Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Depois d' "A Rede"...

Resultado de imagem para a rede conceição lino

 

... acho que vamos andar todos desconfiados sobre aquelas pessoas que temos adicionadas no facebook, e que não conhecemos pessoalmente!

Não se vá dar o caso de ser um perfil falso, uma personagem inventada, uma pessoa fictícia.

 

 

A verdade é que, quando nos inscrevemos e utilizamos este tipo de redes sociais, sabemos os riscos e perigos que corremos, sabemos que nem tudo o que por lá se vê é verdade, que cada um diz e coloca lá o que mais lhe convém, e que há muito boa gente que faz, de enganar e manipular os outros, o seu modo de vida, sobretudo se conseguir lucrar alguma coisa com isso.

E se não sabemos, é porque somos mesmo muito ingénuos, ao ponto de acreditar em tudo o que vemos, sem desconfiar, sem duvidar.

 

 

Claro que, apesar de tudo isso, não estamos livres de sermos apanhados no meio de uma rede como esta, de que fala a reportagem de Conceição Lino.

A forma como é engendrada, de forma a que tudo pareça real e credível, torna mais difícil desconfiar de que algo não bate certo, até porque, por um lado, temos tendência a acreditar que ninguém tem necessidade de estar a enganar os outros e, por outro, temos tendência a solidarizar com as desgraças alheias e a criar empatia por quem por elas passa.

 

 

Hoje será transmitida a terceira e última parte desta reportagem, que nos mostra como Sofia conseguiu arrastar para a sua "rede", Nuno, Maria, Ana, Margarida e até Irene, mãe de Nuno.

E talvez aí se consiga perceber qual o principal objectivo de toda esta história inventada, o porquê de envolver estas pessoas, ou a necessidade de o fazer.

Para além de ter feito Nuno apaixonar-se pela imagem e personagem por si criada, ainda conseguiu arrastar outras pessoas desconhecidas, que com ela criaram laços por conta do seu drama, e que passaram a fazer parte da sua falsa vida.

 

 

Porquê? 

Por prazer em brincar com os sentimentos, emoções e vida das pessoas?

Para se sentir mais poderosa, capaz de controlar estas pessoas, e fazê-las jogar o seu jogo sem o saberem, como marionetas nas suas mãos?

O que ganhou esta mulher com toda esta trama inventada?

 

 

E sim, é perfeitamente normal que as pessoas envolvidas estejam revoltadas, e se sintam usadas, manipuladas, enganadas. Que se sintam frustradas consigo mesmas por terem estado tão cegas durante todo aquele tempo, por não terem desconfiado de nada, por terem engolido toda a história de boa fé, sem se questionarem.

 

 

No entanto, embora condenando a atitude desta mulher, não posso deixar de constatar que, apesar de tudo, ela acabou por, de certa forma, dar um sentido à vida destas pessoas que com ela se envolveram.

No caso de Nuno, apesar de todo o desgaste, abuso e chantagem emocional, durante aquele tempo, ele teve um objectivo na sua vida. Se precisava? Se calhar, sim. 

Não criticando a sua atitude, que qualquer um de nós poderia ter, a verdade é que sendo ele um homem bem resolvido, de bem com a vida, com o seu trabalho, amigos e família estruturada, que necessidade tinha de se envolver com alguém, desta forma, sem nem sequer a conhecer pessoalmente? 

A necessidade de se apaixonar. Faltava essa parte na sua vida, e foi por aí que a suposta Sofia atacou.

 

 

Quanto às restantes, todas afirmam que, a determinado momento, foi essa Sofia que lhes deu força e apoiou em situações mais delicadas que elas próprias passaram. Que acabaram por desabafar os seus problemas com ela, e de receber uma força do outro lado que não esperavam.

Ou seja, estas pessoas precisavam de alguém que as ouvisse, com quem pudessem conversar, sem julgamentos. E Sofia aproveitou-se dessa necessidade.

Por outro lado, o facto de apoiarem uma pessoa tão jovem, que sofria de cancro mas que, apesar de tudo, parecia sempre de bem com a vida e bem disposta, também lhes deu um sentido à vida, um propósito. Sentiam-se úteis, por ajudarem alguém. Mais uma vez, Sofia encarregou-se disso.

 

 

E por aqui se pode perceber que, quem planeia engendrar uma teia ou rede como esta, vai procurar pessoas que, à partida, sabe que precisam de alguma coisa, que estão mais susceptíveis, que fazem destas redes o seu escape do dia-a-dia, que procuram fazer amizades e travar novos conhecimentos nas redes sociais, que têm aquilo de que precisa para que mordam o isco.

São estratagemas planeados, bem estudados para que tudo bata certo, construídos ao pormenor, com tempo, e orquestrados por uma mente perversa ou, simplesmente, doente. 

Fazer várias vozes diferentes, e personagens diferentes, fingir uma doença, fingir lágrimas e desespero, inventar mortes de familiares, e acidentes, não é para todos.

Mas, que há pessoas capazes disso, e muito mais, lá isso há. E podem estar mais perto de nós do que pensamos, até mesmo no nosso grupo de "amigos" do facebook!

 

 

E por aí, têm acompanhado a reportagem?

Qual é a vossa opinião?

Já começaram a fazer uma limpeza nas vossas redes sociais, ou estão seguros das pessoas com quem falam?

 

 

Imagem: https://mag.sapo.pt/

 

Omitir ou camuflar o que não convém

Resultado de imagem para omitir ou mentir

 

Sabem aquelas informações que vêm nos contratos, em letras muito pequeninas por serem considerados meros detalhes sem importância, e que acabamos por nunca ler? E que, depois, quando vamos ver, até continham informação relevante que deveríamos saber antes de assinar os contratos?

 

Pois...

 

Mas isso não acontece só nessas situações.

Também quando andamos à procura de emprego, as empresas omitem muitas vezes determinadas informações, mostrando só as regalias e vantagens, gabando-se de ser diferentes da concorrência, para melhor.

Depois, quando os funcionários já lá estão, afinal as coisas não são bem como foram faladas.

Eu costumo dizer, cada vez mais, ao meu marido, que sou como S. Tomé - ver para crer. Desconfio sempre quando a oferta é boa demais para ser verdade.

Uma empresa a que foi chamado propôs-lhe o ordenado de "x", limpo. 

"Ah e tal, somos diferentes das outras. Pagamos mais. Aqui valorizamos os trabalhadores, não são só um número."

Em conversa com um colega, sobre o subídio de alimentação, esse colega ficou admirado por o meu marido receber o valor que recebia. 

"Aqui não. Aqui recebemos "x". Mal de nós."

 

E sim, parecia ser um ordenado razoavelmente melhor que o anterior, ainda que continue a ser uma exploração, dado o número de horas que trabalham. Mas exploração por exploração, que se receba um pouco mais.

Entretanto, o meu marido ficou a saber que, afinal, o ordenado que pagam não é o que lhe disseram, mas menos 10 euros. Não é por aí, mas quando se começa com mentiras, não é bom sinal.

E ficou a saber que, no valor pago mensalmente, já está incluído subsídio de Natal e de Férias, algo que também só soube pelos colegas.

 

Feitas as contas, descontando ao ordenado um montante regular, para perfazer os subsídios a que não terá direito, a dita empresa, que se gabava de ser diferente, e de pagar mais, acaba por pagar o mesmo que as outras!

A única vantagem, e poupança para o meu marido, é ficar ligeiramente mais perto de casa e, como tal, gastar menos dinheiro em gasolina e portagens.

Por apenas 3 euros, eu já devia desconfiar...

 

...que não iam oferecer nada daquilo que eu tinha imaginado!

Numa ida às compras, no verão, enquanto escolhíamos alguns produtos para levar para um dia na praia, deparámo-nos com esta promoção: na compra de 2 embalabens de Pringles + € 3, oferta de um Kit de Karaoke. No desenho, aparecia um microfone e uma coluna.

E nós, entusiasmados com tamanha oferta por tão baixo preço, comprámos as batatas, enviámos os códigos e pagámos os 3 euros.

Demorou algum tempo a chegar. Ainda pedi ao meu marido para confirmar se realmente tinham descontado o dinheiro, mas acabei por ver no site que podiam levar até 90 dias para enviar.

Não foi preciso esperar tanto tempo. Chegou ontem!

E nós ficámos a olhar para aquilo com cara de parvos! Afinal, o que eles enviam é, se assim se pode chamar, "a cabeça" do microfone e um altifalante ou coluna, que se encaixam na própria embalagem (que a esta hora já foi reciclada).

Estava eu à espera do último modelo de microfone, e afinal sai-me isto! Alguma vez eu pensei que ia ter que guardar a lata das batatas para servir de corpo do microfone?

Pois, nunca! Mas, por apenas 3 euros, eu devia ter desconfiado.  

António Costa versus Pedro Passos Coelho - o debate

Imagem www.movenoticias.com

 

 

Sobre o debate de ontem, não tenho muito a dizer.

Estou convencida que António Costa irá sair vencedor das próximas eleições porque, de uma forma geral, os portugueses estão fartos da política e medidas de austeridade do actual governo e, como tal, tudo o que se apresentar, aparentemente, melhor, é bem vindo!

António Costa promete, em suma, devolver-nos quase tudo o que nos foi tirado. Inverter tudo a actual situação e resolver quase todos os problemas que o país atravessa.

Pedro Passos Coelho, não faz promessas! Ou, pelo menos, não a curto prazo.

Perguntas não respondidas, respostas desviadas das perguntas, algumas mentiras e algumas verdades, cada um com a sua razão em determinados assuntos, e sem ela, noutros, só tenho a dizer que:

- temos que tentar ser realistas - assim como não temos por que confiar em alguém que não dá uma previsão concreta para a resolução de um determinado problema, também não devemos confiar em quem promete resolvê-lo de um dia para o outro;

- em sentido figurado, por muito que alguém prometa fazer uma omeleta com 10 ovos, é provável que, ao chegar à tal cozinha, encontre apenas 4 ovos disponíveis! E depois, como é que vai descalçar essa bota?

- nem sempre aquele que nos faz mais feliz, que nos promete tudo aquilo que queremos, e nos diz ao ouvido tudo aquilo que desejamos ouvir, é aquele que diz a verdade; nem sempre quem nos facilita, está a ser nosso amigo - não se esqueçam que facilitismos de uns, podem levar a problemas maiores e medidas piores para nós, por parte dos sucessores;

- não esqueçamos que o nosso actual primeiro ministro também prometeu muita coisa que, depois de lá estar, não cumpriu, antes pelo contrário;

- por muito que tenham que ter sido tomadas medidas severas de austeridade em nome da crise, houve muitas delas que ficaram por explicar, que nunca soubemos exactamente para que serviam, e de que forma isso ia atenuar a crise - Pedro Passos Coelho falhou totalmente nesse aspecto;

- Nenhum governante que manda o seu povo emigrar está em condições de governar um país; nenhum governante que inventa medidas temporárias, para mascarar a realidade e tapar o sol com a peneira, deve estar à frente do governo do país - e parece-me que é isso que Pedro Passos Coelho tem andado a fazer;

- Por último, façam debates com os candidatos de todos os partidos, e não apenas do PS e PSD/CDS.

  • Blogs Portugal

  • BP