Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Desafio de Escrita do Triptofano #5

O banquete

thumbnail_Desafio de Escrita do Triptofano.jpg

 

Numa festa, para a qual Gerofina e Pirolifes foram convidados.

 

Gerofina: Olha só para este banquete, Pirolifes! 

Pirolifes: Estou a ver, mulher. Está para aí comida que nunca mais acaba. 

Gerofina: E tem tudo tão bom aspecto! Vou provar um bocadinho de tudo.

Pirolifes: Calma, mulher! Como se conseguisses enfiar tanta comida na barriga.

Gerofina: Então não consigo? Com a fome que tenho.

Pirolifes: Quem te ouve, ainda pensa que não comes há dias.

Gerofina: Cala-te, homem! Se não queres, mais sobra para mim. Não tenho culpa que sejas pisco!

 

E, dito isto, Gerofina lança-se à mesa e, não deixando de comer, vai provando e pondo defeitos em tudo.

 

Gerofina: Hum... este bolo tem creme a mais... O frango está um bocado mal passado... Aquele vinho é muito fraquinho. Mas quem é que se lembra de comprar queijo bolorento?

Pirolifes: Oh mulher, se não queres, não estragues. Isso ainda te vai fazer mal.

Gerofina: Olha, como dizem lá na minha terra, "mais vale fazer mal, que sobrar"! 

Pirolifes (pensando para com os seus botões): É doida.

 

Uma hora depois, Gerofina começa a queixar-se.

 

Gerofina: Ai, homem, parece que me sinto empanturrada. 

Pirolifes: Pudera! Com o que enfardaste!

Gerofina: Não comi assim tanto! O meu estômago é que é sensível a estes temperos modernos.

Pirolifes: Pois, pois...

Gerofina: Ai, a minha barriga.

Pirolifes: É bem feita! Para a próxima comes menos. E estragas menos. Porque agora ninguém vai comer os restos.

Gerofina: Cala-te, homem! Tenho que ir já à casa de banho.

 

Ao fim de algum tempo, Pirolifes, já preocupado, vai ver como está a mulher.

 

Pirolifes: Então, mulher? Estás melhor? 

Gerofina: Cala-te!  Parece que vou morrer. Já não tenho mais nada para deitar para fora.

Pirolifes: Se calhar é melhor irmos andando. Em casa bebes um chazinho.

Gerofina (saindo da casa de banho): E eu lá sou mulher de chás?!

Pirolifes (encolhendo os ombros): Só estou a tentar ajudar-te.

Gerofina: Sim, claro! Deves estar todo contente com a minha desgraça.

Pirolifes: Que ideia a tua, mulher. Sinceramente.

 

E nisto, passando de novo pela sala do banquete.

 

Gerofina: Olha, sabes que mais? Vou mas é petiscar qualquer coisa. Estou a precisar de energia.

Pirolifes: Não tens emenda, mulher! 

Gerofina: O que foi? Se não me reabastecer ainda desfaleço pelo caminho.

Pirolifes: Sabes que mais? Espero por ti no carro. Haja paciência.

Gerofina (a modos que ofendida): Olha-me, este! Eu aqui doente, e ele vira costas. Assim se vê a sua preocupação! 

 

E, voltando-se para a mesa

Gerofina: Olha, ainda não tinha provado aquele pudim! Nem é tarde, nem é cedo!

 

Texto escrito para o Desafio de Escrita do Triptofano

 

Também participam 

Ana D.

Ana de Deus

Bruno

Triptofano

Maria Araújo

Cristina Aveiro

 

 

 

 

 

Fome ou Gula?...

Pois...não sei! Mas seria melhor que fosse a segunda.

Tudo começou quando a gata Boneca apareceu lá em casa e começámos a dar-lhe comida. A Boneca é uma gata de rua, filha de uma gata cuja dona não quis ficar com as crias entretanto nascidas, logo, abandonada. Ao início, ela escondia-se das pessoas e fugia assim que alguém se aproximava. Depois de ter passado duas noites lá em casa, e de ver que não lhe fazíamos mal, começou a aparecer lá no quintal com mais frequência. E nós continuámos a dar-lhe comida. Está mais "sociável", é aparentemente meiguinha e nunca mia para pedir alimento.

O problema é que, atraídos pelo novo "restaurante" gratuito, começaram a aparecer mais gatos. Gatos esses que até têm donos, que por sinal moram no andar de cima! Gatos esses que até estão bem gordos mas não hesitam em aparecer para roubarem o lugar da Boneca.

Apareceu também a cadela do vizinho da frente, e mais uma gata que eu julgava ser irmã da Boneca, mas segundo me disseram será a mãe. O que é ainda mais grave tendo em conta que ataca a própria filha para lhe roubar a comida.

Já os meus pais, "adoptaram" há alguns anos uma cadela, também ela com dono, mas que não se faz rogada perante aquilo que lhe oferecem, como se não tivesse comida em casa.

E, das duas, uma: ou estes animais não têm comida em casa, ou quanto mais comem mais querem! Ainda assim, faz-me alguma confusão animais com donos agirem como se estivessem famintos.

Seja como for, vão ter que ir roubar para outra freguesia porque aqui, enquanto eu estiver de guarda, só há lugar para os que realmente precisam.

Que me desculpem os restantes, que não têm culpa, mas é do meu bolso que sai o dinheiro, e não pretendo transformar-me em instituição de solidariedade social para animais.