Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Podem por favor fazer uma pausa...

 

..e não falar durante uns tempos de trails, maratonas, caminhadas e corridas?

É que tudo o que é demais enjoa e eu, que ainda nem sequer comecei a correr, já estou cansada de tanto ouvir falar destes assuntos.

Em casa, o meu marido está sempre a falar dos trails que gostava de fazer, das corridas em que se vai inscrever, dos sites que publicitam estas provas.

Parece que agora é moda toda a gente correr, toda a gente participar em provas, toda a gente escrever e falar sobre isso.

Toda a vida houve atletas e outras pessoas que fizeram e fazem da corrida um hobby, uma forma de estarem em forma sem gastar dinheiro, uma terapia. Mas não são esses que andam sempre a falar do assunto. Para esses é algo que faz parte da rotina, algo natural. Podem recomendar a esta ou aquela pessoa, incentivar, mas só isso.

Por outro lado, são muitos os novas adeptos desta modalidade que fazem questão de mostrar o que fazem, porque fazem, como, quando e onde fazem.

Às tantas, parece-me que as pessoas estão mais interessadas em mostrar que correm, do que na corrida propriamente dita. 

E até o termo mudou para uma palavra mais fashion - em vez de corrida, agora é running! Hoje em dia, em vez de as pessoas pegarem nuns ténis, num fato de treino, e saírem para a rua, vão agora também equipadas com telemóveis e outros equipamentos para registar por onde passaram, que tempo fizeram, os km que percorreram, etc. Há, inclusivé, programas para isso!

Acho um exagero! Mas como a moda está longe de passar de moda, podiam pelo menos fazer uma pequena pausa, e dar tempo de antena a outros assuntos? 

 

 

Considerações sobre a Corrida da Criança

e para todas, em geral:

 

N.º 1 - Ainda que na brincadeira, não dá jeito nenhum correr presa a quem quer que seja! Na Corrida da Criança, tínhamos que nos unir uns aos outros (cada equipa ou dupla) com um laço, para que ninguém ficasse para traz, e para incentivar o espírito de equipa. A intenção era boa, mas na prática, as coisas não resultam muito bem.

 

N.º 2 - Não dá jeito nenhum correr com mochilas às costas! A manhã adivinhava-se memorável e de festa, e não queríamos perder nada desses momento. Por isso, toca de levar máquina fotográfica, telemóvel, lenços de papel (para o caso de ser necessário), a carteira, os óculos de sol, etc. Tudo numa mochila pequena que encontrei lá por casa. Mas uma das alças do raio da mochila rebentou, tive que correr com ela só presa de um lado, a segurar para não rebentar a outra, com a fivela sempre a roçar no braço da Inês, e quando passei ao meu marido, tive um trabalhão para me desenvencilhar dos laços que nos ligavam. 

 

N.º 3 - Caminhada e corrida juntas, é para esquecer! Quem ia caminhar, ia do lado direito. Quem ia correr, do lado esquerdo. Na prática, não resulta. Saímos todos ao mesmo tempo, pelo que tínhamos gente à nossa frente a caminhar, que nem sempre se mantinha à direita, e era difícil passar à frente e correr estando presos uns aos outros.

 

N.º 4 - Correr preso, só com bastante espaço. Num carreiro estreito, como havia no percurso, três pessoas a correr presas, sem se atropelarem é difícil. Houve uma altura em que a Inês teve que se desviar para o meu lado, tropeçou no meu pé e ia caindo. Houve alturas em que, para passarmos à frente, o meu marido e a minha filha encolhiam-se e ficavam à minha frente, logo, eu não conseguia correr. Se houvesse mais largura, podíamos ir os três, lado a lado, sem nos atropelarmos uns aos outros.

 

N.º 5 - Quando se corre em duplas ou equipas, em que nem todos os membros têm a mesma preparação física e resistência, e nos termos acima mencionados, não se pode pensar em cortar a meta nos primeiros lugares, nem em tempos de prova. O meu marido, que está habituado a correr (na véspera foi fazer outra prova, de 10km), queria ver se fazíamos o percurso todo a correr. Queria passar à frente dos que estavam no nosso caminho mas é mais fácil passar uma pessoa que três e, como estavamos presos, era só puxões nos braços uns dos outros. Depois, a Inês dizia que queria caminhar porque estava cansada. Ele, insistia para ela fazer um esforço. Ela estava feliz por estar a participar, mesmo que fosse só a caminhar. Ele, com o seu espírito competitivo e para quem 2km eram um aquecimento, queria correr e cortar a meta o quanto antes. É complicado. Mas, no fim, a Inês acelerou e cortámos a meta, quando ainda vinha metade dos participantes atrás de nós! 

 

 

No que eu me fui meter!

 

Porque é que tinham que me enviar um email a falar sobre isso?

Porque é que eu tinha que achar graça à ideia e falar dela ao meu marido e à minha filha?

Porque é que eles tinham que ficar tão entusiasmados e querer participar?

 

Agora, não me safo!

Recebi um email com informação sobre a Corrida da Criança, que se vai realizar no próximo domingo, nos jardins do Casino Estoril.

É uma corrida organizada pela APCOI - Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil e o dinheiro das inscrições é para ajudar a associação.

Ah e tal, é uma actividade gira para se fazer em família. Pode-se correr ou caminhar, há prémios, brindes e muitas outras actividades.

Escusado será dizer que a minha filha ficou mais interessada nessas outras actividades! O meu marido, que no sábado vai participar numa outra corrida de 10 km, é o primeiro a incentivar-nos.

Ainda disse para irem eles os dois, mas para eu poder entrar no recinto, tenho que estar inscrita. E, já que estou inscrita, tem graça é participar!

Há quase 20 anos que não calço uns ténis (vou ter que pedir emprestados à minha filha) e que não corro! Nem quero imaginar a figura que vou fazer e como vão estar os meus músculos na segunda-feira!

O que vale é que são só 2 km! O que para mim já é um longo caminho :)

Desejem-me sorte nesta aventura, que bem vou precisar!

Os Km mais longos, e loucos, de Portugal!

Resultado de imagem para corrida manzwine cheleiros

Eu bem sabia que havia uma corrida com chouriços e presuntos!

Dizia o meu marido que se tinha inscrito para um trail, e eu perguntei-lhe se era aí que ofereciam enchidos! Claro que ele ficou estupefacto. Nunca tinha ouvido falar em tal coisa! 

Mas afinal existe uma prova onde isso acontece, e só podia mesmo ser aqui em Mafra: "Os Km mais longos de Portugal"!

A iniciativa é da Manzwine (marca portuguesa de vinhos) que pretende, com esta iniciativa, promover "o desporto, convívio e animação entre paladares apurados e apreciadores de produtos regionais".

As inscrições estão abertas e os interessados poderão optar pela corrida de 12 Km ou pela caminhada de 7 Km, num percurso entre Cheleiros e Mafra, dedicado ao tema "Os Romanos"!

Pessoalmente, trocaria o "longos" pelo "loucos", por esta corrida parece mesmo uma prova de doidos! No bom sentido, claro!

 

Vejam aqui toda a informação acerca desta original e diferente prova desportivo-degustativa: 

http://www.oskmmaislongosdeportugal.com/

E ainda digo que não faço exercício!

 

transferir (3).jpeg

 

Ora vamos lá ver:

 

 - todos os dias faço cerca de uma hora de caminhada, entre idas e vindas casa/ escola/ trabalho

 - todos os dias subo e desço escadas, várias vezes ao dia

 - quando já estou atrasada, a caminhada dá lugar à corrida

 - aos fins de semana, faço pesos, com os sacos de compras que trago desde o hipermercado até casa

 - em dias de limpeza, subo e desço cadeiras ou escadotes várias vezes

 

Bem feitas as contas, até pratico bastante exercício! Ginásios para quê!?

  • Blogs Portugal

  • BP