Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Os livros são como as laranjas

IMG_8945.JPG

 

Depois de bem espremidos, nem sempre a quantidade e qualidade do sumo que deitam são as melhores.

Tal como as laranjas bonitas, grandes e gordas, muitas vezes, nem chegam para meio copo de sumo, também muitos livros, apesar de inicialmente apelativos, pouco conteúdo têm. 

Tal como as laranjas bem tratadas, com todos os cuidados e requisitos obrigatórios para garantir a qualidade, acabam por não ter qualquer sabor, também alguns livros não trazem nada que nos faça gostar e querer mais.

Da mesma forma, tal como as laranjas pequenas, que nascem naquelas árvores que nunca foram tratadas, mas que, afinal, são as verdadeiras laranjas, e cheias de sumo, também muitos livros, apesar de não se dar muito por eles, nos podem surpreender!  

 

Sumo de laranja muito nutritivo!

 

Quem me conhece sabe que eu sou a mulher da fruta, e que quase todos os dias faço sumo de laranja natural para beber.

O meu marido, como foi passar uns dias a casa dos avós, trouxe-me de lá do pomar umas laranjas, que costumam ser boas, além de não srem tratadas com quaisquer químicos.

Ontem, como uma delas já estava a começar a estragar-se, cortei essa metade e, com mais uma, fiz sumo.

Assim que provo, fiz logo caretas. O sumo não sabia nada bem. Ponho-me a olhar para o copo, para o sumo lá dentro, e vejo umas lagartinhas brancas a boiar! Deitei logo o raio do sumo pelo cano abaixo, bebi água para disfarçar, mas parecia que ainda tinha as bichinhas a circular aqui na garganta. 

Já há muitos anos, por pouco não mastiguei uma lagarta verdinha que estava nas couves cozidas. E uma vez apareceu-me à frente um prato de arroz com formigas.

Será que estas coisas só me acontecem a mim?