliana, tendo em conta que todas as cadeiras foram ocupadas, nesta ronda, por novos concorrentes, mandando para casa os que tinham sido salvos na primeira ronda de batalhas.

 

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Frederico e Tomás - não gostei desta nova versão da música. Gosto que dêem um cunho pessoal, mas nem sempre, em exagero, fica bem. De qualquer forma, concordo com a Marisa, relativamente à dificuldade em escolher apenas um deles, tendo em conta a prestação de ambos.

Também neste caso, salvaram-se os dois. Resta saber se a Aurea manterá o Frederico na cadeira.

Já agora, deixem-se dessa história de "ah e tal, já estou arrependido(a) de vos ter juntado", porque sabem muito bem o que valem os concorrentes e, se os juntam, é porque sabem que vão dar luta e proporcionar uma boa batalha. Seria muito mais fácil juntar os melhores com os menos bons, mas não seria justo.

 

 

 

Foto de The Voice Portugal.

João e Salomé - não vi nada de especial em nenhum dos dois, foi uma batalha fraquinha, a música não ficou boa nas vozes deles. Ainda assim, concordo com a escolha da Salomé.

 

 

 

Foto de The Voice Portugal.

A Marta e a Raquel mostraram, mais uma vez, o seu lado rockeiro!

Gostei mais do timbre da Raquel. Preferi a atitude da Marta. 

Confesso que tenho curiosidade em ver a Marta, daqui em diante, em estilos diferentes e, talvez também por isso, a tenham escolhido a ela. Para ver o que tem para dar, além do que mostrou em trio, na edição anterior, e deste estilo a que parece ter aderido agora. Talvez por isso a Raquel tenha saído prejudicada, e não tanto pela sua prestação na batalha.

 

 

 

Foto de The Voice Portugal. 

Afonso e Fábio - uma batalha muito fraquinha, que não deu para mostrar muito de cada um. Estava mesmo à vista que a Marisa ia escolher o Afonso! Porquê? Teorias minhas, de que ela não resiste a um menino bonito, mesmo que até nem cante nada de especial...

 

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Maria Luísa e Carolina - de uma forma geral, gostei mais de ouvir a Carolina, para além de que se mostrou mais confiante e segura.

A Maria Luísa tem uma voz muito bonita e, se conseguir vencer os nervos e a insegurança, pode ir bem longe. Penso que foi por se mostrar sempre tão receosa que não a salvaram. Talvez o percurso da Maria Luísa não passe por concursos deste género, mas por aprender nas melhores escolas, com profissionais, e controlar aquilo que a limita, que é apenas psicológico.

 

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Simão e Joaquim - talvez a melhor batalha da noite, muito equiparados os dois, mas eu escolheria o Joaquim.

Felizmente, a Aurea teve a vida facilitada, porque o Mickael ficou com o Simão, enviando para casa o Paulo que, ao contrários dos restantes concorrentes na mesma posição que ele, nem sequer esperou pela chegada do Simão. Não merecia, é certo, mas este programa está recheado de injustiças. Não percebi se a atitude do Paulo se deveu a tristeza, ao querer sair dali depressa para não sofrer mais, ou alguma "azia"...

 

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Kátia e Cristiana - Outra das melhores batalhas na noite. A Kátia esteve melhor, mas a Cristiana surpreendeu-me mais ontem do que na prova cega. Ainda bem que a Marisa a salvou, porque esteve melhor que o João, concorrente a quem "roubou" a cadeira.

 

Assim, estão agora em risco, nas cadeiras do Tudo ou Nada - o Simão (no lugar do Paulo), a Juliana (no lugar da Mariana), o Frederico (no lugar da Maria), e a Cristiana (no lugar do João, que já tinha destronado a Diana Macário).

 

 

Imagens The Voice Portugal

A Tua Cara Não Me É Estranha - 5ª gala

O que se pode dizer desta 5ª gala?

 

Os apresentadores:

Os apresentadores demonstraram uma total falta de respeito pelos jurados, ao estarem constantemente a interrompê-los, ou pouco ligando ao que tinham para dizer. Não que tenham algo de importante a dizer, é verdade. Mas, ainda assim, não foi bonito.

 

Não sei como foram as edições anteriores, mas esta parece um pouco ao sabor da maré. Umas semanas há convidados, noutras não. E quando não há convidado, inventa-se. Desta vez calhou ao Eduardo Madeira fazer uma figura que até teria tido graça, se não fosse tão triste, e numa imitação péssima de uma "música" que seria a pior escolha possível!

 

Esta 5ª gala ficou também marcada por comentários e saídas que não sei bem se as devo interpretar como humor ou descida de nível. Uma ou duas vezes, até tem graça. Insistir toda a noite na mesma tecla, nem tanto.

 

Os concorrentes:

 

Sem Título.jpg

 Carolina Torres, como Outkast - foi para mim uma das melhores imitações da noite, e merecia ganhar

 

Sem Título.jpg

Marta Andrino, como Deolinda - foi uma das melhores imitações da Marta, e estava também entre as minhas favoritas

 

 

Resultado de imagem para marta andrino deolinda

Maria Sampaio como Amy Whinehouse - adorei a caracterização física, mas achei a interpretação e a forma de estar em palco e gestos demasiado exagerados

 

 

Resultado de imagem para david antunes tina turner

David Antunes como Tina Turner - outro momento alto da noite, que terminou com uma classificação mediana e injusta

 

 

Resultado de imagem para sérgio rossi ricky martin

Sérgio Rossi como Ricky Martin - não foi das melhores imitações, embora achasse que encaixaria muito bem nele

 

 

Resultado de imagem para melânia gomes anselmo ralph

Melânia Gomes como Anselmo Ralph - haja uma vez que não precisa de se "despir" para imitar o artista que lhe calhou, mas continua a não convencer nas suas imitações

 

 

Darko como Justin Timberlake - não gostei da imitação, foi das mais fracas mas esteve perto de vencer a gala, o que me leva a crer que esta edição está feita para ser o Darko a ganhar a final

 

 

Resultado de imagem para jorge mourato rádio macau

Jorge Mourato como Rádio Macau - não foi a melhor imitação da noite, e só fiquei satisfeita por ter vencido esta gala porque já o merecia, e por ser alguém que ainda não tinha vencido. Ao contrário dos jurados, concordo plenamente com o Jorge, quando disse achar que a sua melhor imitação tinha sido com Metallica.

De qualquer forma, adorei vê-lo como Xana, e olhando para a cara, poderia facilmente passar por mulher, e bonita!

 

 

Imagens TVI Player - Iol

 

Também existem vírus na blogosfera!

 

Não acreditam? Pois é verdade!

Mas não temam, porque não me parecem ser contagiosos, nem provocar danos aos nossos blogs.

Pelo contrário! 

Quando "atacados" por esses vírus, os blogs aumentam consideravelmente as suas visualizações diárias, e o número de comentários cresce a cada minuto!

Pelo que me tenho vindo a aperceber, um mesmo vírus pode apresentar diferentes variações ao longo do tempo, sempre em evolução e metamorfose, fazendo-nos crer que é um vírus novo que surgiu. Mas os mais atentos logo perceberão que, apesar da nova roupagem resultante da mutação, o interior continua igual!

A ciência ainda não conseguiu explicar o que leva estes vírus a atacar, especificamente, os blogs, mas apontam para alguma falha na sua estrutura. Ou talvez tenha alguma característica muito peculiar na sua composição ou morfologia.

De qualquer forma, e apesar de, aparentemente, não causarem quaisquer danos, fiquem atentos.

Eles andam por aí!