Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Coisas que só me acontecem a mim III

maitena.jpg

 

Achar que tenho o trabalho encaminhado e, por isso, vou ter algum tempo livre para descansar em casa e, quando lá chego, deparo-me com as prateleiras da estante da sala tombadas, e tudo o que lá estava em cima espalhado pelo chão fora!

É nisto que dá comprar coisas baratas. Sempre se disse que o barato sai caro e, neste caso, confirma-se! Mas a minha carteira não dava para mais que uma estante fraquita da Moviflor, e o resultado foi este. E nem vale a pena reclamar, porque abriu falência!

E, assim, ocupei o tão ansiado tempo de descanso a montar de novo as prateleiras, com umas peças mais resistentes para não quebrarem, e a tentar colocar tudo de novo lá em cima, sem mais acidentes. Por via das dúvidas, e porque ao mínimo toque, da maneira que a estante está, tudo pode descambar de novo, acabei por colocar várias coisas em cima da estante, em vez de dentro. 

Conclusão: uma pessoa compra uma estante para arrumar toda a tralha que tem, e acaba por não poder utilizá-la, porque não aguenta!

 

 

 

Muito pedem os professores

Resultado de imagem para professor

 

É impressionante como este ano não paro de falar dos professores. Coitados, ainda vão pensar que tenho alguma coisa contra eles!

Mas, por vezes, não compreendo estas ideias que lhes surgem, ou que lhes são impostas por superiores, mas que acabam sempre por sobrar para os pais, mais precisamente, para a carteira dos pais.

A professora de Educação Tecnológica elaborou uma lista de material que os alunos deveriam levar para a aula, para um trabalho.

Inicialmente, era para ser feito em duplas e, por isso, a minha filha e o colega dividiram entre eles o que cada um levava.

Chegados à aula, a professora mudou de ideias e passou a ser um trabalho individual, ou seja, cada um tinha que levar o material todo.

O que me faz alguma confusão é que, das duas uma: ou os professores pensam que os pais são tipo uma loja ou armazém onde existe de tudo um pouco, ou pensam que todos os pais têm disponibilidade financeira para as "brincadeiras" que se lembram de fazer.

Não vejo nenhum professor dizer "estejam descansados que eu arranjo o material necessário para todos" ou então "quem não conseguir ou não puder, que diga". O que a professora disse foi, simplesmente, onde podíamos ir comprar o material!

Ah e tal, cabides de arame - vão ao AKI ou então a uma lavandaria! A pilha, a lâmpada, o casquilho, o fio eléctrico e a fita adesiva, vai a tal loja!

E, depois, ainda é preciso clipes, um tudo de caneta e uma caixa de sapatos.

Esta brincadeira saiu cara, e ainda estou para ver se a culpa foi, em parte, da minha filha, que nem sequer trouxe o caderno para casa com a lista do material e não me soube informar o que, exactamente, era preciso, ou se foi inteiramente da professora, que não terá especificado o que eles deveriam levar. 

É que quando fui à dita loja comprar o material eléctrico, a funcionária perguntou-me que tipo de lâmpada e que tipo de pilha tinha pedido a professora. Não lhe soube responder. Assim, vendeu-me um kit que diz que anda a vender para alunos de um outro colégio, colégio esse que forneceu uma lista especificada.

A minha filha só me disse que era preciso uma lâmpada média, um casquilho, e uma pilha rectangular. Já lhe tinha comprado tudo isso, mas depois tive que gastar mais dinheiro porque o que ela vai precisar, afinal, não é nada daquilo que eu tinha comprado antes!

E o pior é que não é apenas numa ou outra disciplina. Ao longo do ano, e para que os nossos filhos não tenham faltas de material ou fiquem prejudicados, é só comprar isto e aquilo. Porque é preciso. Porque o professor pediu!

E quem não tem nem material nem dinheiro, como é que faz? Seria bom pensarem nisso antes de pedirem mais alguma coisa!

 

 

Calçado sem qualidade

 

É o que cada vez mais se encontra por aí.

Ah e tal, isso é porque é feito de material que não presta e é mais barato. Se comprarmos calçado de qualidade superior que, por norma, sai caro, não temos esse problema.

Pode até ser. Mas a verdade é que já comprei calçado mais caro e fiquei mal servida na mesma.

Há muitos anos atrás, comprei umas botas pretas de salto alto, que me duraram até há 3 anos atrás. Foram caras, na altura, mas valeram o dinheiro que dei por elas. Nessa altura, comprei umas botas castanhas em pele (segundo a dona da sapataria) que estavam em saldo, e também nunca tive problemas com elas.

Mas foram as únicas excepções à regra! Tanto para mim, como para a minha filha, chego a comprar por ano aos 4 e cinco pares de botas para o inverno. Ao fim de dois ou três dias, precisam de capas. Ao fim de pouco mais de um mês, já estão descoladas e, à primeira chuvada, deixam entrar água!

E não são assim tão baratas quanto possam pensar. Os sapatos, começam a esgaçar todos. No último verão, comprei umas sandálias de cunha. No primeiro dia, a sola ficou cheia de buracos porque as pedrinhas pequeninas da rua ficaram lá espetadas e agarradas!

E não me venham com desculpas que determinado calçado não foi criado para determinadas condições. Que me digam que um guarda-chuva não foi feito para o vento, ainda compreendo. Mas a função básica de qualquer calçado é proteger os pés e, sinceramente, cada vez mais me convenço que isso anda longe de ser cumprido.

A ser verdade a teoria de que o que é bom é caro (para mim  nem sempre é verdade), quando as nossas carteiras não podem pagar em dinheiro a qualidade, pagam os nossos pés! 

 

Tomar ou não banho na escola...

 

...heis a questão!

 

O professor de educação física não impôs, mas aconselhou a fazê-lo.

E, de facto, as suas razões são válidas.

Ao tomar banho na escola, está a poupar água em casa (é uma forma de aprenderem desde cedo a poupar).

Evitam constipações, porque não saem suados do ginásio para a rua.

Habituam-se a despir e vestir à frente dos colegas, sem complexos nem vergonha, o que mais tarde pode vir a ser útil.

E há ainda a questão da higiene, uma vez que, ao não tomarem banho, vão suados e com mau cheiro para as aulas seguintes.

Concordo com tudo isto.

 

Mas...há sempre um mas!

 

O intervalo que têm para despir, tomar banho, vestir e ir para a sala da próxima aula é de 10 minutos. Pode até ser uma forma de se habituarem a despachar rapidamente, mas nem eu, com a minha maior rapidez, conseguiria fazê-lo em tão pouco tempo.

A não ser que, como o professor disse, seja só passar o corpo por água, sem molhar o cabelo. Mesmo assim, duvido. E, a assim ser, teriam que tomar um banho em condições em casa, pelo que em vez de poupar, estariam a gastar duplamente.

Esse intervalo pode ser maior, se o professor entender deixá-los sair mais cedo, mas não há garantias.

E, por último, além da mochila com todo o material que é necessário para as outras aulas, e do saco de desporto com o equipamento para a aula de educação física, teriam que acrescentar toalha, chinelos, gel de banho e roupa interior para trocar.

Por tudo isto, e apesar de ter comprado tudo para o efeito, achei melhor a minha filha este ano não se aventurar nos banhos no ginásio.

Na tropa mandam desenrascar, e é isso que ela vai fazer. Num dos dias é a última aula da tarde, por isso vai para casa e toma banho em casa. No outro, só tem uma hora de educação física, por isso não acredito que o professor a deixe sair cedo, e com tão pouco tempo, já me dou por feliz se conseguir trocar de roupa. E até nisso vamos ser práticas. Sempre que o tempo o permitir, vai já com o equipamento vestido (ou pelo menos parte dele) e assim só tem que se calçar.

 

 

Done!

 

Que excelente ideia que o agrupamento de escolas e os professores tiveram, de entregar aos pais a lista de material escolar na reunião de fim de ano.

Assim, em vez de esperar pelo início das aulas e perder horas na fila da papelaria, já tenho tudo comprado e devidamente identificado, sem stress e correria!

  • Blogs Portugal

  • BP