Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Festival Eurovisão da Canção: A História dos Fire Saga

Eurovis_640x363_banner.png

 

Estava curiosa para ver este filme, sobre o Festival da Canção, onde Salvador Sobral iria fazer uma participação especial.

Sabia que era uma comédia, que não é o meu estilo favorito. Quando vi que o filme tinha uma duração de 2 horas e meia, assustei-me.

Mas fui-me deixando-me levar. E não dei por passar o tempo. Quando dei por isso, já estava a acabar.

 

Como comédia, é muito fraco, forçado e poucas cenas tem, que me façam rir.

Também não é propriamente uma história sobre o festival da canção que, aqui, serve apenas de fundo para uma comédia romântica.

Às tantas, aparece-nos no ecrã, sem qualquer propósito, que não seja dar destaque aos participantes do Festival da Canção, Jamala, Conchita, Netta, Alexander Rybac e John Lundvik.

Também Salvador Sobral tem direito a uma participação neste filme, mas ao seu estilo, com simplicidade, e beleza.

Demi Lovato interpreta a candidata favorita a representar a Islândia no Festival da canção mas, confesso, só soube que era ela quando vi o elenco! 

Gostei de algumas das músicas, e imaginei-as como candidatas ao festival, ou mesmo como hits das rádios. Melhores que muitas que por aí andam, ou que por lá já passaram.

 

Sobre a história:

Lars é um miúdo que cresce com um único sonho na vida: representar a Islândia no Festival da Canção, e pisar o grande palco. E, se possível ganhar. 

Nesse sonho, acompanha-o a sua amiga Sigrit, uma menina que adora cantar e que, à medida que cresce, se vai apaixonar por Lars.

Juntamente com Lars, vão formar a banda Fire Saga, que é totalmente descredibilizada e ridicularizada pelos islandeses.

Sigrit tem talento, mas falta-lhe cantar com alma e paixão. Todos acham que o caminho dela seria mais feliz se se afastasse de Lars. Mas ela fá-lo por ele, e para que ele possa realizar o seu sonho.

Já Lars, está tão focado da Eurovisão, que não vê mais nada à frente. Ele compõe, ele confecciona as roupas, ele escolhe os arranjos e os temas, ele imagina cenários, enfim, ele trata de tudo, e Sigrit segue-o nessa aventura.

Até ao dia em que tudo muda.

Sigrit é uma artista, no verdadeiro sentido da palavra. Lars é uma criança com mau perder, e que não sabe lidar com as contrariedades. Isso vai afastá-los, e deitar tudo a perder, com a mãozinha dos vilões da história, claro.

Portanto, como comédia romântica, não está mau de todo, embora não seja nada por aí além, como outras que já vimos.

 

Sendo assim, bem espremido, o que se pode tirar do filme?

Algo tão simples e tão importante, que devemos aplicar em tudo na vida:

- em qualquer relação, deve-se rumar no mesmo sentido, trocar opiniões, chegar a um consenso ou entendimento, ouvir os dois lados, para que as coisas resultem

- por vezes, estamos tão obcecados com um determinado objectivo pessoal, que arrastamos todos connosco sem, por um momento, pararmos para olhar se essas pessoas não terão, também elas, os seus próprios objectivos e sonhos, se não estamos a ser egoístas, se não estamos, em nome de uma obcessão, a arruinar algo muito melhor que, e que nos pode fazer mais felizes 

- por vezes, aquilo que realmente importa, está nas coisas mais simples

- é bom vencer, mas não é tudo na vida, e aquilo que para uns é uma derrota pode ser, para outros, um conjunto de pequenas vitórias muito melhores de saborear

- a melhor música, é aquela que se canta com o coração, com alma, com sentimento

 

E acho que esta música, uma verdadeira candidata a um próximo festival da canção, que já está na minha lista das favoritas, resume tudo o que acabei de mencionar.

 

 

Até que sejas minha

 

transferir.jpg

 

"Ela tem algo que outra pessoa quer. A qualquer custo… 

Claudia parece ter a vida perfeita. Está grávida, vai ter um bebé muito desejado, tem um marido que a ama, embora ausente, e uma casa maravilhosa. 

Depois, Zoe entra na vida dela. Zoe foi contratada para a ajudar quando o bebé nascer, e parece a pessoa certa para o cargo. Mas há qualquer coisa nela de que Claudia não gosta e que a faz desconfiar. Quando encontra Zoe no seu próprio quarto, a remexer nos seus bens pessoais, a ansiedade de Claudia torna-se um medo bem real…" 

 

Recebi este livro como oferta, pela compra de um outro do mesmo género.

Quando lemos a sinopse, a primeira coisa que deduzimos é que algo de muito grave irá acontecer a Cláudia, ou ao bebé que esta espera.

À medida que vamos lendo, percebemos que esta é uma história sobre mulheres que anseiam ser mães, mulheres que ainda não o conseguiram ser, e de mulheres grávidas que, subitamente, são atacadas, algumas mesmo assassinadas juntamente com os bebés.

Percebemos que Zoe não é quem diz ser, e que está naquela casa com um objectivo que só ela sabe, sob o disfarce de ama. Cláudia desconfia, por diversas vezes, desta mulher que contratou, perfeita demais para ser verdade e, ao mesmo tempo, misteriosa e um tanto intrometida.

As perguntas que deixo no ar, para quem ainda não leu, são:

"Será que Cláudia tem medo de algo que Zoe lhe possa fazer, ou de algo que possa descobrir contra ela?" 

Quem é Zoe? Quem é Cláudia? Quem é James? Que segredos escondem estas pessoas? Onde está o verdadeiro perigo?

Porque nem sempre aquilo que parece, é...

 

Obsessão

 

Todos os caminhos parecem cruzar-se com o de Cat Delaney. Uma panóplia de personagens é-nos apresentada no início da história, aparentemente sem qualquer ligação umas com as outras. Mas, com o desenrolar da história, tudo começa a fazer sentido.

A vida de Cat Delaney corre perigo e uma dessas personagens é o assassino.

Tudo começa quando várias pessoas morrem e os seus corações são recolhidos pelo Banco de Órgãos. Um desses corações, foi transplantado em Cat Delaney. Mas parece que alguém não pretende que esse coração continue a bater, e vai iniciar uma luta para o silenciar, eliminando todas as pessoas que receberam transplantes naquela data. Cat é a próxima vítima.

E todos eles são suspeitos - ora vejam:

Dean - o cardiologista que se apaixonou pela paciente. Esteve sempre ao lado dela, foi médico, namorado, amigo, confidente, quase noivo, mas acabou por ser deixado por Cat. Aparece em casa dela no dia em que ela deverá morrer...

Melia - a assistente de Cat que nunca gostou dela, já a tentou prejudicar várias vezes, tem ciúmes e acabou por ser despedida por Cat...

Cyclops - aceitou de volta a namorada Kismet, que outrora o deixou por outro, mas não consegue aceitar o facto de ela ter tido um filho do falecido e ainda estar apaixonada por ele. Eliminar o coração desse homem seria eliminar a sua sombra de vez. Cat é também responsável por ter tirado Kismet e o filho das garras deste drogado que a violentava frequentemente. Além de ter feito chantagem com Cat, aparece em sua casa no dia do crime...

Paul Reys - apanhou a sua mulher na cama com outro homem e matou-a com um taco de basebol. Foi absolvido do crime, e nunca mais se ouviu falar dele. O coração da mulher pode agora estar em Cat. Foi ele o autor das cartas anónimas enviadas a Cat com os recortes de jornal sobre outros crimes cometidos no aniversário dos transplantes...

Bill Webster - director da estação de televisão onde Cat trabalha. Vê nela a imagem da filha falecida dadas as evidentes semelhanças entre as duas. Cat descobre que Bill trai a mulher com Melia. Tem também alguns problemas em relação à estação e ao seu programa, e quase no fim da trama, demite-se. Bill aparece inesperadamente em casa de Cat, no dia do crime...

Jeff - assistente de Cat. Parece apoiar o seu romance com Alex Pierce. Venera-a e torna-se, de certa forma, seu confidente. Insiste com Cat para que ela reconsidere a demissão.Tal como num dia anterior, aparece em casa de CaT no aniversário do seu transplante para saber como ela está. Aparentemente, é homossexual...

Alex Pierce - ex-polícia, ex-alcoólico, actualmente escritor de romances policiais, tem pastas com informações sobre todas as pessoas que faleceram dadoras de órgãos, bem como de todas as vítimas, possíveis transplantadas com esses corações. Cat também consta dessas pastas.

Parecem conhecer-se por acaso, mas vem-se a perceber que a aproximação foi programada, e que ele suspeita que o coração da sua falecida mulher esteja em Cat. Depois de ela ter descoberto o seu segredo, na noite do crime, foge, mas ele vai atrás dela, armado...

Nancy Webster - simpatizou com Cat desde a primeira vez que a viu, mas começa a suspeitar que entre ela e o marido há uma relação que vai além da amizade. Afirma por várias vezes que ele é tudo para ela, e que vai lutar para que assim continue...