Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Sobre o final da série Quantico

 

Confesso...

Desde Novembro que sou uma fiel seguidora desta série, mas fiquei mesmo aborrecida com a interrupção que fizeram de cerca de 3 meses, a meio, deixando todos na expectactiva, quando a história estava a ficar cada vez melhor.

Quando recomeçaram a dar, fiquei entusiasmada, até porque a cada episódio que passava mais a minha curiosidade aguçava.

E aguçou de tal forma que, depois do episódio que vi ontem (gravado), o número 19, não aguentei mais a minha curiosidade e fui à procura do episódio final!

Aquele em que, finalmente, se iria conhecer o terrorista que todos perseguiam, aquela pessoa que poderia ser qualquer um deles, que num episódio sugeria ser uma determinada personagem mas, no seguinte, já dava a entender que poderia ser outra.

É que a série está tão bem feita, que uma pessoa nunca consegue sabr bem de que lado está cada um dos colegas da Alex, até que ponto estão ou não envolvidos com o terrorista, até que ponto estão ou não a ajudar a Alex na caça ao terrorista, e até que ponto escondem ou não algum segredo.

Eu penso que não houve ninguém de quem eu não tivesse desconfiado, num determinado momento.

E tinha as minhas preferências.

Hoje, sei quem esse terrorista é. Hoje, sei os motivos que o levaram a fazê-lo, e de que forma conseguiu planear tudo ao mais ínfimo pormenor.

Mas, confesso, estou desapontada! Preferia que tivesse sido outra personagem que não esta.

Para quem conseguir aguentar mais 3 episódios para saber tudo, não vou aqui desvendar o mistério. Para quem, como eu, já se anticipou, o que acharam desta escolha?

 

Só para terminar, parece que vai haver uma segunda temporada de Quantico! Espero bem que sim, e que nos surpreenda ainda mais do que a primeira!

É isto?!

Pai e filho vão visitar a mãe, que acabou de dar à luz, e o mais recém chegado membro da família - uma menina grande e rechonchuda de 4kg.

 

A reação do pai, babado e surpreendido com o seu tamanho:

- "Uau, é esta a nossa menina?!", 

 

A reacção do filho, desapontado, talvez porque esperava encontrar alguém mais do seu tamanho em vez de um bebé:

- "É isto?!"

 

 

Sim, foi assim há quase 37 anos, quando o meu pai e o meu irmão me foram ver à maternidade! 

A cara de desânimo da Rita Blanco

IMG_1340.JPG

 

 

Já repararam bem na cara de Rita Blanco?

Será que é porque o Achas Que Sabes Dançar chegou ao fim?

Será que é porque não vai poder mais ver os belos concorrentes do concurso?

Ou será porque vai ficar sem mais nada para fazer nos serões de domingo?

Talvez um pouco de tudo isso. 

Mas o verdadeiro motivo para ela estar assim tão desanimada foi mesmo o anúncio do 3º lugar para o seu favorito - o Gonçalo! O seu "sexy mother fucker" não venceu! E ela não disfarçou o seu desapontamento.

O que vale é que, com a vitória da Liliana, a sua outra favorita, o sorriso voltou-lhe à cara.

E agora, pode sempre acompanhar o novo programa da SIC, Ídolos, e tentar encontrar por lá algum rapaz jeitoso que lhe alegre as vistas :)

 

O que foi que correu mal?

 

O que faz com que uma criança, que teve sempre Bom, Muito Bom e Excelente a Português no 4º ano, que concluiu o 1º ciclo do ensino básico com 5 a Português, que teve como nota na Prova de Aferição um 4, tenha um "Suficiente" no primeiro teste de avaliação de Português do 5º ano? Uma classificação pior do que no teste diagnóstico do início do ano lectivo?

Terá sido culpa da professora anterior, que facilitava? Será culpa do novo professor, que complica?

Será distracção, falta de atenção, nervosismo?

Será culpa minha, que a sobrestimei porque achei que era a disciplina na qual se ia safar melhor?

Será culpa dela, que se sobrestimou e achou que já sabia tudo?

Não faço ideia. Ela disse que tinha corrido bem, que o teste era fácil. Estava à espera de, pelo menos, um Bom. De todas as disciplinas, esta era a última que eu esperava ter uma avaliação destas. Estou em choque.

Quem segue o blog já sabe que eu não lido bem com resultados menos bons, que fogem à regra de resultados da minha filha. Tive a minha primeira "prova de fogo" quando ela teve um "Suficiente" a Matemática, no início do 3º ano. Custou a aceitar, mas a prova até nem era fácil, eles não estavam habituados a esse tipo de prova, houve uma baixa geral nos resultados da turma nesse teste.

Agora, estou a passar pelo mesmo. Em negação, em culpabilização, em aceitação, sem reacção...A diferença é que o teste até era fácil. Muitas respostas incompletas ou erradas foram mesmo por falta de atenção. E depois, o professor desconta cada falta de vírgulas, acentos ou aspas, parágrafos não marcados...

Mas o que é que eu faço?

Se a minha filha chega ao pé de mim com uma cara triste, me diz a medo a nota que teve, quase à beira das lágrimas e se sente frustrada, como devo eu reagir?

Dizer o que me vai na alma? Que estou desiludida, desapontada, triste? Que não se admite ter um "suficiente" a Português num teste tão fácil? Que se vai acabar a Violetta e que vai ficar de castigo até voltar a tirar uma boa nota? 

Ou apoiá-la, apesar de tudo? Dizer que não estou satisfeita com a nota mas, tal como da outra vez, vai servir de "abre olhos", e que vai ter que se esforçar para subir daqui em diante?

Eu fui mais pela segunda opção, por muita vontade que tenha de despejar em cima dela aquilo que sinto. Mas isso não mudaria a nota, e acabaria por ser contraproducente. E lá está, como me costumam dizer, pelo menos não foi negativa!

Vou acreditar que foi um deslize, e que não se vai repetir. Mas, ao mesmo tempo, estou a mentalizar-me para mais surpresas destas. E para conseguir lidar com elas sem perder as estribeiras!

Podes ficar feliz por mim, mãe?

 

"Recebi hoje as notas das últimas fichas de avaliação que fiz - Bom, Bom, Bom.

Não são más, mas esperava mais. As fichas tinham-me corrido tão bem. Fiquei um bocadinho desapontada. 

O que correu mal? Não sei. Só quando as vir posso ter a certeza se errei mais coisas do que pensava, ou se foi, como a professora disse, um problema de letra que, quem corrigiu, não percebeu.

Agora, está na hora de ligar para ti, mãe, e dar-te as novidades. Não tenho medo que fiques zangada comigo porque, seja qual for a minha nota, tu preferes que eu te diga, sem receio.

Mas sei que, tal como eu (ou mais ainda) vais ficar triste e desapontada. Sei que esperavas pelo menos, Muito Bom a algumas. Não tive.

Sei que te vais sentir frustrada e achar que podias ter feito mais, que vais pensar que, por mais que te esforces por me ajudar, não é suficiente para eu ter melhores resultados.

Mas não é verdade. Tu fazes o melhor que podes e, de certeza, sem a tua preciosa ajuda, sem a tua persistência e paciência, sem o teu apoio e incentivo, as coisas poderiam correr bem pior. 

Se tive as notas que tive, a culpa não é tua. Sou eu que estou na escola, sou eu que estudo e sou eu que tenho a responsabilidade de ter boas notas.

Ainda assim, fiquei satisfeita por não ter tido notas ainda mais baixas, como alguns colegas meus. Posso não ser um génio, a mais inteligente e a melhor aluna da turma, mas também não sou má aluna. E tu sabes que me tenho esforçado neste último ano.

Por isso, podes ficar feliz por mim, mãe? Porque se tu ficares feliz, eu também fico!

E tiro, do meu coração, uma boa parte desta angústia que sinto por ter tido notas mais baixas do que as que ambas esperávamos.

Ah, e preciso também que continues a acreditar, e não desistas, porque eu não quero desistir. E preciso que continues ao meu lado nesta batalha que temos vindo a travar há quatro anos, e que está longe de terminar.

Porque, contigo ao meu lado, sinto-me mais forte e confiante, para alcançar aquilo que mais desejamos!" 

  • Blogs Portugal

  • BP