Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Problemas de visão são um mal de família

 

Ora vejamos:

 

A minha mãe já foi operada às cataratas, teve que colocar umas lentes no interior dos olhos para poder ver melhor, para além dos óculos que tem que usar, e já foi operada a um descolamento da retina. É seguida semestralmente pelo oftalmologista, par vigilância.

 

Eu, tenho miopia e astigmatismo, tenho que usar lentes de contacto ou óculos, embora esteja cada vez mais intolerante às lentes de contacto. Tenho pouca lágrima, não fecho completamente a pálpebra quando pestanejo, e já tive um descolamento do vítreo.

 

A minha filha tem uma miopia tão grande no olho direito que nenhuma operação resolveria o problema. Praticamente não utiliza aquele olho, e o outro tem que ser vigiado e mantido de boa saúde. Tem que usar óculos, mas só para ajudar o olho bom.

 

A minha sobrinha também tem problemas na vista, já mudou de óculos várias vezes, e já foi operada.

 

E agora, é a vez do meu pai ter que ser operado também a uma catarata que lhe apareceu há cerca de um ano, e que ele deixou andar. Está a aguardar a marcação da cirurgia.

 

Os problemas de visão atingiram mesmo esta família!

Linguini ou minhocas?!

 

Correndo o risco de tirar o apetite a alguém com esta comparação, não podia deixar de a fazer!

No outro dia, uns colegas do meu marido fizeram linguini com camarão para o jantar. Como sobrou, o meu marido trouxe para casa.

Nunca tinha visto este tipo de massa, e não fazia ideia se era boa ou não, mas aquilo até cheirava bem. Só que, como se costuma dizer, os olhos também comem e, neste caso, recusaram-se a comer.

É que, cada vez que olhava para a massa, só me conseguia lembrar de minhocas. Como umas que vi há uns anos atrás debaixo da areia na praia. Nem sequer consegui estar a ver o meu marido comer aquilo sem me dar vómitos.

Por isso, para mim, linguini só se for de cor normal, tipo esparguete. Senão, é para esquecer!

 

Primeiro, surpreendida. Depois, receosa...

Na noite de segunda-feira, deitei-me normalmente. Ao pestanejar, comecei a ver luzinhas brancas a andar em círculo, tipo flash. Isto acontecia e passava em menos de 2 segundos, por várias vezes. Nunca me tinha acontecido, achei estranho e até comentei com a minha filha e com o meu marido. Fiquei surpreendida, mas não liguei.

Na terça-feira, ao final do dia, ainda no trabalho, voltou a repetir-se, mas passou. Não voltou a acontecer. Mas o olho não está na sua melhor forma, parece que estou a ver de uma forma esquisita e em vez das "luzinhas", vejo agora uns pontinhos pretos a pairar.

Foi aí que se fez luz, e os receios chegaram. Há uns anos atrás, a minha mãe teve um descolamento da retina. Começou por ver luzinhas a piscar e, em seguida, deixou de ver. Teve que ser operada e estar bastante tempo em casa a recuperar, sem fazer qualquer esforço para não estragar o trabalho dos médicos.

Fui pesquisar e os meus sintomas parecem indicar nesse sentido. Ainda não deixei de ver, mas talvez esteja ainda no início. O meu único problema neste olho, que eu tenha conhecimento, é a miopia. Por acaso, o descolamento costuma dar-se em pessoas míopes (embora a minha graduação não seja alta).

Mas não há nada como ouvir a opinião de um especialista e é por isso que amanhã, tenho consulta de oftalmologia. Pode até não ser nada de importante, estar completamente enganada e preocupada sem motivo, mas prefiro prevenir do que remediar.

E espero bem que não seja nada do que estou a pensar, porque más notícias dessas iam-me já estragar o aniversário, o natal e a passagem de ano. E não me estou a ver num hospital para uma cirurgia, nem em casa sem poder fazer nada nem ajudar a minha filha na escola, nem em consultas regulares em hospitais, nem de baixa a receber uma miséria com contas por pagar e uma filha para sustentar.

Vamos ver o que diz o médico amanhã. Que nervos...

 

Chorar faz bem

 

Além do seu efeito libertador, e da sensação de tranquilidade que, tanto homens como mulheres sentem depois de chorar, chorar permite ao corpo expulsar, através das lágrimas, substâncias químicas que o organismo produz quando submetido a situações de stress.

Pode-se, então, considerar que chorar é benéfico, funcionando como mecanismo de defesa do corpo e dos próprios olhos, uma vez que as lágrimas formam uma película que os lubrifica e os protege contra agressões externas.

Por isso, quando sentir uma imensa vontade de chorar...chore!

Constatações

O problema está sempre lá, mas apenas uma vez por ano me lembro da gravidade dele, e da impotência que sinto por não haver soluções.

Ontem foi dia de consulta de oftalmologia da minha filha. Costumamos ir todos os anos, antes do início das aulas. E todos os anos, sou confrontada com a mesma realidade.

No olho direito, a médica põe uma lente fraquinha. O que ela vê? Tudo preto. A médica põe uma lente mais forte. Tudo preto. A médica experimenta uma terceira, com muitas dioptrias. Tudo preto. Resultado: está comprovado que nesse olho não há nada a fazer.

Resta cuidar do que está bom e vê praticamente a 100%.

Após consultar vários especialistas, todos dizem o mesmo. Nem mesmo a operação lhe vai conseguir devolver uma visão de qualidade, quanto muito poderá ser útil em termos estéticos, endireitando o olho.

Mas enfim, provavelmente há coisas muito piores, e o que vale é que até à próxima consulta, já com óculos novos e na nossa rotina diária, praticamente nos esquecemos disso.

  • Blogs Portugal

  • BP