Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Está de volta o The Voice Portugal

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas a sorrir, pessoas em pé e noite

 

Regressou à RTP, no domingo, mais uma edição do The Voice Portugal.

 

Continuamos naquele registo demasiado lamechas para o meu gosto, a apelar mais ao sentimentalismo, do que à qualidade dos concorrentes.

Continuamos com as reacções e caretas exageradas e pouco naturais dos mentores, com discursos da treta, que usam para o lado que mais lhes convém, do género "ah e tal, desafinaste um pouco, por isso não virei", para a seguir dizerem "ah e tal, houve aí algumas coisas, mas isso é natural por ser uma prova cega, pode ser controlado, vem para a minha equipa". 

Continuamos com a postura de "quero, posso e mando" do Mickael Carreira que, simplesmente, não sabe estar, ou quer-se armar, mas não lhe fica bem, de todo. O pôr-se em pé em cima da cadeira, o carregar no botão com os pés, tudo mais do mesmo.

 

 

Em relação aos concorrentes, estes foram os que mais gostei:

 

A Rita

 

 

O Isaías

 

 

Marco e Pedro

Pessoalmente, gostei mais da segunda música que cantaram, mas não há dúvida de que saberia bem ouvi-los cantar em substituição de muitos que só sabem gritar.

 

 

Salvador

Não percebo como é que só dois mentores viraram a cadeira, mas o Salvador fez bem em escolher, desta vez, um mentor diferente.

 

 

Momento " a tua cara não me é estranha":

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em palco, pessoas em pé, concerto, noite e interiores

Bruno

Já participou no Just Duet, onde ficou na equipa do Agir. Como já tinha acontecido nessa altura, ele gosta de arriscar mas, o resultado, é uma mistura de espectacular com sofrível.

 

 

O momento "somos todos Portugal":

Diana

 

 

O momento "The Voice Portugal - Make a Wish": 

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé

Marvi

 

Aguardam-se as próximas provas cegas!

 

Imagens The Voice Portugal

Mistérios do Sul

 

Onde é que estão os mistérios do sul, que deram o título a este livro? Não os descobri!

No início, não consegui passar da primeira página. Não me estava a entusiasmar nada.

Na semana passada, num acto de coragem e perseverança, continuei a lê-lo.

Felizmente, as coisas estavam-se a compôr.

Tínhamos um ex presidiário a fugir da polícia, a ser capturado e mantido na prisão por suspeita de violação e assassinato de 4 jovens. 

Tínhamos uma mãe, procuradora do Ministério Público e encarregada da acusação deste suspeito, a criar uma filha adolescente, com as mesmas características físicas das vítimas.

Tínhamos um pai ausente que, depois de ter sido abandonado pela primeira mulher e casado com Alexa, de quem teve esta filha Savannah, acaba por se divorciar da segunda mulher e voltar para a primeira.

Quando Savannah começa a receber umas cartas misteriosas que sugerem ameaça, Alexa vê-se obrigada a voltar a falar com o pai da sua filha, ao fim de 10 anos, para que ela possa ficar com ele até ao julgamento e condenação deste assassino.

E ele, vê-se obrigado a iniciar uma batalha contra a actual mulher, para que aceite a sua filha na sua casa e na sua vida.

Enquanto isso, Alexa tem um caso cada vez mais sólido, já que todas as provas conseguidas até ao momento apontam para Luke. E de quatro vítimas, passamos para um total de dezoito.

No entanto, a advogada de defesa acredita que as provas foram plantadas para incriminar o seu cliente.

Neste ponto da história pensamos: ela é capaz de ter razão! A autora não nos ia revelar assim, de caras, o verdadeiro assassino. Normalmente, quando tudo aponta para uma determinada pessoa, é sinal que não é ela. Assim sendo, talvez o verdadeiro criminoso ande à solta e a vida de Savannah esteja em perigo.

É mesmo o género de livro que eu gosto. E, de facto surpreendeu-me: mas pelo simples facto de não ter havido nenhum mistério nem nenhuma surpresa!

Destaco a forte relação entre mãe e filha de Alexa e Savannah, e o quanto foi difícil para elas a separação forçada. E a relação recuperada entre pai e filha, de Tom e Savannah, depois de 10 anos a excluía da sua vida.

Uma história de força e fraqueza, mesquinhez, falsidade, poder e arrependimento. Mas mistérios do sul, não me parece! 

 

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP