Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Instinto Maternal

Imagem relacionada

 

Vimos uma vez o trailer, quando andávamos à procura de um filme para ver. 

Nessa altura, ainda só estava disponível para aluguer, no videoclube da Meo.

Entretanto, recentemente, vimos que ia passar na TV e gravámos. Vimo-lo na sexta-feira passada.

 

O filme começa com um primeiro contacto entre Scarlet e um estranho vizinho, Seth, de quem a filha de Norah não gostou muito, apesar de até estudarem na mesma escola.

Mas se, no início, essa antipatia é minorizada, o mesmo não acontece quando o irmão de Scarlet, Gus, que se encontrava a cargo da irmã enquanto os pais estavam fora, desaparece de casa. Isto depois de Norah tomar conhecimento de que esse mesmo Seth andou a fotografar a sua filha em roupa interior, e a anda a assediar, enviando-lhe as fotografias para o telemóvel.

 

Todas as pistas apontam para Seth, um jovem estranho, delinquente, com antecedentes criminais, e proveniente de uma família desestruturada, como grande responsável pelo rapto de Gus mas, sem provas, não o podem manter detido.

Por outro lado, ao longo do filme, ficamos com aquela sensação de que isso seria demasiado óbvio, e que, mesmo estando envolvido, deverá haver algo ou alguém por detrás desse acto. A minha suspeita começa a cair sobre o detective encarregado do caso que, a dado momento, até "planta" provas incriminatórias em casa de Seth, levando a mãe deste a ser levada pela polícia.

 

No entanto, Norah, uma mulher de fibra, garra, capaz de tudo para ter o seu filho de volta antes que seja tarde demais, está convicta de que Seth é o raptor e não hesita em fazer tudo o que pode, resolvendo, perante uma justiça lenta e pouco activa, as coisas à sua maneira.

Norah consegue levar Seth, depois de inanimado por lhe ter dado uma pancada na cabeça, para uma casa isolada que está a tentar vender, e colocá-lo dentro de uma jaula, sem roupa e amarrado, onde pretende torturá-lo ou, até, matá-lo, se ele não lhe revelar o paradeiro do seu filho.

 

Só que as coisas não correm como seria de esperar, e agora, não só Gus corre perigo, como também Scarlet. E o tempo está a fugir por entre os dedos...

Conseguirá Norah salvar ambos os filhos? E, afinal, quem é que está por detrás do desaparecimento dos dois? Estará o instinto de Norah certo desde o início, ou será apenas o desespero a falar mais alto?

 

 

"O Quarto"

Resultado de imagem para o quarto filme

 

Também conhecido por "O Quarto de Jack", este filme mostra como uma mãe e o seu filho vivem enclausurados num quarto, durante vários anos, como se fosse algo perfeitamente banal, e aquele espaço fosse o único existente no mundo.

Já tinha ouvido falar do filme, mas sem lhe dar grande importância. Para dizer a verdade, nem sabia muito bem do que ele tratava, até o meu marido o gravar, e eu ter pesquisado mais informação.

 

 

Infelizmente, este é um tema difícil de ser abordado, com cenas que preferíamos não visualizar, mas que retrata uma realidade cada vez mais frequente.

Joy foi raptada há 7 anos (tinha apenas 17 anos na altura), e trancada naquele quarto pelo "Velho Nick", onde sofreu abusos sexuais constantes, tendo deles resultado um filho - Jack.

Poder-se-ia pensar que Joy iria rejeitar este bebé, ou que o próprio Nick se iria desfazer dele, mas não é isso que acontece. Joy cria-o como pode, evitando ao máximo que ele perceba a verdadeira situação em que estão, fazendo-o acreditar que aquele espaço é o único que existe, e que tudo o resto é fantasia ou magia.

E, assim, Jack vai crescendo, aprendendo a ler, fazendo exercício, e levando uma vida relativamente normal, com o pouco que têm, que Nick lhes leva sempre que visita Joy, e perpetua mais um abuso, com o filho a assistir, dentro do roupeiro. Joy nunca permitiu que Nick chegasse perto de Jack ou sequer tocasse nele.

A partir do momento em que Jack completa 5 anos, Joy começa a perceber que, mais cedo ou mais tarde, terão que tentar escapar e, agora que o filho já é mais velho e poderá perceber melhor a situação, conta-lhe então a verdade, e elabora um plano em que Jack será fundamental para os tirar dali para sempre.

 

 

 

Resultado de imagem para o quarto filme

 

Ora, imaginem o que é, durante 5 anos, contar uma mesma história e, de um momento para o outro, dizer que isso afinal não é verdade. E esperar que uma criança aceite o que agora é dito como real, e esqueça o resto? Não é fácil, e Jack irá, algumas vezes, revoltar-se, sentir medo, tentar ignorar.

Até porque, para Jack, o "Quarto" era um local seguro, onde ele sempre viveu, e onde tem as únicas recordações da sua infância.

Mas o plano segue adiante, e Jack e a sua mãe são mesmo resgatados, voltando para a família, colocando assim um ponto final em 7 anos de abusos e cláusura.

Resta saber como poderão Joy, os seus pais (que entretanto se separaram e reconstruíram as suas vidas) e, principalmente, Jack, conseguir recuperar a sua vida, fora daquelas 4 paredes.

 

 

Poderão os avós aceitar, com a mesma facilidade com que Joy o fez, um neto que resultou de abusos sexuais?

Poderá Joy conviver com eles, havendo essa rejeição?

Terá ela pensado, verdadeiramente, no filho, ao tê-lo mantido consigo durante tantos anos em cativeiro, ou tomado a melhor decisão?

Só quem passa por uma situação destas saberá o que se sente, e como consegue ultrapassar cada dia que passa, sem enlouquecer, sem perder o controlo, sem se deixar vencer ou, até, tomar uma atitude mais drástica, para acabar de vez com tudo. 

É isto?!

Pai e filho vão visitar a mãe, que acabou de dar à luz, e o mais recém chegado membro da família - uma menina grande e rechonchuda de 4kg.

 

A reação do pai, babado e surpreendido com o seu tamanho:

- "Uau, é esta a nossa menina?!", 

 

A reacção do filho, desapontado, talvez porque esperava encontrar alguém mais do seu tamanho em vez de um bebé:

- "É isto?!"

 

 

Sim, foi assim há quase 37 anos, quando o meu pai e o meu irmão me foram ver à maternidade! 

Another baby? That's exasperating!

 

Foi esta a reacção do filho do casal quando a mãe anunciou que estava novamente grávida! 

Simplesmente hilariante!

 

"Mãe - Tenho uma coisa para te contar.

Filho - O quê?

Mãe - Estou grávida.

Filho - Onde tinhas a cabeça? Era preciso teres outro bebé? Já tens dois! Porque é que... Porque é que... Isto é exasperante.

Mãe - Exasperante?

Filho - Porque...porque já tens dois! Porque queres ter outro bebé para substituir um dos teus filhos? É demasiado.

Mãe - Querido, nunca te substituiríamos a ti nem à Amaya. Vão apenas ter outro irmão ou irmã e têm de tomar conta dele ou ajudar a tomar conta dele.

Filho - Isso não faz sentido! Não faz sentido!

Mãe - Porque não faz sentido, Trey?

Filho - Porque se fizesse sentido tinhas dois bebés e continuavas a amá-los para sempre, não punhas outro bebé entre nós.

Mãe - A Amaya parece contente. Amaya, estás contente por ter outro irmão ou irmã? 

Filho - Que tipo de bebé é?!

Mãe - Não sei, pode ser rapaz ou rapariga.

Filho - O choro dos rapazes é pior ainda."

 

 

 

 

O "cocó menina" de Nuno Markl

“Cocó menina”: a polémica obra de arte de Nuno Markl

 

A imagem que o seu filho Pedro imaginou, e que o pai Nuno desenhou para lhe satisfazer o pedido, valeu-lhe o bloqueio do facebook por meio dia!

Alguém apresentou queixa, o desenho foi censurado por, alegadamente, não estar de acordo com as políticas da rede social, Nuno Markl reclamou, e tudo voltou ao normal 12 horas depois, sendo o desenho original devolvido ao mural do humorista.

Assim, talvez já seja seguro o Pedro pedir ao pai um "cocó menino"!

  • Blogs Portugal

  • BP