Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Quando o Universo conspira contra nós!

pessoas-que-acreditam-em-teorias-da-conspiracao-po

 

Sábado de manhã, estava a limpar os óculos, parte-se a armação nas minhas mãos!

Ora bolas. Uma pessoa escolhe armações baratas e, depois, não prestam. Esta já era a segunda. A primeira, partiu-se nas mãos do optometrista, quando os levei para apertar um pouco, duas semanas depois da compra.

Agora é esperar que mandem vir uma terceira armação, que não sei se está coberta pela garantia e, enquanto isso, desenrascar-me com a partida, colada com fita cola, e à espera que a lente não caia senão, daqui a pouco, é mais essa que tenho que trocar.

 

Depois, devemos ter lá por casa algum espírito com falta de roupa porque, por três vezes, em diferentes momentos do dia, sem ninguém lhe tocar, toda a roupa que estava pousada em cima de umas caixas, caiu ao chão. De uma das vezes, até as caixas caíram.

 

Sábado à noite, o marido a trabalhar e nós a dormir, parte-se a estante dos livros, e tomba tudo o que lá estava.

Sempre se disse que o barato sai caro, e a verdade é essa. Material barato nunca dá bom resultado. Já a do lado, cara, e madeira resistente, continua de pé, firme e hirta, após vários anos.

 

Segunda de manhã, estou na cozinha a preparar o meu pequeno-almoço quando, ao ir buscar um croissant, percebo que não há saco dos croissants. Onde raios foi parar? Terá caído no carro, e não demos por isso? Afinal, não. Soube, mais tarde, que os mesmos foram parar a casa do meu pai, por engano, e servidos ao lanche.

E lá tive eu que me desenrascar com umas bolachas.

 

Esta semana, começou com exames.

Ontem foi dia de colocar o holter. Se uma pessoa pudesse adivinhar o dia em que os sintomas iam aparecer, era fantástico. Assim, suspeito que terá sido tempo, e exame, desperdiçado.

Hoje, prova de esforço. Já que não vou ao ginásio, de livre vontade... Mas, ao que parece, estou apta!

Isto porque, apesar do cansaço normal da prova, não tive qualquer sintoma.

Até lhe disse que, quando vou buscar a minha filha ao trabalho, a pé, em modo acelerado, me sinto pior do que naqueles 15 minutos de prova. E a técnica disse que até puxou mais, dado estar a ser monitorizada, porque no ginásio não aconselharia tanto esforço.

Ou seja, o meu corpo está sujeito a mais esforço no dia a dia e tarefas habituais, do que estaria no ginásio.

Mas pronto, aguardando o resultado no holter, no que respeita à prova de esforço, está tudo bem.

 

 

Tenham atenção ao comprar medicamentos na farmácia

pplware_receita_medica.jpg

 

Sempre que forem a uma farmácia comprar medicamentos com receita médica, sendo esta em papel, tenham atenção ao valor que lá vem indicado, do valor máximo que os mesmos custarão.

Já não é a primeira vez que acontecem situações em que, se estivermos distraídos, acabamos por pagar mais do que devíamos.

Quase aconteceu isso ao meu marido, no outro dia, quando foi comprar um antibiótico. A funcionária foi buscar, registou e disse que custava quase 8 euros. Achei estranho, e mencionei que na receita dizia que custava no máximo cerca de 3 euros.

 

"Ah e tal, mas isso é se for genérico. Prefere levar antes o genérico?"

 

Claro que ele preferiu! Mesmo assim, não tinham o genérico mais barato, e teve que levar um de 4 euros. Mas poupou alguma coisa.

Já antes, numa outra situação, aconteceu o mesmo comigo. Queixei-me, mas aí disseram-me que não tinham nenhum dos mais baratos.

 

"Ah e tal, a receita refere esse valor, mas nem sempre as farmácias têm esses medicamentos."

 

E se uma pessoa está sem tempo, com pressa, e é a única farmácia mais à mão, tem que se sujeitar.

Mas, podendo, mais vale procurar em várias farmácias e, acima de tudo, estar atento ao valor que vem na receita, para que não nos tentem enganar ou fazer pagar mais, sem necessidade.

 

 

 

Atenção redobrada...

...é o que se exige, hoje em dia, a todos os consumidores, para que não sejam enganados ou saiam prejudicados nas compras que fazem!

E é algo que eu nunca cumpro! À custa disso, já me aconteceram várias situações em que não dei conta do erro, e "paguei" literalmente por ele.

Uma vez pedi, na secção do talho, pernas de frango, que é uma das coisas relativamente baratas que se compra. Peguei no saco, paguei junto com outras compras e vim para casa. Quando olhei para a etiqueta do preço, pensei "isto devem ser umas pernas de frango de ouro"! Tinham marcado o preço de uma carne mais cara!

Outra vez, também na secção do talho, pedi meio quilo de bifes de peru e meio quilo de bifes de frango. Deram-me um quilo dos primeiros!

Já na caixa, acontece várias vezes levar duas embalagens de pão de forma - uma familiar e outra especial torradas - e registarem as duas ao preço da mais cara.

Claro que eu só dou por isso já em casa. Nunca fui de estar atenta, conferir talões, contar o troco. Quero é pegar nas compras, despachar-me e chegar a casa. E depois não estou para me chatear e perder tempo a reclamar.

Mas, da última vez, fi-lo.

Peguei num livro para a minha filha que estava marcado, no próprio livro, a € 8,91. Uma etiqueta branca com o preço a preto muito sumido que quase não se via, mas dava para perceber com algum esforço. Paguei juntamente com as compras do mês. Em casa, quando estava a ver o talão, percebi que o tinham registado a € 9,90!

No dia seguinte, fui lá reclamar. Queriam ficar com o meu talão, mas disse que precisava dele. Resolveram as coisas de outra maneira, devolveram-me os € 0,99 e fui mais satisfeita para casa. Não é pelo valor em si, porque já tive prejuízos maiores. 

Mas não podem estar sempre a "comer-me" (e aos outros) por parva, e eu a deixar!