Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Rotinas boas e rotinas más

unnamed.jpg

 

Rotinas…

Existem rotinas boas. E rotinas más.

Existem rotinas necessárias. Que trazem organização, planeamento, hábitos saudáveis.

E rotinas dispensáveis. Que cansam, que aborrecem, que não nos deixam viver em pleno.

Existem rotinas que queremos manter para sempre. E outras que gostaríamos de empurrar para longe.

Existem rotinas que fazem sentido. E outras que mais não são, que uma obrigação.

Existem rotinas que foram criadas para serem seguidas. E outras que devem mesmo ser quebradas.

Existem rotinas sobre as quais não temos qualquer poder, que nos foram impostas pela vida. E outras, que somos nós que as fazemos.

É bom criarmos e termos rotinas, se elas ajudarem a melhorar a nossa vida.

Mas será ainda melhor aboli-las, sempre que pudermos, quando estas nos prejudicam mais do que ajudam.

 

O desespero leva sempre a más decisões?

Resultado de imagem para desespero

 

Será que uma decisão tomada num momento de saturação, cansaço ou até desespero, é uma decisão tomada de forma totalmente consciente?

Será uma decisão bem ponderada, depois de analisados, friamente, os prós e os contras? 

Será uma decisão acertada e certeira?

Ou estaremos a tomar uma decisão com a visão turvada pelo calor do momento, quando estamos de cabeça quente e nem conseguimos raciocinar?

Será que o desespero leva sempre a más decisões, e más escolhas, das quais mais tarde nos iremos arrepender, por terem sido tomadas de forma precipitada?

Ou será possível, mesmo no meio do desespero, termos o discernimento de tomar uma decisão que se revelará positiva?

E, afinal, quantas decisões não são tomadas depois de muito debatidas, e se revelam as piores que poderíamos ter tomado?...