Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Sugestões para o fim-de-semana

 

(clicar na imagem)

 

Vem aí um fim-de-semana de grandes concertos e espetáculos, e o Fantastic conta-lhe tudo!
Anselmo Ralph, Original Dengaz, Mickael Carreira e Ute Lemper são alguns dos artistas que poderá ouvir nos próximos dias.
Na área da leitura, porque não viajar até ao Festival Literário da Madeira?
Se preferem teatro, também poderão assistir à estreia de "A Bonequinha Tagarela", com Fernando Terra e Letícia Terra, naquela que será a sua primeira actuação profissional.
Mas há muito mais para descobrir, desde a revista à comédia, passando pelo drama.
E ainda poderá dar um saltinho ao TribaLX.
Espreitem tudo na rubrica Fora de Casa desta semana!

À Conversa com Fingertips

 

A banda que vos trago hoje já passou por este cantinho em Fevereiro, e regressa agora com novidades fresquinhas para contar a todos os seus fãs em Portugal!

Vêm aí dois concertos, integrados na Constellation Tour, que vão dar a conhecer as novas músicas que esta banda tem vindo a preparar, entre as quais os já conhecidos temas “Out of Control”, que faz parte da banda sonora da série juvenil “Massa Fresca”, ou ainda “Kiss Me”, lançado em Março.

Falo-vos dos Fingertips!

 

Joana e Rui, muito obrigada por estarem novamente aqui nesta rubrica!

 

 

 

 

Na nossa última conversa, os Fingertips tinham concertos agendados em Los Angeles, no Hard Rock Cafe Hollywood, na Musexpo e no Worldwide Radio Summit. Como correram esses concertos?

Correram super bem! Sentimos uma partilha de energia muito positiva com o público de LA, foram três concertos inesquecíveis. Além disso, foi uma experiência brutal poder subir a estes palcos. Chegamos até a tocar naquela que foi a sala onde decorreram os primeiros Óscares da história!! É de arrepiar!

 

Entretanto, acabaram por ficar em Los Angeles a gravar as novas músicas, no The Ballroom Studios e no East West Studios, com a colaboração de Mark Needham, com quem já tinham trabalhado no tema “Out of Control”. Consideram que Los Angeles é uma cidade inspiradora?

Completamente! Los Angeles está carregada de arte. É música, dança, teatro, cinema, por todo o lado! Tu vais pelas ruas de Hollywood e há sempre qualquer coisa a chamar-te a atenção, quer seja uma sessão fotográfica, ou as filmagens para uma nova série, um programa de televisão a rolar em directo ou até mesmo pessoas a cantar com um vozeirão que te dá arrepios pela espinha. Desta vez, a nossa estadia em Hollywood coincidiu com a ante-estreia do Capitão América: Guerra Civil e posso te dizer que havia ruas cortadas, uma imensidão de gente a tentar chegar o mais próximo possível da passadeira vermelha e que o Chris Evans é tão giro ao vivo quanto parece na tela!!!!

Portanto, quando um dia não tiveres mais histórias para contar, senta-te nas escadas de um prédio da Sunset Boulevard que elas vêm ter contigo!

 

 

Como é trabalhar com Mark Needham?

O Mark é um produtor incrível. Não só pelo poder que é capaz de dar às canções, mas por aquilo que te faz dar sem exercer a mínima pressão sobre ti. Deixa-te super à vontade porque sabe que os músicos têm ritmos próprios e nada vai alterar isso. Sabe que a inspiração funciona assim mesmo: tu começas a trabalhar e ela aparece, mas se fizeres muito barulho, muito alarido em torno dela, podes acabar por afugentá-la.

Basicamente, tal como não me canso de dizer, o Mark faz-te dar o melhor de ti sem sequer te teres apercebido de que já estavas a gravar!!!

 

 

 

 

O público português já conhece bem os primeiros singles lançados “Out of Control” e “Kiss Me”. Que surpresas nos trazem as novas músicas da banda?

Estes dois primeiros singles mostram algo diferente dos Fingertips! Uma energia que, apesar de pertencer ao DNA da banda, nunca fora explorada desta forma antes. No fundo, talvez nem nós soubéssemos, inicialmente, que tínhamos estas canções dentro de nós, mas o certo é que tínhamos, tal foi a naturalidade com surgiram nas sessões de composição.

E as sensações que temos ao tocá-las em palco acabam por provar isso mesmo, que nos pertencem, que existiam há séculos debaixo da nossa pele até ao momento em que começamos a compô-las. E não há nada mais libertador que isso.

As restantes canções vestem-se desta mesma característica mais alternativa que podemos ouvir no Out of Control e no Kiss Me, percorrendo um espectro entre ritmos mais fortes e as tão aclamadas baladas!

 

 

Para dar a conhecer um pouco mais os bastidores e rotinas próprias de uma digressão, os Fingertips estão a filmar um documentário que leva os fãs ao mais íntimo de uma digressão, até aos palcos do mundo. Como tem sido essa experiência?

Tem sido muito engraçada! Porque quando estás a gravar um documentário sobre o dia-a-dia da banda, não existe um momento definido para começares a filmar e para terminares a sessão.

Está sempre a acontecer! É como se trouxesses 24horas por dia um letreiro à tua frente a dizer “sorria, está a ser filmado”! Então, a determinada altura, esqueces-te simplesmente que estás a ser filmada. E é nesses momentos que acontecem as coisas mais caricatas.

Houve um dia em que fomos àquela que já se tornou a nossa livraria favorita de Downtown LA – The Last Bookstore – e que, à saída, fomos abordados por um senhor que dizia “Tenho estado a observar-vos, e vocês só podem ser famosos, pois andam sempre com um cameraman atrás!”. E depois começou a contar a história de vida dele, para que um dia nos inspirasse para uma canção. E sabes? Apesar de ainda não a ter escrito, acho que inspirou mesmo! É como te disse: as histórias vêm ter contigo.

 

 

 

Sem Título.jpg

 

No âmbito da Constellation Tour, os Fingertips vão actuar em Portugal no próximo mês de Novembro, nomeadamente dia 5 no Estúdio Time Out, em Lisboa, e dia 20 na Casa da Música, no Porto. Quais são as vossas expectactivas relativamente a estes concertos no nosso país?

Estamos muito ansiosos, confesso! Aquela ansiedade boa, de quando fazes uma viagem e chega a hora de regressar a casa! Sem tirar nem pôr.

Estamos cheios de vontade de voltar a pisar os palcos do nosso país, reencontrar pessoas que já não vemos faz algum tempo, ao mesmo tempo que conhecemos um publico completamente novo.

E isto deixa-nos a preparar os concertos com a mesma magia que uma criança prepara a sua festa de aniversário, com todo o cuidado, super atentos aos diversos pormenores. Queremos muito que sejam duas noites inesquecíveis para o nosso público!!

 

 

Quando falamos de concertos, algo que, por norma, os fãs pretendem é contactar directamente com o artista/ banda em questão. Algum destes concertos dos Fingertips terá uma espécie de “Meet & Greet”?

Tanto o de Lisboa como o do Porto!! Não só porque o público procura o contacto com a banda, mas porque nós procuramos esta ligação com os nossos fãs, com as pessoas que apreciam o nosso trabalho. Sem elas, nada disto faria sentido, nem haveria concertos!

Além disso, vamos aproveitar o Meet&Greet do concerto do Porto para anunciar o vencedor do nosso passatempo, ou seja, a pessoa que irá connosco até Berlim para o concerto no Musik & Frieden, no dia 25 de Novembro.

 

Depois desta passagem por Portugal, seguem-se outros destinos e outras paragens. Vão continuar a viajar pelo mundo nos próximos meses?

Nos próximos meses vamos continuar com a Constellation Tour, viajando por diferentes lugares do planeta e, ao mesmo tempo, compondo novas canções!

Esperamos não ter mãos a medir entre concertos, viagens e gravações! Eu sei que parece demasiado cansativo para ser apelidado de sonho mas tenho a certeza que é um sonho quando tu vês que a tua música toca as pessoas e torna a banda sonora da vida delas!

 

Muito obrigada pela vossa disponibilidade, e votos de muito sucesso na carreira e, em especial, para estes dois concertos no nosso país!

 

Mais informações em:

https://www.facebook.com/fingertips/

http://www.thefingertips.com/

 

*Esta conversa teve o apoio da BETWEEN RAINBOW MANAGEMENT (www.betweenrainbow.com), que fez a ponte entre este cantinho e os Fingertips, e disponibilizou as imagens de promoção.

Fingertips em Portugal

Fingertips.jpg

 

Depois de viajar pelos quatro cantos do mundo e conquistarem novos públicos no Canadá, Reino Unido, Singapura, Austrália, França, Holanda, Japão, Brasil, China e Estados Unidos, os Fingertips preparam-se para voltar a casa com a bagagem cheia de novas culturas e de novas aventuras!
 
Com a produção de Mark Needham (que já produziu bandas como The Killers, Imagine Dragons, entre outros), os Fingertips vão apresentar ao vivo em Portugal “Out of Control” e “Kiss Me”, dois temas cheios de personalidade e boas energias, bem como outras canções que a banda compôs e gravou nesta verdadeira “volta ao mundo” nos últimos 2 anos.
 
Ainda faltam alguns meses, mas aqui ficam as datas dos concertos de apresentação dos Fingertips em Portugal, para anotarem já na agenda, e garantirem a vossa presença:
 
5 de Novembro, 21h30. Lisboa – Estúdio Time Out
Bilhetes: http://smarturl.it/Fingertips-Lisboa
 
20 de Novembro, 21h00. Porto – Casa da Música
Bilhetes: http://smarturl.it/Fingertips-Porto
 
Os bilhetes estão também disponíveis na FNAC, Worten, El Corte Inglês e outros locais habituais.

Sai do Chão - O Carnaval de Ivete Sangalo

 

Quem é que não conhece Ivete Sangalo?!

Penso que, um pouco por todo o mundo, é bem conhecida a energia electrizante que caracteriza esta artista, que gosta de pôr toda a gente a dançar, ao ritmo das suas músicas e alegria contagiantes.

Como a própria Ivete costuma dizer "quero ver todo o mundo sair do chão"!

"Sai do Chão" - O Carnaval de Ivete Sangalo, é também o nome da colectânea que reune alguns dos seus maiores êxitos, que  fizeram parte dos carnavais brasileiros, e com actuações ao vivo em palcos emblemáticos como o Maracanã, Madison Square Garden ou Arena Fonte Nova. 

 

Nas versões CD e DVD, é possível recordar temas como Beleza Rara, Eva ou Abalou, entre muitos outros.

No DVD, podemos constatar que, de facto, Ivete Sangalo move multidões, e enche estádios, cantando com garra e entrega, e com tamanha energia que parece não ter fim, e que não sabemos onde a vai buscar, sempre em constante interação com o público presente.

Embora tenha sido pensado para animar o Carnaval de 2016, e apesar de o Carnaval já ter passado, todos os momentos são bons para ouvir esta colectânea, e tirar o pé do chão. 

As músicas que mais gostei de ouvir foram "Aceleraê (Noite Do Bem)", "Eva / Alô Paixão / Beleza Rara", "Balakbak", "Festa" e "Qui Belê".

Relativamente a Ivete Sangalo, gosto mais de a ver actuar descalça, vestida com roupas mais simples, como no segundo e no último tema, que lhe conferem mais espontaneidade e naturalidade.

 

Faixas do DVD:

1. Aceleraê (Noite Do Bem)
2. Eva / Alô Paixão / Beleza Rara
3. Flor Do Reggae
4. Tempo De Alegria
5. Balakbak
6. Festa
7. Sorte Grande
8. Cadê Dalila
9. Real Fantasia
10. Berimbau Metalizado
11. Dançando
12. Céu Da Boca
13. Pra Falar De Você
14. Na Base Do Beijo / Manda Ver / Pra Abalar
15. Abalou
16. Pra Frente
17. Qui Belê
18. Muito Obrigado Axé

 

Ficha detalhada: O Carnaval de Ivete Sangalo (DVD)

IntérpreteIvete Sangalo
EditorUniversal Music
Tipo16:9
Número de Discos1
Duração72 Minutos
ÁudioDolby Digital 2.0

Pavilhão Atlântico ou Meo Arena?!

 

No fundo, são um só mas, dependendo da ocasião, ora lhe chamam Pavilhão Atlântico, como sempre foi conhecido, ou Meo Arena, denominação mais recente.

Quando fui assistir ao espectáculo do Cirque du Soleil, estive no Pavilhão Atlântico. Quando fui assistir ao concerto da Violetta, estive no Meo Arena.

Foi no Meo Arena que actuou, por exemplo, Julio Iglésias. Mas o espectáculo Riverdance foi exibido no Pavilhâo Atlântico.

Qual é, então, o motivo para haver estas duas denominações para o mesmo espaço quando foi anunciado que, com a compra do Pavilhão Atlântico, o mesmo passaria a designar-se Meo Arena?

A única lógica que vejo é utulizarem a denominação mais antiga quando anunciam espectáculos, e a mais recente para concertos. Ainda assim, fará sentido?

  • Blogs Portugal

  • BP