Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Os gestos não precisam de um dia específico...

Resultado de imagem para cavalheirismo

 

...para serem colocados em prática.

 

Hoje fui deixar o meu computador a arranjar na loja de informática. 

À minha frente, entrou um senhor. Eu, em seguida.

O rapaz ia atender o dito senhor, que tinha chegado primeiro.

 

Mas esse senhor, virou-se para o rapaz e disse: atenda primeiro a senhora!

 

Mesmo quando eu disse que tinha tempo, ele insistiu. E lá fui atendida num instante, expliquei o que o computador tinha, o rapaz ficou com o contacto, e saí, agradecendo ao dito senhor por me ter cedido a vez!

A propósito do E Se Fosse Consigo desta semana

 

E conforme comentei aqui, digo-vos que frases como as que a actriz em causa proferiu durante a encenação, e que outras pessoas naquela paragem também apoiaram ou acrescentaram não se destinam, exclusivamente, a casais do mesmo sexo!

Que o dígamos eu e o meu marido, que já tivemos o (des)prazer de passar por situações parecidas.

A diferença é que, enquanto casal heterosexual aceite por unanimidade e sem qualquer receio, acabámos por nos rir da situação, o mesmo não acontece relativamente aos casais homossexuais, que têm que enfrentar um mundo que teima em apontar armas contra eles, sem grande apoio da sociedade em geral e, muitas vezes, da família e amigos, em particular.

 

 

 

A primeira situação ocorreu, precisamente, numa paragem de autocarro!

Estávamos eu e o meu marido à espera do autocarro e, à falta de melhor coisa para fazer, íamos conversando, agarrados um ao outro, e dando uns beijos. Uma senhora que lá estava ficou escandalizada e começou a comentar com as outras oseu desagrado. Mas nunca, em nenhum momento, nos interpelou. E nós, ouvimos e nem ligámos.

A segunda situação foi no metro, estava eu, o meu marido e a minha filha. Eu e aminha filha num banco, e o meu marido e outra senhora em frente a nós. De vez em quando, beijavamo-nos e a senhora começou a "falar alto consigo própria" que não havia respeito, que tínhamos ali uma criança, e coisas do género.

Quando ela saiu, rimo-nos! Porque não estávamos a fazer nada de mal. Afinal, éramos um casal.

 

 

 

Concordo que existem casais que abusam na demonstração e manifestação dos seus desejos e sentimentos, e que isso seja incómodo para quem está ao pé deles e é "obrigado" a assistir. Existem casais que têm necessidade de se exibir para os outros, de mostrarem ou provarem alguma coisa a alguém. Sejam eles homo ou heterossexais.

Não me revejo nesse tipo de casais até porque, embora o meu marido seja mais expansivo em público, eu gosto de ser mais discreta,e considero que não temos que mostrar ou provar a ninguém aquilo que sentimos, e que só a nós dois diz respeito.

No entanto, as pessoas tendem a cair em extremos, e criticar meros abraços ou beijos como se estivessemos a expôr às mesmas toda a nossa intimidade. Pessoas essas que, por vezes, até fazem ou já fizeram bem pior, e vêm agora mostrar-se muito puritanas.

 

 

 

Cada um é como é e ninguém tem nada a ver com isso. Se se sentem incomodadas, afastem-se. Se não aceitam, pelos menos não critiquem. Se não conseguem ficar caladas ou indiferentes, dirijam-se às pessoas com respeito. Se não conseguem compreender, conversem, e não julguem. 

E, se não têm nada de útil para dizer, mantenham-se caladas que é o melhor que fazem, e deixem os outros viver a sua vida!

Sobre a incoerência

 

Uma das coisas com que me vou deparando cada vez mais nesta vida, é com a incoerência. Principalmente, de algumas pessoas.

 

- Pessoas que se afirmam crentes e católicas, que não perdem uma missa, e depois, cá fora, na sua vida quotidiana, agem de forma totalmente contrária aquilo que era suposto;

 

- Pessoas que enchem o peito para se gabar de serem isto e aquilo, de serem diferentes dos outros, mas depois mostram gestos que as contradizem;

 

- Pessoas que criticam os demais por porem questões pessoais e interesses acima de uma causa mais nobre, mas depois fazem exactamente o mesmo que aqueles que criticaram;

 

- Pessoas que dizem gostar muito isto ou daquilo, que querem fazer de uma actividade a sua vida, mas quando surge o momento propício para colocar em prática, têm atitudes que em nada condizem com essa paixão tão grande que afirmam sentir;

 

E isto são apenas alguns exemplos. Poderia dar muitos mais.

 

Em contrapartida, do outro lado da balança, e porque ainda há gente coerente neste mundo, encontro muitas pessoas que preferem as acções às palavras. Que não precisam de falar muito para fazer valer os seus princípios. Que não precisam de apregoar aos quatro ventos o que fazem ou irão fazer, porque os seus gestos falam por si!

Ajuda para a Becas - novo artigo

12966213_10154152894289312_937669992_n.jpg

 

Carmen Silva e Maria Betânia, mais conhecidas pelo pseudónimo Natalie K. Lynn, autora do livro "Júlia: Afinal, Existem Príncipes Encantados! vão oferecer um dos seus livros, com autógrafo personalizado, para ajudar a Becas! E desde já agradecemos este gesto de generosidade!

A ideia é rifá-lo, e por isso estão disponíveis 25 números de rifas (de 1 a 25). É só escolherem o(s) número(s) que quiserem. Cada rifa tem o valor de € 1,00. O sorteio será efectuado, através do sistema random.org, logo que as 25 rifas estejam esgotadas ou, no máximo, até ao dia 31 de Maio de 2016. Pedia aos interessados que me deixem um contacto, para que possa nessa altura pedir os dados para envio. Podem enviar para o meu email - marta.isabel.segao@hotmail.com

 

 

Sinopse
Quando chamou palhaço a Miguel Souto, o homem de bata branca que estava à sua frente, jamais passara pela cabeça de Júlia Medeiros que ele não ia desistir enquanto não a tivesse rendida aos seus encantos...

Uma missão aparentemente impossível, uma vez que há muito que a jornalista tinha deixado de acreditar em príncipes.

Mas o pediatra estava determinado a quebrar as muralhas que ela construíra em torno do seu coração para a fazer viver o conto de fadas e nada o iria impedir, nem mesmo as adversidades do destino, como a sua partida numa missão humanitária para um país africano em guerra.

Uma história empolgante sobre a descoberta do amor neste primeiro volume da coleção "Amor, Amigas e Garrafas de Vinho".

 

Deixo aqui o IBAN para onde poderão efectuar o pagamento das rifas:
 
PT50003504260003699840098 
 
1 - 
2 -
3 - Dona Pavlova - pago
4 - Chic'Ana - pago
5 - Cantinho da Casa - pago
6 - Inês Gonzalez
7 - Dona Pavlova - pago
8 -
9 -
10 -
11 -
12 - Joana - pago
13 - Anabela - pago
14 - Mula - pago
15 - Inês Gonzalez
16 -
17 - Inês Gonzalez
18 - Joana - pago
19 - Anabela - pago
20 -
21 - Inês Gonzalez
22 -
23 - Inês Gonzalez
24 - Chic'Ana - pago
25 - Mula - pago
  • Blogs Portugal

  • BP