Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Dia de Natal na Serra de Montejunto

O nosso último passeio de 2018 foi mesmo no dia 25 de Dezembro, para aproveitar o bom tempo e fazer algo diferente do habitual nestes dias festivos.

Por isso, rumámos até à Serra de Montejunto, onde apreciámos um presépio dentro de uma gruta, as ruínas do convento, a mítica e lendária lagoa e caminhámos pela calçada dos frades, sem deixar de observar a natureza que nos envolvia.

Aqui ficam as imagens:

 

 

IMG_7131.JPG

IMG_7164.JPG

IMG_7165.JPG

IMG_7133.JPG

IMG_7137.JPG

IMG_7140.JPG

IMG_7145.JPG

IMG_7153.JPG

IMG_7155.JPG

 

Reza a lenda que a serra é oca, e que o mar entra por ela dentro e, por isso, a lagoa não tem fundo e nunca seca. Quem lá entrar dentro, já não consegue sair.

 

 

 

IMG_7163.JPG

IMG_7168.JPG

IMG_7166.JPG

IMG_7134.JPG

IMG_7141.JPG

IMG_7136.JPG

IMG_7129.JPG

IMG_7152.JPG

 

A Calçada dos Frades foi construída para servir a construção e o uso do Convento de Nossa Senhora das Neves da Ordem dos Dominicanos. Pela Calçada, por meio de animais de carga e carroças, transitaram os materiais de construção necessários, os abastecimentos para os trabalhadores, sendo depois usada diariamente pelos frades dominicanos, que aí passaram a viver. Caíu em desuso com a abertura da estrada alcatroada.

 

 

 

IMG_7151.JPG

IMG_7158.JPG

IMG_7159.JPG

IMG_7142.JPGIMG_7135.JPG

 

 

Ontem fomos ver as marchas!

 

O meu marido queria muito ir ver as marchas aqui em Mafra, por isso, depois de muito insistir, lá fomos. Tinha-me esquecido de como estas noites costumam ser geladas. Até porque o desfile se realiza em pleno descampado, em frente ao Convento de Mafra.

Ainda bem que levei o meu casaco de inverno! Havia, inclusive, uma mulher embrulhada numa manta!

Confesso que não acho muita piada a este tipo de desfiles. Talvez pelo tempo que cada marcha leva a actuar. Ou por não estar confortavelmente sentada e quentinha. Não sei como é que as pessoas conseguem gostar de estar ali tanto tempo a ver não sei quantas marchas.

Só pedia era que se despachassem e viessem as próximas. E depois, parecem-me todas a mesma coisa, o mesmo tipo de vestuário, os mesmos arcos, os mesmos passos.

Claro que há diferenças e, das que vimos, a que mais se distinguiu foi a da freguesia de Santo Isidoro. 

No fim, realizou-se o espectáculo de fogo de artifício. E viemos para casa, que já se fazia tarde, e estávamos prestes a congelar. Mas, como dizia uma senhora "a noite até nem esteve má, e o S. Pedro ajudou!"

Só depois de tudo terminado é que a chuva desabou, para não mais parar!

 

Livro da Infância

 

O livro que fala sobre os mistérios da vila de Mafra!

Que aborda, sob uma outra perspectiva, o mito das ratazanas do Convento de Mafra.

Com suspense, num misto de ficção e realidade, personagens fictícias e outras que realmente existem ou existiram, foi sem dúvida um livro de banda desenhada que adorei, e que ainda guardo!  

  • Blogs Portugal

  • BP