Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

O bloco de apontamentos das parvoíces

Imagem relacionada

 

Lá por casa, costumamos ter uns blocos de apontamentos na cozinha.

Por norma, servem para fazer as listas de compras ou anotar alguma informação que seja necessária.

 

Mas ultimamente, damo-lhes também outros usos.

Ou serve para fazermos desenhos de como as gatas estavam a dormir connosco, ou para apontar aquela letra que inventámos para uma música, ou para não nos esquecermos que alguma frase ou piada sem graça que nos saiu no momento.

Vamos pondo lá tudo.

 

No outro dia, peguei num dos blocos, e estive a ver o que por lá estava.

Achei engraçado ver a quantidadede parvoíces que para lá vai.

Um dia mais tarde, sempre que pegarmos neles, vamo-nos lembrar desses momentos.

 

Porque nem só de imagens são feitas as recordações, ficará sempre, para a posteridade, os nossos blocos de apontamentos das parvoíces!

 

Reflexão do dia

Imagem relacionada

 

As melhores frases ou textos que escrevemos, são aqueles em que o fazemos com as emoções à flor da pele, no calor do momento!

 

Da mesma forma que o surfista tem apenas uma oportunidade para apanhar a onda perfeita, e sabe quando chega o momento, ou da mesma forma que um fotógrafo tem uma oportunidade única para captar determinadas imagens, que não se voltarão a repetir, nem esperam que ele esteja pronto para elas, também um escritor consegue as melhores frases, textos ou escritos, quando tem as emoções à flor da pele e as ideias surgem.

Se deixarem passar o momento, as palavras já não terão a mesma força, o mesmo poder, o mesmo impacto. As ideias esmorecem e, muitas vezes, chegam à conclusão que, passado o momento sem que tenham escrito o que quer que fosse, mais tarde não valerá mais a pena, porque toda a intenção se perdeu na espera, pelo caminho...

Pérolas que tenho ouvido nos últimos dias...

 

...a propósito da adopção da Amora, depois de já ter a Becas:

 

"Então, agora arranjas também um cachorrinho, ou uma raposa!"

 

"Com tantos gatos por aí, tinhas logo que ir buscar uma aleijada?"

 

E se a primeira ainda se tolera, a segunda revoltou-me, ainda mais por ter vindo de alguém que não esperava.

Então os gatos com deficiências são menos que os outros? E se estivessemos a falar de pessoas, também seria este o pensamento?