Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

"Agarra a Música" não me agarrou de todo!

Foto de Agarra a Música-SIC.

 

Estreou ontem a nova aposta da SIC para os serões de domingo - Agarra a Música - com apresentação de João Paulo Rodrigues e Cláudia Vieira.

Não tinha intenções de ver mas, como a minha filha queria, lá ficámos na sala, ela a ver, eu a dar uma espreitadela enquanto acabava de ler um livro.

 

 

 

Acho que os apresentadores estiveram bem e descontraídos, a Cláudia talvez mais habituada a este formato, e eu a habituar-me a ver o João neste registo.

 

 

 

Foto de Agarra a Música-SIC.

 

Em primeiro lugar, e depois de um Vale Tudo em que os concorrentes eram basicamente os mesmos, não achei muita piada à escolha dos capitães residentes, e respectivos convidados. Parecem que não há mais ninguém para convidar, ou então que mais ninguém se quer sujeitar a isto.

Acho cada vez menos piada ao João Manzarra. A Luciana até esteve melhor do que esperava.

 

 

 

 

Na equipa do Rui Unas, também nada de novo, à excepção do Ricardo Pereira.

 

Penso que seria um bom jogo para os amigos ou família se entreterem em casa, num serão divertido. Como programa de televisão, acho que está muito fraquinho.

Talvez com concorrentes desconhecidos, prémio para os vencedores, e outro tipo de provas, fosse diferente.

Valeu pelos convidados musicais - Nelson Freitas e Kika Cardoso - que animaram o programa e até tiveram direito a uma participação no jogo.

Mas, definitivamente, o "Agarra a Música" não me agarrou, de todo, ao ecrã, nem me irá fazer deitar tarde aos domingos à noite!

 

Imagens Agarra a música

In My Feelings, de Nelson Freitas

 

Depois de anunciar o concerto de 22 de Outubro em Lisboa, Nelson Freitas acaba de estrear o vídeo de “In My Feelings”, música que conta com a colaboração de Mikkel Solnado.

 

Este é mais um êxito a retirar do disco “Four”, sucedendo a “Break of Dawn”, com Richie Campbell (que já tem mais de 12 milhões de visualizações no YouTube) e a “Miúda Linda” (com mais de 24 milhões). Com um vídeo gravado na Ilha do Pessegueiro, “In My Feelings” traz o som ideal para esta temporada.

Nelson Freitas no Campo Pequeno

 

 

 

Nelson Freitas esteve no passado dia 24 de Junho a actuar no Palco Sumol do Sumol Summer Fest, na Ericeira. 

E, ao longo do verão, são vários concertos já agendados e que esperam por nós. No entanto, para quem ainda não teve, ou não terá nos próximos meses, oportunidade de assistir a um dos espectáculos do Nelson Freitas, da sua digressão de verão "Ride or Die", há ainda uma derradeira hipótese. 

O cantor irá encerrar a digressão com um espectáculo especial, a 22 de outubro, no Campo Pequeno, em Lisboa.

Os bilhetes já estão à venda nos locais habituais e na Ticketline, e o preço vai dos 20 aos 28 euros.

Neste concerto não irão faltar os êxitos de “Four”, como “Miúda Linda” e “Break of Dawn”, não esquecendo, obviamente, os temas dos álbuns anteriores. O espetáculo contará ainda vários convidados, que serão desvendados ao longo das próximas semanas.

Não percam esta grande festa de um dos artistas mais populares, e influentes, da atualidade, que tem vindo a conquistar milhares de pessoas de norte a sul do país, e além-fronteiras, com a sua mescla de sonoridades que vão do zouk ao r&b, passando pela kizomba, hip hop e soul. 

A entrevista ao Nelson Freitas

_n.png

 

Nelson Freitas é um cantor, escritor, produtor musical e também proprietário da NelsonFreitas Music (NFM) sendo, neste momento, um dos melhores produtores e cantores da indústria da música africana ou zouk.

O seu percurso na música começou como vocalista do grupo Quatro, com o qual lançou três álbuns.

Mais tarde, estreou-se a solo com o álbum “Magic”, que vendeu mais de 70.000 cópias em todo o mundo, lançando definitivamente a sua carreira.

Neste primeiro trabalho, estão bem vincadas as suas raízes cabo-verdianas, aliadas à sua paixão pelo Hip-Hop, R&B e House, que serviram de inspiração a Nelson Freitas para uma mudança no som contemporâneo da música cabo-verdiana.

Em 2010 foi lançado o seu segundo álbum, "My life", do qual se destacaram títulos como Rebound ChickSaia BrankaNha Primere Amor, e que vendeu mais de 90.000 cópias.

"Elevate", o terceiro álbum no qual contou com a colaboração de artistas e produtores de Angola, Cabo Verde, Congo, Holanda e Marrocos, chegou em 2013.

Deste álbum, e numa parceria com o cantor angolano C4 Pedro, saiu o grande sucesso “Bô Tem Mel”, que esteve durante vários meses em destaque nos principais tops de música nacionais.

Agora, chegou a vez de “Miúda Linda”, que já roda em várias rádios e venceu, inclusive, o prémio de Melhor Música no Kizomba Music Awards.

Para nos falar um pouco mais sobre o seu percurso e carreira, Nelson Freitas aceitou o convite e concedeu uma entrevista para esta edição da Blogazine, que aqui partilho convosco!

 

 

 

 

 

Marta: Nelson, ainda na sua adolescência, teve algumas experiências na dança, como dançarino de breakdance. A dança ainda faz, de alguma forma, parte da sua vida? Continua a gostar deste estilo de dança ou, atualmente, prefere outro género?

N. Freitas: A dança é uma parte muito importante da música que faço, por isso é importante para os meus ouvintes. Hoje em dia não danço assim tanto. Apenas canto, e nos meus espetáculos tenho bailarinos. Mas gosto de ir a discotecas e dançar.

 

Marta: Foi numa pausa como dançarino que integrou, como vocalista, o grupo Quatro, que chegou a lançar três álbuns de originais. Quando é que sentiu a necessidade de enveredar por uma carreira a solo?

N. Freitas: Fazer parte de uma banda foi bom para mim, porque aprendi muito sobre a indústria da música, como escrever e produzir, e quando eu senti que não tinha mais nada a aprender no grupo, decidi enveredar por uma carreira a solo. Já estava com algumas ideias em mente que não poderia aplicar na banda, por isso cantar a solo foi o passo seguinte. Tivemos bons momentos enquanto grupo.

 

Marta: Em 2013 atuou no Coliseu dos Recreios, num concerto que, posteriormente, deu origem ao álbum “Live At Coliseu dos Recreios”, e no qual contou com a presença de vários convidados, entre os quais a sua filha! Foi um momento especial?

N. Freitas: Sim, foi um momento muito especial no espetáculo, na minha carreira e na minha vida. A forma como ela subiu ao palco, vestida de branco, parecendo-se com um anjo, e cantou comigo “I Love You”, foi de tirar a respiração. Ela não estava nada assustada com o facto de cantar perante 5 mil pessoas. Nesse dia nasceu uma estrela!

 

Marta: As suas músicas combinam um pouco de R&B, Hip-Hop, Zouk, Kizomba e música tradicional de Cabo Verde. Considera que os portugueses estão, atualmente, mais abertos a estes ritmos e estilos musicais?

N. Freitas: Sim, temos trabalhado muito ao longo todos estes anos na elaboração da nossa música e do nosso som, e sinto que se está a tornar cada vez mais corrente.

 

Marta: Em algumas das suas letras, costuma misturar crioulo com inglês. É uma combinação que tem resultado de forma positiva?

N. Freitas: Sim, são línguas nas quais me sinto à vontade porque os meus pais são de Cabo Verde e o meu pai vive em Nova Iorque desde os meus 10 anos, por isso tenho ouvido estas línguas desde criança. Misturá-las faz parte do meu estilo. Adoro ser diferente e tem funcionado comigo.

 

Marta: Com a colaboração de artistas e produtores de diferentes etnias, na produção e edição de “Elevate” nota, tanto a nível de experiência como de criatividade, alguma diferença ou evolução entre o primeiro álbum “Magic” e “Elevate”?

N. Freitas: O último álbum chama-se “Elevate”, então acho que isso responde, de certa forma, à pergunta.

 

Marta: A nova música “Miúda Linda”, venceu o prémio de Melhor Música no Kizomba Music Awards. Depois do estrondoso sucesso do tema “Bô Tem Mel”, considera que “Miúda Linda” é um sucessor à altura?

N. Freitas: Penso que irá ultrapassar “Bo Tem Mel” porque “Miúda Linda” já tem mais de 12 milhões de visualizações no Youtube, em apenas 3 meses, graças aos fãs.

 

Marta: Que projetos tem para este ano a nível musical?

N. Freitas: Estou a trabalhar no meu novo álbum, cujo primeiro single foi lançado a 26 de Fevereiro.

 

Marta: Nelson, muito obrigada pela sua disponibilidade e colaboração!

N. Freitas: Obrigado por esta entrevista.

 

 

Aqui ficam os links para ficares a par de todas as novidades sobre o Nelson Freitas:

http://www.nelsonfreitasonline.com/

https://www.facebook.com/nelsonfreitasonline

 

Apoio Universal Music Portugal / Kayo Sound

 

 

 

Four - o novo álbum de Nelson Freitas

doc20160419163031_001.jpg

 

 

Já tiveram oportunidade de ouvir Four, o novo álbum de Nelson Freitas?

Mais uma vez, e à semelhança do que já nos tem vindo a habituar, Nelson Freitas traz-nos um álbum com o seu estilo característico, misturando nas suas letras o crioulo e o inglês, duas línguas nas quais se sente perfeitamente à vontade, e que gosta de conjugar.

Disponível desde 1 de Abril, e ideal para os amantes de kizomba (com um pouco de zouk, r&b, hip hop, música electrónica, soul e pop), e há muito tempo esperado pelos fãs de Nelson Freitas, este álbum terá, de certeza, o mesmo sucesso, ou mais ainda, que os seus antecessores.

"Miúda Linda", lançado a 26 de Fevereiro, foi o primeiro single a rodar nas rádios, e pode-se considerar um sucessor à altura de "Bo Tem Mel" tendo, inclusive, vencido o prémio de Melhor Música no Kizomba Music Awards.

No entanto, e no seguimento daquilo que tem vindo a acontecer sempre que oiço um CD, acabo sempre por descobrir uma música que me surpreende, e que não é das mais conhecidas, ou a que seria de esperar.

Em Four, posso afirmar que o tema que mais me surpreendeu e de que mais gosto, é "Break of Dawn", tema este com a colaboração de Richie Campbell. Antes de ouvir, já tinha até comentado com a minha filha que esta combinação deveria resultar, e resultou mesmo!

"Break of Dawn" também já pode ser ouvido nas rádios e está, como não podia deixar de ser, no Top 25 RFM. 

Composto por 12 temas, este novo álbum do Nelson Freitas, no qual podem encontrar estas e outras músicas, conta ainda com colaborações especiais de Mayra Andrade, no single "Nha Baby", Mikkel Solnado, na música "In My Feelings", e Loony Johnson, no tema "That's Why I Love You".

Pessoalmente, os temas que mais gosto, para além de Break of Dawn" que é, sem dúvida, a minha preferida, são "Ride ou Die", "This Love" e "Miúda Linda (remix)".

E por aí, já ouviram? O que têm a dizer sobre este álbum? Que música mais gostam? 

 

doc20160419163055_001.jpg

 

  • Blogs Portugal

  • BP