Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Mafrense: de que adianta ter um passe, se não há transporte?!

maxresdefault.jpg

 

Cerca de ano e meio depois de ter sido implementada a medida dos passes sociais, que provou ser uma excelente poupança ao final de cada mês, eis que a oferta de transportes, aqui na zona, está a piorar de dia para dia, ao ponto de deixar as pessoas nas paragens, à espera do próximo, ou a ter que usar o seu próprio veículo.

 

Passes sociais baratos, implicam mais passageiros a querer usufruir desses transportes.

No entanto, a frota de autocarros não aumentou. 

Lá uma vez por outra, vinha um segundo autocarro, em alguns horários, para fazer o "desdobramento".

 

A pandemia, por outro lado, veio limitar o número de passageiros, o que significa que estes não podem ter o autocarro cheio, como antigamente.

Como tal, a partir do momento em que o autocarro atinge a lotação permitida (e aqui depende muito do motorista que o leva, porque há uns que deixam entrar e outros não), quem estiver à espera, terá de continuar na paragem à espera.

Com a diferença de que não há "desdobramento". Não vem nenhum outro autocarro levar as pessoas que ficaram "penduradas" na paragem. E tão pouco haverá outro autocarro num curto espaço de tempo.

Normalmente, vêm de hora a hora.

 

Quem trabalha, e está a contar com o autocarro para de deslocar para o trabalho, vê-se impossibilitado de chegar a horas, sempre que não tiver lugar no autocarro que deveria apanhar. É impensável.

A alternativa será, para quem tem carro e pode, levá-lo e, com isso, gastar dinheiro em gasolina.

Ora, então, de que serve pagar um passe, se não há transporte?

De que serve poupar no passe, se depois, pra além do passe, tem que gastar em gasolina?

 

Enquanto a Mafrense não resolver estas situações (e outras como as do transbordo e ligação entre autocarros, em que muitas vezes os motoristas nem esperam), vai continuar a levar com reclamações constantes mas, no fundo, quem se lixa é quem precisa dos transportes e do dinheiro e, à falta dos primeiros, vê-se obrigado a gastar duplamente, o segundo.

Competição renhida

images (3).jpg

 

A grande dúvida estava entre o Paddington e a Cinderela. Ainda vimos o trailer do Home - A minha casa, mas não inspirou.

Chegados ao cinema, e já depois de termos decidido ver a Cinderela, verificámos que os nossos preferidos andavam ao despique, e a competição estava renhida!

53% de lotação no momento em que comprámos os bilhetes, para cada um deles, com o Insurgente a ficar um pouco mais abaixo e o Home com 8%. 

Gostei do filme! Já vimos não sei quantas versões diferentes da mesma história, já a conhecemos de trás para a frente, mas está bem feita esta nova versão!

Eu recomendo!

Lodovica World Tour

Resultado de imagem para lodotour

Depois da enorme euforia desencadeada pela passagem da tour Violetta Live 2015, em Janeiro, com os 6 concertos esgotados no Meo Arena, chega agora a vez da Lodovica Comello, que interpreta a personagem Francesca na série da Disney, visitar o nosso país, e cantar (e encantar) a solo.

Os concertos, agendados para dia 2 de Abril no Coliseu do Porto, e para dia 4 de Abril no Coliseu de Lisboa, não atingirão, certamente, a mesma dimensão que observámos com a Violetta Live Tour.

Ainda que tenha imensa popularidade entre nós, parece-me que a correria aos bilhetes, e a febre para assistir aos espectáculos, será muito menor.

Já tive oportunidade de ouvir algumas músicas dela. Algumas são bonitas, a maior parte calminhas e muito semelhantes, e confesso que não cativam tanto como as músicas da série Violetta.

De qualquer forma, é muito bem vinda ao nosso país!