Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Modernices - telemóveldependência

Resultado de imagem para telemóvel a carregar

 

No outro dia fui às Finanças.

Estava a abarrotar. Avistei um lugar disponível na fila de frente para a parede e apressei-me a ir para lá.

Num dos assentos, estava um homem com o seu telemóvel a carregar na tomada dessa parede, pelo que tive que pedir licença ao homem para passar. Ele lá desligou o cabo do telemóvel para eu passar, e voltou a ligar logo em seguida.

E pensei eu: "se me chamam primeiro que ele, lá vou ter novamente que pedir licença novamente, e esperar que ele desligue o carregador, para conseguir passar.

 

Hoje fui à Conservatória. Ali pelo átrio,ao que parece, também há umas tomadas à disposição e, como tal, ocupadas por pessoas que por ali estavam à espera da sua vez, a carregar os telemóveis.

 

Cada vez mais, seja onde for, se vê isto. Seja em serviços públicos, seja em festas ou celebrações especiais, como há dois anos, numa passagem de ano. É quase tão banal como chegar a um sítio qualquer e procurar ou perguntar a password de acesso a Wi-Fi grátis. 

 

Assim à primeira vista, consigo apontar duas causas para este novo fenómeno:

1 - Os serviços públicos são tão demorados, que as pessoas têm que se entreter com alguma coisa enquanto esperam, por vezes tão demorados que dá tempo de ficar sem bateria e, por isso, têm que pôr os telemóveis a carregar, ou simplesmente para poupar bateria

 

2 - Estamos tão dependentes dos telemóveis que não conseguimos passar o tempo de outra forma que não seja agarrados a eles, seja onde for, a que horas for, e com quem estivermos

Ainda existem portáteis com leitor de CD?

 

Não sei porquê, talvez porque o nosso Asus tinha, e o computador antigo do meu marido também, metemos na cabeça que todos os portáteis vêem com leitor de CD's.

Até porque há sempre coisas para instalar em que são necessários os respectivos CD's. Puro engano!

Agora, tanto o software do Office, como o do antivírus, não vêm em CD, mas sim num pedaço de cartão com uma chave/código que se insere no site a que temos que aceder via internet! Até aí, tudo bem.

Então e como é que se instala uma impressora que já temos, e que ainda trazia CD? Temos que "sacar" as drives na net?

E como é que a minha filha faz para ver os CD's/ DVD's fornecidos juntamente com os manuais escolares?

Ainda existem actualmente à venda portáteis com leitor de CD? 

Máquina de lavar ou árvore de Natal?!

 

Chego eu ontem a casa, curiosa para ver a máquina de lavar roupa nova, experimentar e ver como funcionava.

Mal carrego no botão para ligar, o botão de selecção de programas enche-se de luzinhas, o painel luminoso acende, e cada vez que mudo alguma coisa, dá um toque. Assusto-me, quando olho para o tempo de cada lavavem, de cada programa. A outra era muito mais rápida!

Ao escolher o programa, a máquina, inteligente, escolhe logo as restantes opções - temparatura, enxaguamento, centrifugação.

O que é isto, pergunto eu, ainda pouco ou nada habituada?! 

Perco algum tempo, a ler o manual. Ponho roupa a lavar. Fico ali especada a olhar para a máquina, a ver como aquilo funciona.

Em seguida, vou à minha vida, que tenho mais que fazer, o tempo é escasso e a máquina ainda leva duas horas a lavar.

Estou na sala, já esquecida desse assunto, quando começo a ouvir uma música. Achei que era na televisão, algum telemóvel a tocar.

O meu marido pergunta-me também que música era aquela, e se era a máquina de lavar. Vou à cozinha, e confirma-se que era, realmente, a máquina a anunciar o fim do programa, com uma música em modo natalício, e a piscar a palavra END!

Ao fim de alguns segundos, cala-se e desliga-se automaticamente.

Então, mas eu comprei uma máquina de lavar, ou uma árvore de natal já com luzinhas e música?!

O meu marido diz que a máquina é espectacular. E lá bonita é.

Mas modernices não são comigo e, para ser sincera, preferia a minha velhinha, com aqueles dois botões para a temperatura e para selecionar o programa! 

 

O problema das modernices

 

Foi criada uma nova nota de 5 euros, com novos elementos de segurança, lançada em Maio do ano passado.

Durante algum tempo (não se sabe quanto), tanto estas novas notas da segunda série, como as da primeira série, irão circular simultaneamente.

Gradualmente, as notas antigas serão retiradas de circulação.

De facto, nos dias que correm, já são raras as notas antigas que me vêm parar à mão.

Assim, no outro dia, fui ao meu banco depositar dinheiro - notas de 5 euros novas - numa das máquinas disponíveis (para não perder tempo ao balcão).

Introduzi as notas, foram rejeitadas. Repeti a operação, novamente rejeitadas. Tentei uma terceira vez, o mesmo resultado. Pensando que as notas tinham algum problema ou que, por serem de 5 euros, a máquina não recebia, segui o conselho que esta me deu logo da primeira vez. Diriji-me a uma funcionária para lhe perguntar se era só aquela máquina que não aceitava notas de 5 euros. Ao que ela me respondeu:

"Se forem notas novas de 5 euros nenhuma das máquinas aceita, só das antigas. Quer que lhe troque?"

 

 

Por acaso até tinha umas antigas na carteira, experimentei e aceitou logo à primeira! Mas se vão deixar de existir, e até já temos novas para as substituir, não faz sentido nenhum. É o problema de pôr em prática as modernices, sem estarem devidamente preparados para elas!

Agora imaginem quando isso acontecer com todas as outras notas...

 

Alguém me diz onde fica o ambiente de trabalho?

 

A minha filha trouxe trabalhos de casa para fazer. Esteve à espera que eu chegasse a casa para fazê-los. Mas chega à conclusão que deixou o livro na escola! Que bom!

Digo-lhe para ligar o Magalhães e ver na minha pen se tenho o livro digitalizado. Confirma-se. Só há um problema - o Magalhães não dá para ligar à impressora, por isso, temos que ligar o computador novo. E assim fazemos.

O meu marido tinha criado duas contas, uma para ele e outra para a minha filha. Quis iniciar sessão na conta dela. Estive mais de 10 minutos à espera que as actualizações terminassem. Terminaram!

E agora? Alguém me diz onde fica o ambiente de trabalho desta coisa?! Procurámos, procurámos, e ao fim de mais 10 minutos, encontrámos!

 

 

Menos mal. Já no ambiente de trabalho, procuro desesperadamente O Meu Computador, mas nem sinal. Mais um tempo perdido até que, por fim, vejo em baixo um ícone de pastas. Abro-o e, voilá! Consegui chegar à pen! Abro o ficheiro, mando imprimir e...

...o tinteiro preto chegou ao fim! Um dia depois de ter substituído o de cor! 

Já completamente sem paciência, desliguei esta maravilha de pc e liguei o meu adorado Magalhães, só para ela ver a pergunta que não imprimiu e fazer os trabalhos.

Está mais que visto, e comprovado, que novidades e modernices tecnológicas não são para mim!

  • Blogs Portugal

  • BP