Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Aqueles momentos em que somos esmagados pela realidade

Resultado de imagem para visão

 

Por muito que conheçamos a realidade, sempre que a olhamos de frente, o impacto é esmagador...

Aqui na nossa família, toda a gente tem problemas de visão: mãe, pai, eu, o meu marido e, como não poderia deixar de ser, a minha filha, cujo pai também sofre do mesmo mal.

 

Mas ela não precisava de herdar da forma como herdou, os nossos problemas.

Desde pequena que andámos em consultas, com alguns especialistas recomendados, e a resposta foi sempre a mesma: não vê nada do olho direito, tem uma miopia muito forte que a impede de utilizar esse olho, não vale a pena operar, porque não iria devolver a visão de forma satisfatória, seria somente por questões estéticas, tem que poupar o olho esquerdo...

 

Embora isto cause, por vezes, problemas de autoestima, por ter aquele olho ligeiramente mais fechado e com um pequeno desvio, aceitou bem o facto de usar óculos e, hoje em dia, até prefere ver-se com eles do que sem eles (pelo menos nas fotos).

Estamos meses a fio sem falarmos nisso ou sequer nos lembrarmos, no nosso dia-a-dia, a não ser quando está na altura da consulta anual, mas sem stress. 

 

Ontem, ao falarmos acerca da operação do meu pai, lembrei-me de ver em que ponto estava a visão dela. Tapando o olho que não vê, com o outro vê perfeitamente.

Tapando o olho saudável, a cerca de metro e meio de mim, dizia que via uma mancha negra. Não conseguia ver a minha mão no ar. Desviando um pouco, conseguiu ver a mão, mas não distingiu os dedos.

 

E é esmagador quando encaramos a realidade de frente, aquela que sempre soubemos que lá está, mas a que tentamos não dar importância, porque há coisas muito melhores a valorizar. Por muito que saiba como são as coisas, o impacto é sempre enorme. 

Primeiro, surpreendida. Depois, receosa...

Na noite de segunda-feira, deitei-me normalmente. Ao pestanejar, comecei a ver luzinhas brancas a andar em círculo, tipo flash. Isto acontecia e passava em menos de 2 segundos, por várias vezes. Nunca me tinha acontecido, achei estranho e até comentei com a minha filha e com o meu marido. Fiquei surpreendida, mas não liguei.

Na terça-feira, ao final do dia, ainda no trabalho, voltou a repetir-se, mas passou. Não voltou a acontecer. Mas o olho não está na sua melhor forma, parece que estou a ver de uma forma esquisita e em vez das "luzinhas", vejo agora uns pontinhos pretos a pairar.

Foi aí que se fez luz, e os receios chegaram. Há uns anos atrás, a minha mãe teve um descolamento da retina. Começou por ver luzinhas a piscar e, em seguida, deixou de ver. Teve que ser operada e estar bastante tempo em casa a recuperar, sem fazer qualquer esforço para não estragar o trabalho dos médicos.

Fui pesquisar e os meus sintomas parecem indicar nesse sentido. Ainda não deixei de ver, mas talvez esteja ainda no início. O meu único problema neste olho, que eu tenha conhecimento, é a miopia. Por acaso, o descolamento costuma dar-se em pessoas míopes (embora a minha graduação não seja alta).

Mas não há nada como ouvir a opinião de um especialista e é por isso que amanhã, tenho consulta de oftalmologia. Pode até não ser nada de importante, estar completamente enganada e preocupada sem motivo, mas prefiro prevenir do que remediar.

E espero bem que não seja nada do que estou a pensar, porque más notícias dessas iam-me já estragar o aniversário, o natal e a passagem de ano. E não me estou a ver num hospital para uma cirurgia, nem em casa sem poder fazer nada nem ajudar a minha filha na escola, nem em consultas regulares em hospitais, nem de baixa a receber uma miséria com contas por pagar e uma filha para sustentar.

Vamos ver o que diz o médico amanhã. Que nervos...

 

Estava mais que na hora...

...de uma consulta de optometria!

Como não utilizo muito os óculos, e a diferença é mínima, só vou renovar as lentes de contacto.

Optei pelas mensais, para não correr o risco de perder alguma ou estragar, e porque são mais eficazes.

Mas fiquei contente por a miopia ter reduzido o seu ritmo de evolução - aumentou, mas muito pouco. Quanto ao astigmatismo, será o meu eterno "calcanhar de aquiles"!

  • Blogs Portugal

  • BP