Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Sobre o Masterchef Júnior

 

Não tenho visto, mas a minha filha pôs a gravação do outro domingo e acabei por ver aquele programa, até porque está lá um rapaz - o Gonçalo - que é aqui de Mafra, e já foi colega de turma da minha filha! Ele já tinha participado na edição anterior, mas nesta está a ir bem mais longe.

 

De entre os concorrentes, há alguns que destaco:

 

A "mascote" - acho o miúdo muito engraçado, divertido, e lembra-me um pouco o Pedro Jorge, da edição anterior.

 

 

 

A Maria é uma tentativa de imitação da Maria da edição anterior, mas não conseguida.

 

 

O José, ou como eu lhe chamo "mini Miguel", é muito querido e sossegado. Tem-se safado à conta, de ser eliminado.

 

 

O Nuno parece ser um dos favoritos à vitória. Gostei da postura dele durante o programa.

 

 

A Joana acabou por sair, fez-me lembrar muito a Rosarinho, da edição anterior.

 

 

Imagens http://www.tvi.iol.pt/

 

Masterchef Júnior - A Grande Vencedora

 

Está encontrada a grande vencedora do Masterchef Júnior Portugal - a Maria!

Se foi uma vitória justa? Isso é tudo muito subjectivo.

Tendo em conta esta final a Maria foi, sem dúvida, a que mais se destacou a par com o João Mata, e mereceram os dois disputar a última prova.

Relativamente a todo o programa, talvez a Maria tenha sido mais constante, com pratos nem sempre tão arrojados ou apelativos, mas que vingaram. Na minha opinião, penso que houve algumas provas em que foi favorecida, em detrimento de outros colegas.

O João Mata, por sua vez, teve um percurso mais conturbado - ora apresentava os melhores pratos, ora as coisas lhe corriam mal e não era bem sucedido. Houve uma altura em que temi que ele saísse, embora fosse um dos meus favoritos à vitória.

Nesta final, e no momento de escolher o primeiro finalista, a disputa foi entre João Mata e Maria. Ganhou o primeiro, que saltou directamente para a última prova.

A Maria ainda teve que conquistar o seu lugar, numa prova em que as voltas foram trocadas aos três concorrentes, e cada um teve que cozinhar, precisamente, aquilo que não queria. Foi a vez da Maria seguir adiante.

No duelo final, as entradas dos dois estavam muito equiparadas, com óptimo aspecto e bem apresentadas. Já o prato principal de ambos deixou muito a desejar. Nas sobremesas, voltaram a equilibrar-se e a tarefa de escolher apenas um não terá sido fácil para os jurados.

De um lado, alguém que aposta em pratos arrojados, mas que poderiam ser mais trabalhados e melhorados. De outro, alguém mais contido, que apresentada pratos mais simples, mas que consegue bons resultados.

Qualquer deles seria um justo vencedor! Mas só um poderia levar o troféu e ganhar o título. Venceu a Maria.

Parabéns Maria! Parabéns João Mata! 

 

 

Imagem MasterChef Portugal

Masterchef Júnior - O Top 6

 

E chegámos ao Top 6 do Masterchef Júnior.

Os seis magníficos, escolhidos para seguir para a 9ª semana, são:

 

João Mata - desde o início tem mostrado ser um bom cozinheiro e versátil, mas talvez a pressão o tenha traído nas últimas galas, e o tenha feito passar de concorrente com mais pontos, para outro com pontuações baixas, devido a prestações menos bem conseguidas. Ainda assim, continua a ser um dos meus favoritos à vitória, graças à sua versatilidade e forma de ser e estar.

 

Maria - o que dizer da Maria? Tão depressa gosto das suas atitudes, como me consegue irritar com elas! Ao longo do programa, tem sido quase sempre presenteada com os votos mais altos dos jurados, e com a escolha, para prova, dos seus pratos. Revela bastante versatilidade, humildade, tem lidado bem com a pressão e os insucessos que, por vezes, lhe batem à porta, e tem grandes hipóteses de vir a ganhar.

 

Kiko - gosto deste miúdo! Ele não é, certamente, dos melhores que lá está, mas tem ideias originais, que nem sempre na prática correm bem, é verdade, e tem gosto naquilo que faz. Assume os erros, vai à luta, e tem conseguido ficar no programa semana após semana. Vamos ver o que o futuro lhe reserva.

 

Pedro Jorge - os portugueses estão rendidos a este miúdo, tal como eu, pela graça que deu ao programa, pela simplicidade e humildade. Já cozinhou bons pratos, principalmente de carne, mas não é muito versátil, e não será o melhor chef deste Top. De qualquer forma, no último programa mostrou que ainda sabe algumas coisas, e que nem sempre os melhores têm razão! Mesmo que não vença o programa, já não se livra da fama que alcançou!

 

Rosarinho - a doceira! Tem merecido rasgados elogios pelos seus pratos doces apresentados, mas nem tanto nos salgados. Tem estado no seu cantinho, e passado todas as semanas de forma discreta. Este domingo, vimos uma outra faceta dela, não muito favorável, e a sua relutância e mania de superioridade em relação ao Pedro Jorge. Não sendo versátil e, sendo o seu único ponto favorável os doces, não acredito que se sagre vencedora.

 

Tomás - já é bem conhecida a minha antipatia por este rapaz, desde os tempos em que ele e o Gonçalo formavam a dupla dos superiores! Continua com uma certa arrogância e a mania de querer fazer tudo sozinho, quando se pede trabalho em dupla ou equipa, e acha que tem sempre razão.

No entanto, a verdade é que tem apresentado, de uma forma geral, pratos muito bons e tem estado várias vezes entre os melhores. É bastante versátil, e tem hipóteses de ganhar o programa, se continuar assim. 

Imagem MasterChef Portugal

Masterchef Júnior - Saiu um dos meus favoritos

 

Sobre o programa Masterchef Júnior de ontem não há muito a dizer:

 

- como já se adivinhava, a Gabriela não ficou por muito tempo após a repescagem, o que me leva a pensar se, caso a Carolina tivesse entrado em vez dela, esta não teria tirado maior partido desta segunda oportunidade

 

- Os nervos estão cada vez mais à flor da pele, a exigência é maior, a pressão também, e isso reflecte-se nos concorrentes que se enervam, desorientam-se e choram

 

- Foi bonito ver a amizade e entreajuda entre colegas, e a postura de alguns concorrentes na hora de apresentar os pratos e lidar com as críticas negativas

 

- Na prova em que os concorrentes tiveram que provar os pratos dos grandes chef's, a maioria dos convidados foram homens. Talvez sejam mesmo estes melhores cozinheiros que as mulheres! E mais simpáticos também!

Não consigo simpatizar com a Justa Nobre, por muito boa chef que seja (já ouvi críticas bastante negativas aos seus restaurantes), e acho que não tem jeitinho nenhum a lidar com os mais novos, a julgar pela forma como falou com o concorrente ontem

 

- Gostei de alguns dos falsos pratos, que estavam muito bem conseguidos e disfarçados, especialmente o hamburguer

 

- Continuo a achar que os pratos elaborados ao longo destas edições nem sempre são os mais saudáveis, e deveria haver um maior cuidado

 

- Infelizmente, e com muita pena minha, saiu um dos meus concorrentes favoritos - o António. Espero que o João Mata continue por lá mais tempo, porque nas últimas provas não esteve no seu melhor, e voltando a pontuação ao zero todas as semanas, arrisca-se a sair 

 

Imagem http://www.tvi.iol.pt/masterchef/

A terceira protagonista do Masterchef Júnior

 

 

Depois do "engraçado" Pedro Jorge, e do "malvado" Gonçalo, eis que está definida a terceira protagonista deste Masterchef Júnior, a "amiga, divertida e boazinha" que passou agora a "irritante" - Maria!

Esta miúda já tinha vindo a ganhar protagonismo e caído em graça, principalmente junto do Manuel Luis Goucha, devido ao seu gosto pela moda, e a sua forma extrovertida de ser.

Eu confesso que, no primeiro programa, não achei muita piada à miúda. No segundo programa, devido à situação com o Gonçalo, considerei que esteve bem, e comecei a simpatizar mais com a Maria.

No entanto, devo dizer que a atitude dela no último programa foi exagerada e desnecessária.

Não é fácil ter a responsabilidade nos nossos ombros, e ter que fazer tudo para não falhar. Não é fácil lidar com a pressão, e com toda uma equipa, de forma calma e segura, e manter tudo sob controlo e os membros unidos.

A Maria percebeu agora o que o Gonçalo passou quando esteve nesse lugar de chefe de equipa, e mostrou que também ela não soube lidar da melhor forma com o cargo.

Compreendo que, por atitudes anteriores, ela já não goste muito de trabalhar com o Gonçalo. Compreendo que tenha os seus próprios métodos de trabalho, e de limpeza. Até compreendo que a "lentidão" lhe faça alguma confusão, numa prova em que todo o tempo é precioso e conta.

Mas a implicância exagerada com o Gonçalo, o estar constantemente a criticá-lo, numa discussão que não lhe ia adiantar os pratos que estavam por confeccionar, era escusada, e só lhe ficou mal.

Porque, por vezes, não basta ter razão. A nossa razão perde-se com determinadas atitudes que temos para com as pessoas visadas.

Se a postura contasse, a vencedora da prova de equipas seria, para mim, a equipa azul. Ganhou a equipa vermelha, a Maria ficou muito feliz por ter vencido, mas tem agora os holofotes que, anteriormente, estavam apontados para o Gonçalo, centrados em si, e não pelos melhores motivos. 

Fico a aguardar os próximos programas, para ver a quem caberá o novo papel, e que papel estará reservado para esse concorrente.

 

 

Imagem: http://www.tvi.iol.pt/masterchef/

 

  • Blogs Portugal

  • BP