Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Das pedras com que nos deparamos no nosso caminho

steinturm-773e02db-7626-404f-9651-cd92dd1b3c6a.jpg

 

Sabem aquela expressão "As pedras que encontrar no caminho, guardarei todas, para um dia construir um castelo"?

Para algumas pessoas, não é apenas uma frase, é mesmo a sua forma de estar na vida.

 

Enquanto algumas usam essas "pedras" como desculpa, para não avançar, ou guardam-nas, em jeito de peso que são obrigadas a carregar, dificultando-lhes a vida, outras encontram formas de lhes dar uso, de utilizá-las a seu favor, e seguir em frente.

 

Há quem passe a vida a lamentar-se pela tragédia, e quem se alegre, apesar de, ou graças, a ela.

Há quem se valha dos maus momentos, para justificar o facto de não fazer nada. E quem se sirva deles para ir à luta.

Há quem transforme a dor em mágoa. E quem a transforme em força.

Há quem se deixe moldar ao que de mau lhe aconteceu. E quem, apesar de tudo, mantenha a sua essência.

 

Há quem queira permanecer na escuridão. E quem procure encontrar a luz.

Há quem se resigne. E quem nunca deixe de procurar a saída. 

 

Haverá sempre quem passe a vida a vitimizar-se. E quem decida não se transformar para sempre numa vítima.

Haverá sempre quem queira viver a sua vida infeliz.

E quem nunca baixe os braços, para voltar a ser feliz!

 

 

Inspirado no post de ontem da Sofia, e em todas as pessoas que não se deixam vencer pelas adversidades da vida, que não desistem, que vão à luta. E que escolheram ser felizes!   

Porque é tão difícil dar o primeiro passo?

35005205_l-810x539.jpg

 

Muitas vezes, até queremos dar o primeiro passo, em diversas situações, mas algo dentro de nós, nos trava. Algo nos faz ficar estáticos, petrificados, colados, imóveis, sem nos conseguirmos mover, em direcção ao que queremos.

É quase como se estivéssemos a carregar, ao mesmo tempo, no acelerador e no travão.

Como se estivéssemos num baile, com imensa vontade de dançar e, ainda assim, esperássemos que alguém abrisse a pista, para depois irmos nós.

Como se estivéssemos numa passadeira, à espera que a pessoa ao nosso lado comece a atravessar, para fazermos o mesmo.

Porque é que temos tendência a esperar que os primeiros passos sejam dados sempre pelos outros, e não temos a coragem, a confiância, a atitude, a audácia, a humildade, de darmos nós o primeiro passo?

 

Ou temos que ser sempre, de certa forma, "obrigados", empurrados, impulsionados por algo, nem sempre bom ou positivo, a dar o primeiro passo? 

 

E se mais ninguém der o primeiro passo?

Ficamos para sempre no mesmo sítio? Na mesma situação? Na mesma posição?

Deixamos de lutar por aquilo que queremos, e fazer aquilo que ambicionamos?

Desistimos de tudo, porque os nossos pés estão demasiado entorpecidos para se mover?

 

Se não lutarmos por aquilo que queremos, quem o fará?

Imagem relacionada

 

 

Se temos um objectivo, temos que ir à luta, para o concretizar.

Se nos deparamos com obstáculos pelo caminho, há que os contornar.

Se nem sempre as coisas acontecem quando queremos, temos que ser pacientes, saber esperar. Um adiamento é apenas isso, um adiamento. É uma vírgula numa frase, para uma pausa, e não um ponto final.

E se, pelo caminho, começamos a perder a determinação, a força, a coragem e a vontade, temos que contrariar o nosso pensamento, e encontrar a motivação necessária, nas mais pequenas coisas a que nos pudermos agarrar, para continuarmos a avançar.

As coisas não nos caem nos braços por obra do acaso. Nada nos é oferecido de bandeja. Nada se consegue sem esforço.

Por isso, não basta ficar parados à espera que a vida passe por nós. É preciso fazermo-nos ao caminho, e passarmos nós pela vida, aproveitando tudo o que pudermos ao longo dessa passagem.

 

 

 

Do valor da amizade

Foto de Marta E André Ferreira.

 

A verdadeira amizade supera tudo!

E deve ser preservada, acima de qualquer outra coisa.

Por isso, lutem por ela. Não fiquem, simplesmente, a vê-la desmoronar-se, como se tudo o que construíram não tivesse qualquer significado.

Esqueçam o futuro, e vivam o presente, porque é a única coisa certa que têm!

Sejam sinceros, honestos, verdadeiros. E tudo se resolverá, se ambos quiserem lutar, se acharem que vale a pena lutar!

O "não" está sempre garantido!

eb85ee749a01c0e372b7629759898966.jpg

 

Se não lutarmos por aquilo que queremos, quem o fará?

Sempre fui mulher para ficar quieta no meu canto, e não me aventurar em certas coisas porque o mais provável era não resultar, o mais certo era ouvir um "não" como resposta.

Mas, de há uns tempos para cá, tenho agido de forma diferente. 

É verdade que o "não" está sempre garantido. Mas também pode vir um talvez ou, quem sabe, um sim. E nunca saberemos se isso acontecerá se não arriscarmos, se não tentarmos. Quem não arrisca, não petisca!

Afinal, o que temos a perder? Nada.

Mas podemos vir a ganhar!

 

Sim, por vezes (muitas vezes) é mesmo o tão esperado "não" que chega, isto quando chega alguma coisa. E sim, desanimo. Queria que tivesse dado certo. Não consegui. E dá vontade de voltar a ficar quietinha e não perder tempo com mais nada.

Mas a vida é mesmo assim. Ouvimos muitos "nãos", e ainda havemos de ouvir muitos mais.

Passado o desânimo, está na hora de levantar novamente os braços e continuar a lutar pelos objectivos. 

Se der, melhor. Se não der, paciência!

 

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP