Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

À Conversa com Joana Salvador

 

Joana Salvador é uma jovem estudante de línguas e humanidades que, desde cedo, desenvolveu uma paixão pela leitura.

E como quem gosta de ler também tem, por norma, como paixão, a escrita, Joana Salvador não é exceção!

Determinada, Joana pôs mãos à obra, e não desistiu enquanto até o seu primeiro romance “Não Desistas” estar pronto e ser lançado.

 

 

 

Neste primeiro romance, Joana tenta transmitir a mensagem de que nunca devemos deixar de seguir os nossos sonhos, e torná-los reais.

Na semana passada, dei-vos a conhecer esta obra e um pouco daquilo que poderão esperar da sua leitura. 

Hoje, e para nos falar um pouco mais sobre a sua incursão no mundo da escrita, e sobre si, convidei a autora Joana Salvador, a quem desde já agradeço pela disponibilidade!

 

 

 

 

 

Quem é a Joana Salvador?

De todas as perguntas, na minha opinião esta é a mais difícil de todas (riso). A Joana é uma rapariga de 17 anos que adora o mundo da escrita e pretende concretizar todos os seus sonhos.

 

Como é que surgiu o teu gosto pela escrita?

Desde pequena que sempre gostei muito de escrever. Lembro-me da sensação espetacular de quando a professora nos dava um tema para escrevermos um texto ou uma história. Aliás, muitas vezes, diziam à minha mãe, nas reuniões, que eu tinha muita imaginação. Nunca pensei que fosse resultar nisto! E, apesar do meu livro, ainda continuo a preferir escrever textos soltos sobre moda, opiniões e muito mais.

 

De onde vem a tua inspiração?

Eu acredito, completamente, que tudo o que já li até hoje é inspiração para o que escrevo. Todos os livros, artigos, entrevistas, crónicas que gostei de ler tiveram uma grande influência neste livro, especialmente, os meus romances de eleição.

 

O que te levou a escrever este primeiro romance “Não Desistas”?

Em dezembro do ano passado, comecei a imaginar esta história de amor que surgiria de um desastre. No entanto, não escrevi imediatamente. Posso afirmar que toda esta ideia só foi escrita passado alguns dias de estar muito bem planeada na minha imaginação.

 

Nesta história, Bea tem alguma dificuldade em seguir a sua vida após a perda da amiga Cat. Identificas-te, de alguma forma, com a postura inicial da Bea, ou representas, precisamente, o inverso dessa postura?

Nunca passei por uma situação exatamente igual à da Bea, mas já perdi vários amigos que significam bastante para mim e talvez tenha sido isso que inspirou mais essa perspetiva do livro. A minha personagem preferida é a Cat, contudo acho que sou muito mais parecida com a Bea, inclusive todas as pessoas que me conhecem bem pensaram o mesmo.

 

Existem muitas “Beas” por este mundo fora?

Não tenho qualquer dúvida que sim, eu própria admito ser uma “Bea”. Felizmente, tenho não só uma, mas várias “Cats” na minha vida, que me abrem os olhos e dizem, muitas vezes, aquilo que preciso de ouvir, mesmo o que não gosto. É isso que desejo, exatamente, para todas as “Beas”, que encontrem a sua Cat e também o seu Lucas (apesar de eu ainda não ter encontrado).

 

Quais são as tuas principais referências literárias?

Eu leio tanto que não consigo nomear apenas um ou dois autores. Em Portugal, gosto muito de Margarida Rebelo Pinto, também muito focada no universo das emoções. Na maioria, eu leio literatura estrangeira, principalmente, americana. Se forem em inglês, prefiro lê-los nessa língua, pois não sou nada fã de traduções.

 

Se tivesses que eleger uma obra de um outro autor, que recomendasses vivamente aos leitores, qual seria a tua escolha?

Por norma, costumo ler vários livros, em simultâneo. Um dos que estou a ler, de momento, é o Os Homens Nunca Saberão Nada Disto de Patrícia Ribeiro. Ela deu uma pequena palestra na minha escola e eu fiquei encantadíssima. É um livro completamente diferente do normal, pelo que aconselho vivamente a sua leitura.

 

“Não Desistas” é a tua primeira obra. Que feedback tens recebido relativamente a este romance?

Confesso que tenho recebido muito amor de todos os meus leitores, se bem que ainda tenho de perceber se os meus amigos estão a ser totalmente verdadeiros.

 

Já estás a pensar num novo romance, ou neste momento estás apenas focada na promoção de “Não Desistas”?

Honestamente, nenhum dos dois. Com a escola e agora com os exames a aproximarem-se, é, praticamente, impossível conseguir arranjar tempo para começar a planear um novo romance ou dedicar-me à promoção de Não Desistas. Porém, tenho ideias de nestas férias organizar alguns eventos ainda relacionados com este romance e dá-lo a conhecer noutros sítios. Várias pessoas têm sido muito insistentes em perguntar-me (e até mesmo implorar) para que escreva um segundo (risos). Lamento informar que este não terá continuação, pois a história da Bea e do Lucas está terminada. O que posso apenas dizer é que ainda sobra um outra personagem muito importante que talvez necessite de um final melhor!

 

Muito obrigada!

 

 

A Joana é também um membro da comunidade Sapo, onde tem o seu blog HITLIST. Vão lá espreitar!

 

 

*Esta conversa teve o apoio da Chiado Editora, que estabeleceu a ponte entre o autor e este cantinho.

Não Desistas, de Joana Salvador

 

"Sinopse"

Quando a sua melhor amiga morre, Bea sente que nunca irá voltar a ser mesma. Mas o que acontece quando logo após esta perda, aparece Lucas, alguém que nunca pensou se interessar por ela, e dá um significado à sua vida, fazendo-a amá-lo incondicionalmente? Com a Cat muito presente e influenciando todas as suas decisões, será que a Beatriz parará, finalmente, de fugir quando as coisas se tornam difíceis? Só lhe resta fazer uma escolha, que pertence a si, continuar a agarrar a escuridão, não deixar a dor para trás e sofrer, ou entrar na luz, e permitir que a felicidade comece a ser sentida.

 

Opinião:

Depois de ler esta sinopse, quase visualizei todo o desenrolar da história na minha mente!

 

Tudo gira em torno de Bea, Lucas e Pedro.

Bea é a mulher que acabou de perder a sua melhor amiga e, como tal, de tão apegadas que eram, e inseparáveis, Bea irá ter muitas dificuldades para lidar com a partida precoce de Cat e todas as lembranças dos tempos que passaram juntas. Em superar este trágico acontecimento, e seguir adiante com a sua vida.

 

Pedro é o namorado da falecida Cat, que irá apresentar o seu primo Lucas a Bea após o funeral de Cat. Estará presente em toda a trama e fará de santo casamenteiro!

 

Lucas é o típico galã, desejado por muitas mulheres, com fama de mulherengo, a quem não falta dinheiro para gastar naquilo que lhe apetece, mas com um passado triste. Um homem íntegro e muito ligado aos tios que o criaram, e às primas. Já relativamente à irmã, a relação é mais complicada. 

 

Bea e Cat eram duas mulheres totalmente opostas. Cat era extrovertida, dizia tudo o que tinha para dizer, sem medos, era aquela que estava sempre com disposição para sair e se divertir. Bea era mais contida, tímida, ponderada, mais calma. As duas complementavam-se.

Durante todo o tempo que Cat esteve no hospital, Bea esteve sempre presente, apesar de muito criticada pela mãe, e instigada a viver a sua vida em vez de estar agarrada à cama de uma condenada à morte.

Agora que Cat não está mais presente, seria o momento de Bea seguir, finalmente, adiante. Mas ela não conseguirá fazê-lo, pelo menos nos primeiros tempos.

E, mesmo gostando de Lucas, não irá conseguir viver esse amor em pleno, porque a partida de Cat continua a sobrepôr-se à sua felicidade.

A par com as inseguranças e sentimentos de Bea, temos um Lucas que aparenta ser bipolar - num momento é um príncipe encantado, no outro pode chegar a ser uma besta. E mostra-se um homem ciumento e muito possessivo, para além de uma fama da qual é difícil livrar-se, e que tornam Bea ainda mais insegura e cautelosa em relação a este amor.

O objectivo, como o próprio título sugere, é que Bea lute pelo seu amor e pela sua felicidade, e contra a apatia e tristeza que a invade aquando da morte da sua melhor amiga, e todos os rumores e fantasmas que podem deitar tudo a perder. Que não desista de viver a sua vida, de ser feliz. Que escolha o melhor caminho para um futuro risonho, que seria o que Cat desejaria para ela.

Isto, claro, como disse atrás, foi o que eu imaginei quando tomei conhecimento deste livro.

 

 

Mas será que tudo se passou mesmo assim, ou a autora conseguiu trocar-me completamente as voltas, e surpreender-me?

O quanto do que aqui escrevi corresponde à história do livro, e o quanto eu imaginei e não chegou a acontecer?

Será que Bea e Lucas vão conseguir superar todos os seus receios e viver o amor que sentem um pelo outro?

Isso é o que terão que descobrir quando lerem o livro!

 

 

Autor: Joana Salvador

Data de publicação: Dezembro de 2015

Número de páginas: 164

ISBN: 978-989-51-5478-4

Colecção: Viagens na Ficção

Género: Ficção

 

  • Blogs Portugal

  • BP