Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Isto é gozar com quem trabalha

Desenho de Smiley irritado pintado e colorido por Usuário não registrado o  dia 16 de Março do 2016

 

Como se costuma dizer "Quem trabalha para aquecer é o microondas".

Nós, comuns mortais, trabalhamos porque precisamos do dinheiro. Porque chega ao fim do mês e há contas para pagar. Contas que não esperam. Cujo pagamento não se pode adiar para quando calhar.

Suponho que qualquer empresa/ pessoa, que contrate os serviços de alguém, saiba que esse trabalho tem que ser pago. E até sabem, mas algumas estão-se nas tintas para isso.

 

Este mês, foram contratados os serviços de vários seguranças para fazer o Carnaval (4 dias), dizendo que o serviço seria pago após o Carnaval (depreende-se que seria nessa mesma semana, mas a verdade é que o "após" é muito vago).

Enviadas mensagens para saber quando, exatamente, seria feito o pagamento, foram informados pelo responsável que seria até ao fim da semana seguinte. Não foi.

 

Nova mensagem na segunda-feira, após saber que um dos colegas já tinha recebido, e o responsável pergunta se o segurança pode ir a um sítio qualquer buscar o dinheiro, ou seja, gastar gasolina, para receber aquilo que é seu por direito, o que não faz qualquer sentido. Como não podia fazer o pagamento por MBWay, pediu então o IBAN para transferência. Que não fez.

 

Quarta-feira, nova mensagem e o dito responsável pede novamente o IBAN (como se já não o tivesse) para a transferência, que ainda não tinha sido feita, apesar das promessas, dizendo que vai fazer, para o segurança estar descansado. E, de caminho, já a perguntar se o mesmo pode fazer mais serviços. É preciso ter lata!

Sim, porque lata há muita. Dinheiro é que continua a não se ver.

 

Qual é o ojectivo?

Depois admiram-se de ninguém querer trabalhar para ele.

Primeiros serviços, para cativar o pessoal, pagos na mesma semana, ao fim de 2 ou 3 dias.

Quando tem os seguranças garantidos, começa a pagar cada vez mais tarde, sempre com muitas promessas vãs de "é hoje", "é amanhã", "é na próxima semana".

E com o funcionário a ter que se chatear, e estar quase a "mendigar" o que lhe é devido e que esta gente, se tivesse um mínimo de bom senso, deveria pagar sem lhe ser pedido.

 

Qual é o objectivo?

Ficar com o dinheiro a marinar?

Ou nem sequer o têm, e vão dando desculpas?

Estão à espera de trabalho voluntário? De borlas?

 

É que isto é mesmo gozar com quem trabalha, ao mais alto nível.

 

 

 

 

 

 

E o IRS, vem ou não vem?!

IRS 2023: como preencher passo a passo | DECO PROTESTE 

 

Este ano, está difícil!

É quase três semanas para validar a declaração.

Mais umas quantas para mudar para declaração com reembolso.

E dinheiro na conta?

Ui, isso ainda demora!

 

Eu bem me parecia que, este ano, estava tudo muito mais lento.

Mas pensei que era por, ao contrário dos outros anos, não ter feito o IRS Automático.

No entanto, à medida que os dias passavam, fui-me deparando com as notícias de atrasos no processamento do dito.

 

Se, em outros anos, por esta altura, já tinha o dinheiro na conta, este ano, prevejo que só lá para o fim de maio, ele apareça.

Com sorte!

 

E por aí, já receberam? 

Ou também estão na fila de espera?!

 

Imagem: deco.proteste

 

Atenção aos IBAN's para transferência do apoio extraordinário!

Sem Título1.jpg

Há muito que os contribuintes vêm a ser informados de que devem actualizar o seu IBAN no site da Segurança Social, e no Portal das Finanças, com vista a receber o apoio extraordinário, que irá começar a ser pago hoje.

A maior parte das pessoas, provavelmente, está descansada, porque tem recebido sempre os reembolsos do IRS, portanto, a AT teria o IBAN correcto.

No meu caso, estava convencida disso, e nem fui confirmar.

 

Ontem, o meu marido chega a casa, e diz-me que várias pessoas viram os seus IBAN's alterados, sem nada terem feito. Outras, nem sequer tinham o dito preenchido.

Erro de sistema? Muito conveniente!

 

Fui confirmar o meu.

Tinha um IBAN antigo.

No meu caso, acredito que a culpa seja minha. Não me recordo se, no ano passado, alterei para o novo.

Lembro-me que, quando submeti a declaração de IRS, indiquei o novo IBAN, mas no Portal, talvez não o tenha feito.

E se não fosse ontem ver, continuaria com o IBAN errado.

 

Agora, é esperar que a alteração seja confirmada a tempo.

Senão, só irei receber o valor no próximo mês.

 

Por isso, por via das dúvidas, é melhor confirmarem se está tudo certinho!

Também já podem verificar, no Portal das Finanças, em "Apoio Extraordinário" ou "Consultar Apoio Atribuído pela AT", o valor a receber, e se a tranfererência já foi efectuada, ou ainda aguarda pagamento.

 

Sem Título.jpg

 

 

Quando temos tanto ou mais trabalho a pagar, do que a receber!

Resultado de imagem para devolução dos manuais escolares

 

Esta semana ligaram-me da escola, por causa dos manuais escolares.

Estava na altura de devolver os manuais, uma vez que tinha usufruído dos auxílios atrabuídos pela acção social escolar.

Disse-lhes que os livros não estavam em condições, e que queria saber como restituía o valor anteriormente pago.

Informaram-me, depois de perguntar aos superiores, que teria que ir à escola pessoalmente, num dos dois dias seguintes.

De qualquer forma, mesmo que fosse para entregar os manuais, tinha sempre que lá ir.

 

 

Fui no dia a seguir ao telefonema.

Informei a funcionária do PBX do que ia fazer. Encaminhou-me para a tesouraria.

Na tesouraria, voltei a explicar o que ia fazer. Ficaram muito admiradas, e disseram que não era com elas. Que estavam apenas a fazer os pagamentos das visitas de estudo. O ano passado, tive direito a 10 euros mas este ano, pelos vistos, não há lugar a pagamento.

Fui recambiada para a secretaria. Na secretaria, a funcionária diz que se é para pagar os manuais é na tesouraria, e liga para elas. Explica o que têm que fazer, e que não avisou nada antes porque não sabia que eu iria lá logo no dia seguinte (não que me tivessem dado muito mais tempo).

Mais uma vez, fui reconduzida à tesouraria, onde as funcionárias reclamavam entre si, que ninguém as tinha informado de nada, que não tinham orientações nenhumas, que não sabiam onde guardar o dinheiro, nem o que cobrar.

Ao que parece, até agora, fui a única mãe que não entregou os manuais e, por isso, o primeiro caso que lhes apareceu à frente.

Lá receberam o dinheiro (não podia ser por multibanco), deram-me o troco e pediram desculpa pela confusão. 

 

 

Porque é que eu preferi devolver o dinheiro em vez dos livros?

Em primeiro lugar, porque considero que, se é uma coisa que tenho direito, não deveria ter que devolver.

Em segundo, porque gosto sempre de guardar os livros já que, na maioria das vezes, acabamos por ter que consultá-los nos anos seguintes. No caso da minha filha, indo para o 10º ano, há disciplinas que ela provavelmente já não terá, mas outras sim, e estes livros podem vir a ser úteis.

E, por último, porque alguns dos livros estavam mesmo em mau estado, sem capas e partes que deles faziam parte, colados com fita cola, sublinhados a fluorescente, e não serviriam para ninguém mais usar.

 

 

 

 

 

 

Como ficar com a boca destruída em pouco tempo

Imagem relacionada

 

Sobre os advogados que são atribuídos às pessoas que pedem apoio judiciário à Segurança Social, há aquela ideia generalizada de que, como são mal pagos, não querem saber dos clientes e nada fazem para defender os seus interesses como fariam se, em vez de serem pagos pelo instituto competente, a baixo custo, fosse o cliente a pagar o valor justo pelo serviço.

A verdade é que os advogados só trabalham nesta modalidade se se inscreverem para tal. Ninguém os obriga. E nem todos são iguais.

 

No entanto, e no que diz respeito aos dentistas, começo a concordar com essa opinião generalizada. Ninguém os obriga a aderir a programas de saúde dentária, como é o caso do "cheque dentista". Mas, se aderiram, só têm que fazer o mesmo trabalho que fariam se fosse eu a pagar do meu bolso.

Em Agosto marquei consulta na clínica para a minha filha, supostamente, para a mesma médica onde tinha ido antes. Afinal era outra, com o mesmo nome.

Estávamos na sala de espera quando sai de lá uma adolescente a queixar-se da boca. Chamaram a minha filha.

Ia apenas fazer uma destartarização, e pôr selante em alguns dentes.

Saiu de lá com os lábios todos feridos e inchados, e assim continuaram por uns 3 ou 4 dias, gretados, a sangrar.

O meu marido está farto de fazer destartarizações, numa outra clínica, e nunca ficou assim.

 

Tanto a outra adolescente, como a minha filha, tinham lá ido no âmbito do "cheque dentista".

Não sei se é a médica que não tem mesmo jeito nenhum, ou nem se preocupou em ter cuidado porque não está a ser bem paga para isso.

Tinha que marcar mais duas consultas, uma para setembro e outra para outubro, para completar os tratamentos, porque senão não tenho direito aos próximos.

Mas se ela, com uma simples destartarização, já ficou com os lábios naquele estado, nem quero imaginar o que poderá acontecer quando for lá novamente. Ainda por cima a médica falou que se calhar teria que usar a broca...

 

Acho que me vou esquecer dos cheques dentista e, quando precisar, pago do meu bolso. Pode ser que seja melhor tratada!