Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

A difícil escolha de um filme

Resultado de imagem para cinema

 

Está cada vez mais difícil escolher um filme que agrade aos dois, quando no mesmo momento, temos vontades tão diferentes.

O meu marido queria ver um filme. Disse que ia escolher. Uns minutos depois diz-me:

"Tenho aqui 5 filmes para escolhermos. São todos de terror."

 

Já eu, num final de tarde de domingo, não estava para aí virada. 

"Escolhe outra coisa, tipo comédia romântica. Mas com mais romance que comédia." - disse eu.

 

Pôs um enquanto eu me despachava. Perguntei-lhe o nome. 

"Noiva em Fuga" - disse.

"Esse filme já vi!" - respondo-lhe.

 

Nova busca.

Os que ele gosta, não me dizem nada. Os que eu gosto, não lhe estava a apetecer a ele. E para dizer a verdade, em tantos canais de cinema, não havia um único filme de jeito. Para ver o mesmo de sempre, não valia a pena. Começámos a ver um. Era francês. Tirámos logo. Passámos a outro. Era chinês. Tirámos logo!

 

Pôs um que ele já tinha visto várias vezes. Não me dizia nada.Tirámos. Nisto, já mais de meia hora tinha passado entre ver trailers, ler sinopses, experimentar filmes e desistir logo em seguida.

 

Finalmente, encontrámos um: Amo-te Como És!

Já em tempos tínhamos visto a apresentação deste. Mas na altura não o vimos, porque devíamos andar à procura de outra coisa. Calhou no domingo, quando já estávamos a perder a esperança!

 

 

Para ver quando não há mais nada para ver!

 

Foi esta a frase que mais disse um dia destes ao meu marido, quando estávamos a ver trailers de filmes que nos pudessem interessar!

O meu marido punha um, perguntava-me o que eu achava e eu respondia "é bom para ver naqueles dias em que não há mais nada de jeito para ver!".

A seguir, outro, e a mesma resposta. Mais um, e resposta igual!

Diz-me ele então: "Dizes o mesmo para todos! Mas afinal o que é isso de ser bom para ver quando não há mais nada para ver?".

Pois bem, é difícil explicar, mas vamos lá ver se me faço entender: eu gosto de um determinado tipo de filmes - com muita acção, suspense, um bom romance, entre outros. Nem sempre dão bons filmes, ou bons filmes para o meu gosto, na televisão.

Nessa altura, se me está mesmo a apetecer ver um filme, existem alguns que se enquadram nessa expressão, ou seja, apesar de não serem bem o meu género, nem nada de espectacular ou emocionante, até se vêem quando não há mais nada para ver ou fazer.

E depois, há aqueles que nem pensar em vê-los! Ainda no outro dia me pus a ver o Locke, e ao fim de 10 minutos desisti! Mais de uma hora de filme com um homem ao volante e a falar ao telemóvel (sei disso porque andei o filme todo para a frente)? Tenho mais que fazer! 

 

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP