Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

É preciso muito cuidado com aquilo que assinamos

Imagem relacionada

 

 

Porque, uma vez assinado, estamos a dar o nosso consentimento, a nossa autorização. E, nestes casos, de nada serve mudar de ideias e telefonar a dizer que já não temos interesse, que fica sem efeito.

 

Isto vale para todos nós, mas sobretudo para os mais idosos, os mais susceptíveis de serem ludibriados, convencidos, manipulados.

E refiro-me, maioritariamente, às empresas de fornecimento de energia do mercado livre que, volta e meia, batem à porta para tentar a sua sorte, e se aproveitam de quem não percebe muito do assunto mas fica sempre satisfeito quando ouve a palavra "desconto" na factura, ou a frase "fica tudo igual, mas paga menos".

 

 

Aconteceu a alguém próximo de mim. Não uma, não duas, mas três vezes!

Sim, a pessoa parece que não aprende. Mas a culpa não é apenas dela.

Da primeira vez, quando tentaram anular o contrato assinado, disseram que aquele telefonema seria suficiente, já que estava dentro do prazo para mudar de ideias. Ainda assim, enviaram carta registada com aviso de recepção, por segurança.

Passados uns meses, a mesma situação. O mesmo procedimento.

 

 

E agora, a história repete-se, com outra empresa. Só que não perceberam. Deixaram passar o tempo. Só viram que algo estava errado quando receberam uma factura da anterior empresa em que mencionava rescisão de contrato.

Ao ligar para lá, ficaram a saber que isso de devia a terem mudado de empresa fornecedora. Foi aí que perceberam que, apesar de no dia seguinte a terem assinado o contrato com a nova, terem ligado a dizer que não queriam avançar, e de esta ter respondido que assim ficava sem efeito, o contrato tinha mesmo seguido para a frente!

E ninguém quer saber que não seja o mesmo titular a assinar os contratos, nem tão pouco é necessária uma rescisão escrita para a empresa com a qual tinham contrato até à data. Desde que forneçam os dados, a mudança é feita automaticamente.

 

 

 

Por isso, para que conhece ou tem familiares que possam ser "vítimas" desta forma de actuação, ou para aqueles que podem, sem querer, cair nestas "armadilhas", nunca é demais lembrar que:

 

  • evitem abrir a porta a pessoas estranhas, que vos pareçam que andam a oferecer serviços 
  • caso abram a porta, nunca os deixem entrar em casa
  • nunca forneçam dados que sejam pedidos por essas pessoas, nem lhes mostrem as vossas facturas da empresa que têm
  • se estiverem sozinhos, ou tiverem dúvidas, peçam para deixar o cartão ou folheto com o contacto para, caso haja interesse, ligarem mais tarde (é sempre uma forma de adiar a decisão e poder falar com alguém que possa ajudar)
  • nunca acreditem em tudo aquilo que vos dizem, sobretudo se parecer que a esmola é grande demais, que dá para desconfiar
  • nunca assinem nada, sem terem a certeza daquilo que estão a fazer
  • caso assinem, mostrem logo que possível os documentos a alguém, que poderá ajudar de imediato caso haja intenção de cancelar
  • se pretenderem mesmo anular o contrato assinado, façam-no sempre por escrito, através de carta registada, para que fiquem com uma prova de que o fizeram (os telefonemas nem sempre são eficazes e, por mais que as chamadas sejam gravadas, por vezes desaparecem misteriosamente, ou são eliminadas do sistema ao fim de algum tempo)

 

 

 

 

Com fantásticos descontos e omissão de informações, se enganam as pessoas!

 

Ontem chego a casa e o meu pai pergunta-me: "Conheces uma loja perto do restaurante X que tem lá na montra PAGAQUI"? Respondo-lhe que não.

Ah e tal, esteve cá hoje um senhor da Quercus e agora vamos passar a ter 15% de desconto na factura da luz, e paga-se nessa loja.

E dizia a minha mãe: "ah, mas o senhor disse que isto é sério, não estão aqui a enganar ninguém, tanto que logo em seguida comunicou para a colega e ela ligou para cá a confirmar".

Ora, toda esta conversa me soou muito estranha. O que é que a Quercus tem a ver com a EDP, e com essa tal loja onde se podem fazer pagamentos, e quem é que ia oferecer esse desconto, e por que motivo?

Mais estranho ainda me pareceu quando o meu pai disse que tinha assinado um contrato. Quando ele me passa os papéis que assinou para a mão, encontro a explicação!

Tinha acabado de mudar de companhia fornecedora de electricidade sem saber! Diz-me ele: "então mas eu disse que tinha a EDP Comercial e o senhor disse que não havia problema, que isto não ia interferir em nada, que não tinha nada a ver e que não ia perder nada"!.

Pois, digo-lhe eu, mas isto que tu assinaste é um contrato de fornecimento de electricidade com a Endesa!

Ligo para o contacto que o senhor tinha deixado ao meu pai, explico-lhe que não informaram correctamente o meu pai e que ele não percebeu que ia mudar de companhia, e que queria cancelar o contrato, ao que ele me responde que não tinha que fazer nada porque o contrato não tinha nenhuma fidelização, nem nenhum vínculo, e que quando recebesse uma nova chamada da Endesa era só dizer que não queria.

Desculpe? Um contrato por si só já é um vínculo, senão não seria necessário. E aqui no contrato assinado diz que para resolver o mesmo temos 14 dias, e é preciso ligar para um determinado número, ou enviar carta.

Ah, mas não é preciso porque o contrato, a partir da assinatura, leva 30 a 45 dias a ser activado, por isso quando lhe ligarem pode dizer que não quer.

Então e o que é que me serve de prova em como resolvi o contrato? A gravação telefónica? É porque vocês têm um contrato assinado pelo meu pai. Quem me garante que, daqui a uns tempos, não vêm dizer que o contrato está válido. Que garantia é que tenho que o contrato fica sem efeito?

A esta altura, já o homem estava a ficar passado, a querer ver-se livre de mim! Ele só dizia que o contrato ainda não era válido, e se dissesse que não queria ficava sem efeito. Depois, deu-me um outro número para eu ligar. E entretanto ficou de me enviar não sei bem o quê para o email porque a chamada estava muito má.

"Ah e tal, o que eu disse ao seu pai é que nós tínhamos vencido o leilão da DECO e estávamos a oferecer um desconto de 15%, mas se o seu pai não quer, não quer"!

Pois, mas em nenhum momento lhe explicaram que eram da Endesa, e que ao assinar o contrato convosco estaria a deixar de ser fornecido pela EDP Comercial, para passar a ser por vocês!

Claro que o logotipo da Endesa estava no contrato e nas restantes folhas que o meu pai assinou, e ele deveria ter visto e percebido o que estava a assinar. Ainda mais ele, que está sempre a aconselhar os outros a terem cuidado. Mas não o fez. Foi na boa conversa de vendedor, nos descontos, na omissão daquilo que não interessava falar, no não ter que se preocupar que nada muda, e foi bem enganado! 

Por isso, se vos aparecer (ou a familiares vossos) à porta, senhores como estes, informem-se bem antes de assinarem o que quer que seja. Principalmente pessoas mais idosas, que são mais susceptíveis de serem ludibriadas.

Não digo que o serviço não seja bom, que o desconto não compense ou que a pessoa não mude de companhia. Mas tem que estar ciente e bem informada do que está a fazer.

 

  • Blogs Portugal

  • BP