Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Escrever à mão é obsoleto?

 

transferir.jpg

 

Pessoalmente, gosto muito de escrever à mão.

Sejam lista de compras, ideias para textos do blog, cartas, rascunhos, resumos ou fichas de trabalho para a minha filha.

Quando estudava, a melhor forma de saber a matéria era copiar as ideias essenciais do manual para uma folha. Enquanto ia escrevendo, ia memorizando.

E é tão bonito ver como a nossa caligrafia vai mudando ao longo dos tempos, como se vai aperfeiçoando (ou não)... É a nossa marca, algo só nosso...

É uma forma de não nos esquecerrmos como se escrevem determinadas palavras, e de nos apercebermos dos erros de escrita.

E tínhamos sempre uma colecção de canetas de diferentes cores, modelos e feitios, ou perfumadas, e lápis a cheirar a novos, ou já pequenos demais para segurar na mão.

No entanto, escrever à mão, seja cartas, relatórios ou mesmo trabalhos da escola, está cada vez mais em desuso.

Os trabalhos de grupo escolares, antes escritos à mão, com desenhos da nossa autoria e feitos em cartolinas, são hoje escritos no computador, onde vamos também buscar as imagens que precisamos, e impressos.

O Ministério da Educação finlandês, por exemplo, anunciou no início deste mês o objetivo de substituir os cadernos e os lápis das escolas primárias do país, por teclados, computadores e sistemas digitais, com o intuito de adaptar o ensino aos novos tempos e às necessidades educativas atuais, em que o teclado e o computador se tornaram essenciais.

Para tentar justificar a decisão, a conselheira da Secretaria Nacional de Educação da Finlândia, Minna Harmanen, usou o argumento de que, hoje em dia, ter uma digitação fluente é uma habilidade cívica importante e global.

Concordo!

Mas não poderão as duas habilidades caminhar juntas, em vez de uma anular a outra?

Porque não podem coexistir, no mesmo sistema de ensino, a escrita manual, e a escrita adaptada aos tempos modernos?

Será que escrever à mão é mesmo obsoleto?

 

Cartas (um tesouro cada vez mais raro)

 

Dizem que um gesto vale mais que mil palavras.

Mas quando não nos é possível ver os gestos, só nos restam as palavras.

E que poder têm as palavras!

Tanto para quem as escreve, como para quem as lê.

É verdade que as cartas estão a cair cada vez mais em desuso. Agora temos outras formas de comunicação, mais eficientes, mais rápidas e mais modernas.

Mas uma carta é sempre uma carta...

Seja ela de amor, de saudade, de alegria, de tristeza, de notícias, de mistério, de aventura, de amizade, extensa ou breve, uma carta é um tesouro raro, carregado de sentimentos e emoções. É sempre uma parte de nós para alguém. Ou de alguém para nós.

É algo de muito íntimo, pessoal e intemporal. 

Quem nunca escreveu uma carta para algum parente distante? Para a amiga da infância? Para o rapaz que gostava? Quem nunca guardou as cartas que lhe foram escritas?

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP