Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

As malas das mulheres e a segurança em Portugal

Resultado de imagem para bolsa de mulher

 

O que tem uma coisa a ver com a outra? Já vão perceber!

 

Não há algo que se assemelhe mais a um armazém ou arrecadação atafulhados de tralhas, que as malas das mulheres. Para além de tudo o que colocamos lá dentro habitualmente, ainda há espaço para mais isto e aquilo. É os telemóveis da filha e do marido, é caixas de óculos, é a carteira do marido para não perder, e por aí fora.

Ora, como já aqui disse, no sábado fomos ver o espetáculo Soy Luna Live, na Altice Arena. Na minha mala, além das coisas do costume (que são muitas e já me fazem andar sempre à procura de uma, perdida no meio de todas), levava os bilhetes, a máquina fotográfica, e ainda dois bolos. De tão cheia que estava, até ia aberta.

 

Quando estávamos a entrar para a Altice Arena, tínhamos que passar pelos seguranças e polícia, encarregues de fazer a revista aos nossos pertences.

Mostrei a minha mala à mulher. Ela, limitou-se a desviar as embalagens dos bolos, espreitar lá para dentro e mandar seguir.

E eu fiquei parva com esta forma de actuar. É certo que eu não iria achar piada nenhuma se, ali no meio da rua, me tivesse esvaziado a mala e espalhado tudo, para depois eu ter que voltar a arrumar. A mulher, provavelmente, pensou que, com tanta gente ainda por entrar, não haveria tempo para esvaziar todas as malas e verificar ao pormenor.

Mas, desta forma, fica explicado porque é que muitos acidentes e incidentes acontecem em eventos, apesar de toda a segurança.

Se eu levasse alguma coisa imprópria que fosse: uma arma de fogo, uma faca, um detonador de bomba, ou outra coisa qualquer, no fundo da mala, tinha entrado à vontade, sem que o descobrissem. 

 

Será por terem achado que uma mulher, acompanhada pela filha e pelo marido, seria inofensiva? Ou por pensarem que, num concerto infantil, ninguém iria fazer nada? Será que estavam ali apenas a cumprir horário e receber essas horas de trabalho, ou à procura de pessoas suspeitas, entendendo-se por suspeito alguém com características pré definidas? De determinada raça, de determinada religião, com determinado aspecto ou aparência?

É que, a assim ser, podem estar a cometer o seu maior erro porque, cada vez mais, e tendo em conta os critérios utilizados, o perigo virá sempre de onde e de quem menos se espera, como por exemplo uma mãe acompanhada da sua prole, uma família normal, ou outras pessoas que não valerá a pena revistar ao pormenor, porque não representam, à partida, qualquer ameaça.

 

Espero que esta tenha sido uma situação isolada, e que não represente a forma como é feita a segurança em Portugal! 

Fora de Casa - a minha rubrica no Fantastic

 

Como já aqui tinha mencionado, estou a colaborar neste momento com o Fantastictvsite, com uma rubrica intitulada "Fora de Casa", que mais não é que uma agenda cultural semanal, com sugestões de programas para quem não gosta de passar os dias colado ao ecrã, e prefere aproveitar os eventos que acontecem fora de casa.

 

Até ao momento, foram estas as quatro edições publicadas:

 

Fora de casa-edicao 1

Fora de casa-edicao 2

Fora de casa-edicao 3

Fora de casa-edição 4

 

A próxima sairá hoje, e inclui algumas ondas, música, teatro e ballet, entre outras sugestões! Fiquem atentos :) 

À Conversa com Eva Carvalho - Universidade dos Valores de Mafra

 

O Instituto Luso-Ilírio para o Desenvolvimento Humano (ILIDH) iniciou, em 2011, as obras de requalificação do Palácio dos Marqueses de Ponte de Lima, localizado na zona de património protegido da Igreja de Santo André, e respetivos jardins, com vista à construção da Universidade dos Valores.

Para quem ainda não ouviu falar desta Universidade, pode ficar agora a conhecê-la um pouco mais.

 

 

 

 

 

Em que consiste a Universidade dos Valores?

A Universidade dos Valores recorre ao sentido original da palavra “Universidade” e utiliza instrumentos que se sustentam em valores universais e em aprendizagens que procuram expandir a Sabedoria Universal, pois acreditamos que é pelo respeito, e não pela negligência, dos valores universais que seremos capazes de encontrar soluções para os problemas complexos que afetam as sociedades de hoje.

Trata-se de um projeto multidisciplinar composto por espaços que integram várias atividades e que exploram de formas diversa os valores universais, procurando desenvolver competências que nos ajudam a encontrar respostas para questões relacionadas com a nossa origem, o nosso património coletivo e o nosso papel na sociedade, recorrendo a diferentes métodos, práticas e tecnologias.

 

A quem se destina a Universidade dos Valores?

É um projeto que acolhe todo o tipo de público, nacional e estrangeiro, de todas as idades, embora com acesso mais limitado para as crianças com idade inferior a 6 anos.

 

12523151_1145002538863758_3658718711341288555_n.jp

 

Porquê a escolha do Palácio dos Marqueses de Ponte de Lima para a construção desta Universidade?

O concelho de Mafra foi o primeiro a aderir o programa LED on Values, um Programa de Literacia Social, que integra recursos pedagógicos interdisciplinares para diferentes faixas etárias, em diversos temas em torno dos valores, da ética e da cidadania, assim como manuais, livros, brochuras, jogos interativos, entre outros materiais didáticos. Desde o lançamento deste programa, diversas ações de sensibilização e oficinas de formação sobre valores, ética e literacia social foram desenvolvidas, nas quais já participaram mais de 4.000 agentes educativos e desportivos, abrangendo cerca de 700 escolas em todo o país, estimando-se que tenham participado diretamente nestas ações, no terreno, em escolas, clubes e comunidades diversas, mais de 50 mil crianças e jovens.

O desenvolvimento do Programa LED deu origem à Universidade dos Valores. Quando criámos uma ideia mais robusta sobre este projeto começámos a procurar um espaço que cumprisse um conjunto de requisitos de âmbito urbanístico, cultural, educativo e ambiental, que refletisse a ambição da Universidade e se pudesse revelar ao mundo. Na altura estávamos a trabalhar intensamente em Mafra, e foi numa reunião com os responsáveis da Câmara que tomámos conhecimento do Palácio dos Marqueses de Ponte de Lima, um edifício com mais de mil anos de história, deixado ao abandono durante décadas e em risco de colapso total, como a maior parte da população de Mafra sabe. Foi neste espaço que decidimos instalar a Universidade dos Valores, que tivemos de recuperar e reabilitar ao longo dos últimos 5 anos, onde procuramos incorporar o conceito de património num duplo sentido – material e imaterial. Por um lado, através da reabilitação de um edifício com imensa história, que já foi castelo mouro, paço medieval e palácio senhorial, dando uma nova função relevante a um património material caído no esquecimento e, por outro, e ainda mais importante, através da promoção dos valores universais, que os consideramos o património imaterial da humanidade.

 

1526982_707942752569741_1293633545_n.jpg

 

O que é que os possíveis visitantes podem encontrar neste espaço? Que ofertas têm para o público, a nível de exposições ou atividades?

A Universidade dos Valores é composta por diversos espaços, entre os quais, o Museu dos Valores Universais, um espaço expositivo inovador de “ciência viva” que combina cultura, educação, tecnologia, I&D e entretenimento. Estas atividades podem decorrem também no seu jardim, o Jardim dos Valores Universais, um espaço outdoor do Museu.

Um outro espaço que consideramos particularmente interessante para a população do concelho de Mafra é o Centro Interpretativo que aborda os aspetos culturais, históricos e arqueológicos do Palácio, de um património construído sobre as fundações do Castelo Gótico Romano e que está na origem da Vila de Mafra. Aproveitamos este espaço para também situar a Universidade dos Valores no contexto histórico de Mafra, através da reflexão sobre os Valores Universais enquanto instrumentos de Sabedoria Universal – objetivo último da construção do Palácio Nacional no século XVIII.

A Sala dos Oceanos é um espaço polivalente que para além de disponibilizar ao público um auditório, sala de formação, seminários e conferências, integra a exposição permanente “Diversidade dos Oceanos”, composta por uma coleção de conchas recolhidas de todo o mundo, enquanto metáfora da unidade na diversidade, através do elemento unificador representado pela água dos oceanos que banham todos os continentes e culturas, assim como, a beleza na diversidade, representando a diversidade humana.

 

 

Que outro tipo de eventos pode ainda acolher a Universidade de Valores no seu espaço?

Conferências, seminários ou workshops, atividades de formação e sensibilização, retiros, concertos, entre outras atividades de convívio podem também ter lugar na Universidade dos Valores.

 

A Universidade dos Valores tem atividades específicas para estudantes, ou colaboração com escolas, sejam do concelho ou de outros pontos do país?

As atividades que foram desenvolvidas nos diversos espaços da Universidade dos Valores, destacando o Museu dos Valores Universais, foram pensadas para serem usufruídas por parte de toda a população, mas com maior incidência, sem dúvida, para os estudantes. Sendo que apenas conseguimos abrir este espaço ao público já no meio deste ano letivo e sabemos que, por norma, o planeamento das atividades letivas começa no início do ano letivo, estamos a trabalhar no sentido de dar a conhecer e divulgar este projeto a nível nacional, para que as escolas possam integrar uma visita de estudo à Universidade no seu plano curricular do próximo ano letivo.

De qualquer forma, para além da visita das escolas, estas podem também ser realizadas de forma individual, em grupo ou em família.

 

A Universidade dos Valores privilegia e aposta no contacto com a natureza. Que espaços têm à disposição dos visitantes para proporcionar esse contacto e experiência?

A Natureza é “aquela” que mais valor tem para nós pois é ela a forma mais perfeita onde os valores universais podem ser testemunhados, é a fonte do amor, da nossa expressão, da inspiração e da criatividade e é através da relação que estabelecemos com ela somos capazes de perceber quem somos, de onde viemos e onde queremos chegar.

É neste sentido que foi pensado e criado o Jardim dos Valores Universais, um espaço de reflexão e contemplação com percursos que fazem a ligação entre o Palácio e os seus antigos jardins, integrados atualmente no Parque Desportivo de Mafra, um espaço que guia as pessoas ao encontro dos Valores Universais, refletidos nesta Natureza através das paisagens que foram desenvolvidas para esse fim. Porque defendemos a “cura” pela Natureza, disponibilizamos também no jardim informações acerca das plantas que aqui se encontram, acerca da sua origem, curiosidades e das possíveis propriedades medicinais que elas nos oferecem.

 

 

 

 

Para aqueles visitantes que pretendam alojar-se na histórica vila de Mafra, a Universidade também funciona como pousada? Já receberam alguns visitantes tenham usufruído da sua estadia na Universidade?

Situado num espaço cheio de história e com as comodidades da atualidade, a Pousada de Mafra pode ser uma solução muito agradável. Os quartos são todos diferentes e com capacidades diversas, desde de quartos individuais, duplos, familiares e camaratas.

A Pousada já está aberta ao público desde o dia da inauguração, 8 de Janeiro de 2016.

Para servir de apoio à Pousada pensámos num espaço de bar/restaurante que pretende refletir os valores universais através da gastronomia e que chamamos “Sabores Universais”. Estamos ainda a receber propostas de parceria para a exploração deste espaço…

Ambas estas estruturas, a Pousada e os Sabores Universais, foram pensados como estruturas de apoio, cujo objetivo é garantir a sustentabilidade de todo este esforço financeiro, científico e tecnológico da Universidade.

Temos recebido vários visitantes, vindos de outros concelhos e também estrangeiros.

 

O que podemos encontrar no Museu dos Valores Universais?

No Museu, o visitante pode realizar diversas atividades digitais e analógicas, que procuram desenvolver a atenção, concentração, relaxamento, autorreflexão, promover a criatividade, desenvolver o espirito crítico e procurar a mudança através de soluções que começam numa escala local. Para além de jogos interativos 2D e 3D com tecnologias de ponta, no museu o visitante pode visualizar diversos documentários que abordam valores em diferentes contextos e esferas da vida, assim como pode visualizar biografias de alguns dos sábios de humanidade que têm trazido grandes contributos para a sabedoria universal.

 

Quem são, por norma, os visitantes da Universidade dos Valores - turistas de outros países, oriundos de outras regiões do país, ou residentes do concelho?

Até ao momento, e no que diz respeito à visita nos espaços expositivos, a maioria dos nossos visitantes são residentes do concelho de Mafra, embora temos tido também pessoas, grupos e alunos de outros concelhos, assim como, estrangeiros. Temos também agendados programas de formação com professores e jovens de vários países europeus, que aqui vêm fazer cursos de curta duração.

Em relação à Pousada, conforme referi, a maior parte vem de outras regiões do país ou do estrangeiro.

 

Sentem que a Universidade dos Valores será ainda desconhecida do público em geral, e que é importante haver uma maior divulgação do vosso espaço e atividades por vós desenvolvidas?

Sem qualquer dúvida! Inaugurámos o espaço há pouco tempo e estamos a trabalhar para fazer chegar este projeto ao maior número de pessoas, não só a nível nacional, como também a nível Europeu e também mundial. A Universidade dos Valores não conseguiria revelar-se ao mundo, sem ser através das pessoas, pois são elas que dão sentido a este espaço que foi pensado para toda a comunidade.

Todas as pessoas estão convidadas para se juntar a esta iniciativa, que procura distanciar-se de uma visão materialista de vida, abrindo espaço para uma vivência harmoniosa, em comunhão com a Natureza e com todas as outras pessoas, sendo que será apenas pela entreajuda que podemos atingir o nosso bem maior, alcançar a felicidade.

 

Muito obrigada!

 

Para mais informações podem consultar:

http://www.universidadevalores.org/

https://www.facebook.com/PalacioMarquesesMafra/

É seguro levar crianças para grandes eventos?

 

Vem esta pergunta a propósito do incidente que ocorreu em Guimarães, com um menor a assistir à agressão ao seu pai, por parte de um agente da polícia do qual, felizmente, saiu ileso.

Quando a minha filha tinha 4 anos, e porque ela nessa altura era fã do Tony Carreira e tínhamos uma oportunidade única de assistir ao concerto gratuitamente, na Baía de Cascais, levámo-la. Mais tarde, percebi que corremos um grande risco, e que pus em causa a sua segurança, ao levá-la para um espectáculo desta dimensão.

É que, além do recinto estar a abarrotar, as pessoas empurravam-se umas às outras, e até os homens discutiam para conseguir o melhor lugar. Conseguimos ficar um pouco mais que a meio, e dali não saímos até terminar. Felizmente, não houve problemas para o nosso lado, mas aquilo podia ter corrido muito mal.

Este ano, por exemplo, levei-a ao concerto da Violetta, no Meo Arena. Mas estava tudo muito bem organizado, bastante segurança no local, e como tínhamos bilhetes para a plateia, nem sequer havia filas na nossa entrada.

Se há riscos? Há sempre. Mesmo aqueles que nem sequer imaginávamos. Se é seguro. Pode ser. Mas também pode não ser. 

Existem cada vez mais programas ao ar livre, como festivais, concertos, espectáculos e até idas ao estádio, dedicados a toda a família, mas será que dá para levar crianças a eventos como esses?

Talvez seja melhor pensar duas vezes antes de se aventurar, e sujeitar as crianças a perigos desnecessários. De qualquer forma, há que ter em conta, caso optem por arriscar, alguns cuidados fundamentais.

 

A nível geral:

- verificar se o local e o evento reunem condições para receber crianças com conforto e segurança;

- ter atenção à classificação etária do evento;

- certificar-se de que existem locais na zona onde possa comprar alimentação e água (para o caso da criança ficar com fraqueza ou desidratada);

- No fim do evento, aguardar a saída das pessoas, de forma a evitar acidentes no meio da multidão;

- Certificar-se de que a criança não sai do seu lado mas, ainda assim, identificá-la para a eventualidade de a mesma se perder, com o nome e contacto dos pais, por exemplo;

- Vestir uma roupa que chame a atenção e que, desse modo, a distinga das demais;

- Combinar um ponto de encontro, como polícia ou bombeiros que estejam no recinto, para o caso de se perderem;

 

No caso de estádios:

- evitar levar crianças menores de 3 anos a estádios de futebol;

- evitar levar crianças para jogos considerados de risco, já que há grandes hipóteses de discussões e violência;

- evitar ocupar lugares ao pé das claques, pelo mesmo motivo;

 

No caso dos concertos ou festivais:

- em concertos, evitar ficar próximo do palco, preferindo lugares onde haja mais espaço e o som seja menos intenso;

 

Convém não esquecer que nem sempre os programas, apropriados para os adultos, o são também para as crianças. É preciso pensar, acima de tudo, nelas. E ter em mente que, tudo o que possa vir a acontecer aos nossos filhos, é da nossa responsabilidade. Porque eles não foram para lá sozinhos, fomos nós que os levámos!

GNR Trail - Famílias contra a violência

 

Realiza-se amanhã, às 8.00 horas, o “GNR TRAIL – Famílias Contra a Violência”, um evento com fins solidários, sem fins lucrativos e com inscrições gratuitas, através do qual os participantes poderão entregar bens alimentares de primeira necessidade que serão, depois distribuídos pelas famílias carenciadas, vítimas de violência e exclusão social.

Este evento consiste na realização de um “Trail” de cerca de 17km, com início junto ao Convento de Mafra, e de uma “Caminhada”:, que terá uma distância de cerca de 6Km e tem início no Portão do Codeçal.

O evento é organizado pela GNR de Mafra (Concretamente pela Secção de Programas Especiais e Núcleo Idosos em Segurança do Destacamento Territorial de Mafra do Comando Territorial de Lisboa da Guarda Nacional Republicana), e tem como objectivos fomentar a prática desportiva e, simultaneamente, apelar a questões sociais, funcionando como um movimento de alerta para a violência.

Para este primeiro evento na vila de Mafra, as inscrições esgotaram! Esperamos que se continue a realizar e com igula sucesso.

Para mais informações sobre os bens necessários, onde comer, o que visitar, onde dormir (para quem não seja de cá), e onde estacionar, aqui ficam os sites e contactos:

 

https://www.facebook.com/GNRTrail

http://gnrtrail.weebly.com


CONTACTO:
gnrtrail2015@gmail.pt

 

GNR TRAIL 2015
Vamos lá, em frente!

  • Blogs Portugal

  • BP