Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

É urgente privilegiar a informação de qualidade e a sanidade mental

Nenhuma descrição de foto disponível.

 

Neste momento que estamos a viver, mais do que nunca, é urgente privilegiar a informação, e não a desinformação, e manter a sanidade mental.

Assim, deixo aqui alguns conselhos (que valem o que valem) para quem quiser levar e adotar:

  • não passem o dia inteiro a ver notícias sobre o mesmo - escolham um dos noticiários - tarde ou noite para ficar a par das actualizações
  • não passem o tempo todo a falar do mesmo, como se não houvesse outros assuntos para falar no dia a dia
  • não acreditem em todas as publicações, vídeos e audios que andam a circular nas redes sociais, e que só contribuem para mais alarmismo - pensem que, se nos quiserem mesmo esconder informação, ela nunca irá andar a passar de boca em boca
  • se virem/ lerem alguma publicação que considerem importante, e com informação relevante, partilhem
  • não alimentem/ gerem "guerras" nas redes sociais, ou outras, por causa do Covid, num momento em que temos que estar todos unidos, ainda que com opiniões diferentes
  • assistam às notícias com os vossos filhos, se acharem que têm idade para tal, e esclareçam dúvidas que eles tenham, dando-lhes a conhecer o momento que atravessamos, explicando o porquê das medidas, mas mostrando tranquilidade e positivismo - afinal, nós somos o seu exemplo
  • não se permitam ser contagiados pela paranóia que vos possa rodear, nem entrem em paranóia, só porque, por acaso, começaram a espirrar ou a tossir - lembrem-se que estamos numa época de constipações e gripes, e o tempo não está a ajudar
  • tentem, dentro dos limites, e do possível, tirar algo de positivo de toda esta situação, ou encará-la com humor, sem ferir susceptibilidades
 

Os pecados no atendimento ao público

Resultado de imagem para atendimento

 

Já não são só 7!

Sim, há funcionários que estão no atendimento ao público mas que não sabem, minimamente, lidar com as pessoas.

Estamos fartos de ver pessoas à espera para serem atendidas, enquanto os funcionários conversam sobre as notícias do dia, a vizinha, o cão e a cliente que acabou de sair.

Estamos cansados de ver funcionários "pedirem licença a um pé para mexer o outro", ignorarem os clientes que estão à espera e fingir que estão ocupados com outros assuntos.

Já todos nós fomos atendidos por pessoas que não conhecem a simpatia, que atendem de mau humor, que levam problemas pessoais para o trabalho, que são rudes, com cara de que "todos lhes devem e ninguém lhes paga".

Já aconteceu, provavelmente, a muitos de nós, vir do mesmo serviço com informações diferentes e contraditórias. Ou, simplesmente, sem informação, porque nem sempre quem está no atendimento sabe informar sobre o que queremos saber.

Há clientes chatos, é verdade. Mas há funcionários que não mostram um mínimo de paciência com pessoas mais idosas, que têm mais dificuldade em perceber. Ou com pessoas que, ao contrário delas, não estão por dentro dos assuntos e têm que ser melhor esclarecidas.

Mas agora, o ordem do dia é, descaradamente, para "despachar"! Despachar o trabalho e as pessoas, de volta para casa, para o trabalho ou para outros serviços.

Um contribuinte estava num serviço, com uma notificação, à qual lhe foi dito que tinha que responder. Como? Por email. Atendido. Próxima senha. Mas este senhor não se conformou e, depois de muito insistir, lá a funcionária lhe entregou o requerimento para ele preencher e entregar ali na hora.

Outro contribuinte foi recambiado de um Serviço de Finanças para outro, com a desculpa de que o assunto não podia ser lá tratado. Mais um despachado! No entanto, o assunto podia ser tratado em qualquer Serviço de Finanças.

Há os mais directos e persuasores: "ah e tal, não quer ir antes a "x" serviço?"

E há os que complicam e que, mal pegam em alguma coisa, dizem logo que não podem fazer. Um cliente levou uns documentos para apresentar. A funcionária disse que faltavam elementos e não podia receber. Cliente despachado. O mesmo cliente vai ao mesmo serviço noutra altura, e é atendido pelo chefe dessa funcionária, que analisa os mesmos documentos e recebe, sem qualquer obstáculo.

Se há coisa que me irrita é esta gente querer "ser mais papista que o Papa"! Se o chefe que é chefe, não levantou problemas, porque teve a funcionária que levantar? E fazer o cliente perder tempo duas vezes?

Será que a lista de pecados ainda irá aumentar mais?