Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Matrículas para o 10º ano

Resultado de imagem para ´portal das matriculas

 

Ontem saíram, finalmente, as notas das provas finais do 3º ciclo, e as notas finais de ano.

Houve notas mais baixas a português mas, ainda assim, menos negativas a esta disciplina, do que a matemática, cuja prova era mais fácil e na qual, a maioria, teve notas mais altas que nos testes ao longo do ano.

Aproveitámos para trazer o impresso da matrícula, e começar a preencher em casa.

 

 

Hoje fomos à escola para realização da dita matrícula.

Podíamos tê-lo feito pela internet, através do Portal das Matrículas.

Mas ainda bem que decidimos ir pessoalmente.

 

 

Aqui na escola da minha filha houve, na minha opinião, uma uma má organização de todo este processo.

Presencialmente, as matrículas eram apenas hoje, das 9 às 13 horas, sendo que 3 turmas iam para uma sala, e as restantes (o dobro), para outra sala, onde calhava a da minha filha.

Era uma fila única, mas cada director de turma chamava pelos alunos da sua turma e, se houvesse alguém que tivesse feito a matrícula online, e apenas fosse entregar os documentos, passava à frente porque era um processo mais rápido.

O que vai em sentido contrário ao que vinha nas indicações, de que quem fizesse a matrícula pela internet entregaria a documentação na nova escola.

Os restantes estavam dependentes da utilização dos computadores disponíveis, pelo que percebi, dois por turma.

 

 

Embora tivessemos uma fila enorme de pessoas à nossa frente, e de alguns, nas situações que expliquei atrás, terem passado à frente, até chegámos à sala com relativa rapidez.

Mas, dentro da sala, era um caos. Pais, alunos e professores, numa sala cheia de computadores, a darem orientações à vez, enquanto cada um de nós dava início à matrícula online.

Foi uma óptima decisão termos ido pessoalmente porque, em três ou quatro passos, surgiram dúvidas, havia truques e era preciso enganar o sistema, para conseguirmos avançar e que, só lá, sob supervisão e com ajuda, conseguíamos ultrapassar.

Em casa, sozinhas, teríamos, na certa, feito asneira.

 

 

E pronto, a matrícula está feita, com a minha filha a aguardar colocação na escola e curso pretendido.

Foram feitas as últimas despedidas dos professores presentes, e das auxiliares que a acompanharam ao longo dos 5 anos, com desejos de muita sorte e sucesso na nova etapa que a espera.

Manual de boas maneiras na fila para as ATM's

Resultado de imagem para atm

 

Quem nunca esteve na fila de espera para utilização de uma caixa de pagamento automático, e começou a ficar impaciente, porque a pessoa à nossa frente está a fazer mil e uma operações, e nunca mais se despacha e deixa a máquina disponível para o próximo?

 

Seja porque estamos a ver o tempo a passar e ainda nos vamos atrasar, seja porque só tínhamos uma operação rápida para fazer, e era num instantinho, ou por outro motivo qualquer.

 

Mas só temos duas hipóteses: ou esperamos a nossa vez, ou procuramos outro ATM.

 

 

E quando a situação é inversa?

Quando estamos a fazer as nossas operações, e percebemos que, quem está na fila à nossa espera, está a bufar de impaciência, e desejando ver-nos fora dali?

Não têm essas pessoas que esperar, também, a sua vez? Ou procurar outro local menos movimentado?

 

 

Existe algum manual de boas maneiras para situações como esta?

Estava o meu marido, no outro dia, a fazer umas transferências e pagamentos habituais, depois de ter deixado passar uma pessoa à frente, quando começa a ouvir reclamar:

"Isto assim não pode ser. Nunca mais saímos daqui. Se tem muitas operações para fazer tem que dar a vez aos outros." e outras frases do género.

 

 

Desculpem?

Dar a vez, só porque estamos a levar mais tempo do que queriam?

E quem nos garante que a pessoa a quem damos a vez será mais rápida? Que não tem, também ela, várias operações para fazer, e irá demorar o mesmo ou mais tempo que nós?

E é suposto dar a vez a quem? À seguinte na fila, ou a todos os que estão na fila, que não têm tempo para esperar, mas que não se incomodam de nos dizer para esperar, quando estamos na nossa vez? 

 

 

Para mim, é muito simples: se estou na minha vez, a efectuar as minhas operações normalmente, não vejo lógica em interromper para dar a vez a quem está atrás de mim, e ficar eu à espera na fila, para fazer o resto depois.

No entanto, se por algum motivo, estiver com algum problema em realizar as operações, ou me faltar dados, ou tiver que ligar para alguém, aí sim, tem lógica que desocupe a máquina e dê a vez a outros, até ter tudo o que preciso, e tentar novamente, quando voltar a chegar a minha vez.

 

 

E por aí, já vos aconteceu estar am algum dos lados? 

 

 

 

 

A prioridade nas filas para retirar senha de atendimento

Resultado de imagem para prioridade atendimento

 

Ou, por assim dizer, a prioridade antes da prioridade.

Aqui na loja do cidadão, às 9 da manhã, acabam por se juntar várias pessoas, que ali se dirigem para tratar de diversos assuntos.

Por norma, o segurança de serviço entrega umas senhas provisórias de chegada a essas pessoas para depois, por essa ordem, tirar a senha para o serviço pretendido.

 

 

No momento em que cheguei, pouco depois das 9, já não havia essas senhas. Apenas a fila normal, por ordem de chegada, para tirar senha.

Entre as pessoas que estavam à minha frente, havia uma mulher com um bebé no carrinho, que perguntou ao segurança se não devia ter prioridade, já que estava com uma criança.

O segurança explicou que tinha primeiro que tirar a senha e, sendo essa senha de atendimento prioritário, seria chamada antes de qualquer outra pessoa, mesmo que tivesse tirado senha antes, na fila.

Ela voltou a reclamar, que prioridade é prioridade, e que lhe devia ser dada de imediato a senha.

O segurança, acho que para não a ouvir mais, e como deve ter percebido que não havia ninguém na fila antes dela, que também acusasse essa prioridade, lá lhe deu a senha.

 

 

Mas será que a prioridade se aplica também nestes casos? Nas filas para retirar senha de atendimento? Ou apenas ao atendimento em si?

Fiquei com essa dúvida.

A verdade é que, neste caso, mesmo tendo direito à prioridade, a fila estava a andar rapidamente porque, afinal, é só carregar no botão, entregar a senha, e siga. Acho que não se justificava. Ninguém esteve ali à espera mais que 2/3 minutos.

Mesmo sendo um direito que nos assiste, parece-me que, por vezes, usamos e abusamos dele indiscriminadamente, muitas vezes sem necessidade e, algumas, a roçar o ridículo.

 

Ainda as prioridades no atendimento

Resultado de imagem para dúvida

 

Se uma pessoa está na fila de um determinado serviço, e quer exercer prioridade, o que deve fazer?

a) Dirigir-se ao funcionário e dizer que quer exercer, e o funcionário comunica aos restantes que estão na fila, que aquela pessoa irá exercer o direito de prioridade

b) Para além de se dirigir ao funcionário, ainda tem que comunicar ela própria, aos restantes, que pretende exercer esse direito

 

A pessoa que está na fila à espera, tendo direito de prioridade, mas não o reclamando, poderá fazê-lo se entretanto mais alguém o fizer, e estiver atrás de si?

a) Sim

b) Não

 

 

 

A pressa...

 

...e a falta dela!

 

No outro dia, estava eu numa grande fila para a caixa, num supermercado. A caixa ao lado abriu e, por ordem de fila, quem quisesse podia ir. Foi o que eu fiz. Estava um senhor idoso atrás de mim que, disse-me o meu marido discretamente, estava primeiro que eu.

Quando chegou à minha vez, e porque não tinha a certeza se realmente o dito senhor já lá estava ou não, disse-lhe para passar, até porque só tinha uma coisa na mão. Agradeceu, mas não quis. Disse que tinha muito tempo.

A senhora de outra caixa ao lado também fez o mesmo, e ele voltou a recusar. A funcionária da minha caixa insistiu que eu o deixava passar. Não adiantou. E assim ficou ele à espera da sua vez.

Já na caixa onde estava o meu marido, chegou um rapaz com o "fogo no rabo", que não hesitou em perguntar se o deixavam passar à frente! E lá foi ele. Uns com tanta pressa, e outros sem nenhuma!

 

  • Blogs Portugal

  • BP