Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

À Conversa com Manuela Mota Ribeiro

 

 

 

Manuela Mota Ribeiro nasceu em 1970, na cidade do Porto. Formou-se em Medicina, especializou-se em Medicina Física e de Reabilitação, foi diretora da Clínica Pedagógica da Universidade Fernando e assistente de Anatomia Clínica da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Depois de vários anos dedicados à atividade médica e ao ensino universitário, Manuela Mota Ribeiro dedica-se, actualmente, quase em exclusivo à escrita, num projeto familiar que plantou o Jardim das histórias.

 

 

 

Para além de vários livros infantis com uma vertente educativa, desde novembro que o Jardim das histórias tem um stand no Mar Shopping, com diversas actividades que podem envolver não só as crianças como também os pais.

 

 

 

Através das diversas histórias, que vivem nos livros, e que podem ser acompanhadas com as músicas do CD "Mil e Uma Cores", as crianças podem captar muitas mensagens importantes para a sua educação e saúde, principalmente, se identificarem determinados comportamentos do dia-a-dia ou criarem empatia com as personagens.

Para nos mostrar este belo jardim, e em representação de todos os "jardineiros" que o tornam possível, tenho hoje como convidada Manuela Mota Ribeiro, a quem desde já agradeço por ter aceitado o meu convite!

 

 

 

 

Como é que nasceu o Jardim das histórias? Quando é que começou a ser plantado?

Apesar de o nome “Jardim das histórias” só ter sido adotado no ano de 2014, eu considero que este Jardim começou a ser plantado no dia 1 de junho de 2006, no momento em que eu contei, pela primeira vez, a história “Jardim do Arco-Íris” às minhas filhas, Mariana e Diana.

Nessa altura, não imaginava que um mês depois estaria a escrever a minha primeira história infantil e a solicitar a ajuda da minha irmã Susana para fazer as ilustrações; da Sofia para fazer uma música; da Luísa para fazer a avaliação psicológica; da minha mãe para fazer a revisão dos textos; e do meu pai e do meu irmão!

 

Todas as histórias do vosso Jardim promovem a saúde e a educação das crianças. Considera que os livros são uma boa forma de educar as crianças?

Sem dúvida. Através das histórias que vivem nos livros, as crianças podem captar muitas mensagens importantes para a sua educação e saúde. Quando identificam determinados comportamentos do dia-a-dia, quando se identificam ou criam empatia com determinada personagem, é mais fácil chegar a elas e fazê-las compreender aquilo que pretendemos. Além disso, estamos a incentivar a leitura, que, por si só, já traz imensos benefícios para as crianças. E não posso deixar de referir que dentro dos nossos livros existem, geralmente, espaços informativos dirigidos aos adultos que acompanham o crescimento das crianças.

 

A Manuela tem vindo a participar em sessões educativas sobre as suas histórias em diversas escolas do país. Como tem sido essa experiência?

Tem sido uma experiência muito gratificante! Gosto muito de estar com as crianças, de lhes contar histórias, de partilhar com elas experiências da minha vida, coisas que eu aprendi, incentivando-as a melhorar tudo o que estiver ao seu alcance, de modo a sentirem-se felizes e bem integradas na sociedade.

 

Para acompanhar as histórias, nada melhor que a música. “Mil e uma cores” é o CD que reúne as músicas de cada uma das histórias. Quem é que dá voz a essas músicas? E quem as escreveu?

Sim, a música enriquece muito as histórias e ajuda a consolidar as mensagens que pretendemos passar, além de estimular outras valências importantes, como, por exemplo, o ritmo.

Este CD tem 8 músicas. Esperamos, proximamente, lançar um novo CD com as músicas mais recentes, que já são bastantes.

Foi a minha mãe que escreveu as letras da maioria das canções. Eu escrevi a primeira e tenho ajudado nas restantes. A minha irmã Sofia também escreveu algumas e claro que participa em todas, pois é ela que compõe as nossas músicas. A Sofia é a voz principal e, depois, temos várias vozes a acompanhar cada canção: por exemplo, na música “O poder de uma boa ação”, cantamos as quatro irmãs e as minhas duas filhas. Na última  – “Quero ser como a avó”  – cantam as minhas sobrinhas, a minha filha mais nova e dois meninos que também já participaram nos nossos videoclipes.

 

Em novembro, estrearam o vosso Stand no Mar Shopping. O que podem encontrar as crianças ao visitar o Stand? Que atividades desenvolvem nesse espaço?

No stand do Mar Shopping, as crianças encontram os nossos 15 livros e o CD “Mil e uma cores”, os bonecos que costumo usar nas sessões de apresentação e os CD de música jazz da minha irmã Sofia. Encontram, ainda, 4 mesas, que não são mais do que flores do Jardim do Arco-Íris! Podem sentar-se nas pétalas e fazer um desenho ou uma atividade que esteja disponível, ou simplesmente ler um livro. Ao sábado de tarde, entre as 17 e as 18h, decorrem atividades específicas, habitualmente relacionadas com as temáticas das nossas histórias, nas quais os pais e as crianças se podem inscrever através do email jardimdashistorias@gmail.com.

 

Existe algum livro que seja mais procurado pelas crianças ou, de uma forma geral, gostam de todos?

O livro que mais atrai as crianças é o “Kiko, o dentinho de leite”, mas, geralmente, quando uma determinada história é trabalhada na escola, as crianças gostam muito e fazem questão de mostrar a sua satisfação.

 

A Manuela é formada em Medicina e dedicou-se, por vários anos, à atividade médica e ao ensino universitário. Ainda exerce essas atividades ou dedica-se, em exclusivo, à escrita?

Deixei a bata branca em novembro de 2009 e a Faculdade de Medicina do Porto – onde dava aulas de Anatomia Clínica – no ano de 2010. Atualmente, dedico-me em exclusivo a este projeto, sim.

 

Em 2016, irão nascer novas "flores" no Jardim das histórias? Que projetos tem em mente para este ano que aí vem?

Sim, todos os anos nascem novas “flores”! Ainda não lhe posso dizer quais serão, pois geralmente só a partir de junho é que nós selecionamos os temas a editar. São várias as sementes que podemos usar!...

 

Muito obrigada, Manuela!

 

Saibam mais em:

www.jardimdashistorias.com/

https://www.facebook.com/jardimdashistorias

 

 

 

 

Manuela Mota Ribeiro vai à escola

É hoje que a escritora Manuela Mota Ribeiro vai à escola Hélia Correia, em Mafra.

Manuela Mota Ribeiro nasceu em 1970, na cidade do Porto. Formou-se em Medicina, especializou-se em Medicina Física e de Reabilitação, foi diretora da Clínica Pedagógica da Universidade Fernando e assistente de Anatomia Clínica da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Depois de vários anos dedicados à atividade médica e ao ensino universitário, Manuela Mota Ribeiro dedica-se, actualmente, quase em exclusivo à escrita.

Aqui ficam alguns dos livros da escritora que, através de bonitas e divertidas histórias, promovem a educação das crianças: 

 

Esta história apela ao valor do esforço e do trabalho em conjunto, em direção a um objetivo comum. Mostra o rico significado de um sacrifício em função da felicidade do outro.

 

Retrata a importância da higiene oral e o papel fundamental da prevenção.

 

 

Este livro aborda o tema do "bullying" de uma forma muito divertida e, ao mesmo tempo, com uma grande sensibilidade e proximidade àquilo que é o dia a dia das crianças no contexto familiar e escolar.

 

Esta história pretende chamar a atenção dos leitores para a necessidade de respeitarmos e ajudarmos os outros, de um modo especial aqueles que, por alguma razão, apresentam limitações ou se sentem diferentes. 

 

Esta história serve de alerta para os problemas de autoimagem, tão frequentes nos tempos que correm, e reforça a importância da construção de uma autoestima sólida.

 

Ecolácia é uma aldeia muito especial, onde as palavras natureza, ambiente e respeito se misturam com alegria e bem-estar. Certo dia, uma criança encontra um dejeto canino no jardim onde costuma brincar, o que provoca o espanto de todos... 

 

Esta história chama-nos a atenção para os problemas relacionados com a segurança rodoviária e alerta-nos para a importância do cumprimento das regras. 

 

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP