Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Porque é que os ebooks não funcionam comigo?!

Resultado de imagem para ebooks

 

Como apaixonada por livros que sou, prefiro mil vezes os livros em papel, que em formato digital.

Mas, porque acima de tudo, gosto de ler, não me armo em esquisita e, quando há oportunidade, não tenho qualquer problema em ler livros dessa forma.

 

 

Nos últimos meses não tenho tido oportunidade de comprar livros novos e, assim, aproveitei a parceria com a Chiado Books, para ler alguns livros sem gastar dinheiro.

O primeiro foi através do contacto deles. Os outros dois tinha eu visto no catálogo, e pedi. 

Agora, a não ser que a pessoa interessada vá levantar os livros em papel à Chiado, eles apenas enviam em ebook.

 

 

Só que...

Não é a mesma coisa.

O meu telemóvel é um pré histórico que só dá para sms e chamadas pelo que, na rua, enquanto o livro em papel poderia ir sendo lido pelo caminho ou enquanto estava em espera nos serviços públicos, não posso fazer o mesmo com o ebook.

Resta-me lê-los no pc. Quando estou em casa, ao final do dia, depois de um dia inteiro a trabalhar no pc. Por outro lado, não é muito cómodo estar com um pc na cama, em determinadas posições que um livro em papel permitiria.

Ao contrário de um livro em papel, em que, sempre que interrompo, deixo o marcador a marcar onde fiquei, no ebook, tenho que andar à procura da página, porque sempre que entro volta ao início.

E se ainda alguma vontade havia, fica ainda mais reduzida quando, a meio de cada página, me deparo com a marca de água "not for sale", que colocam.

Além disso, noto que me distraio muito mais facilmente numa leitura em ebook, do que quando estou a ler em papel.

 

 

Tenho, há cerca de duas semanas, três ebooks para ler, e ainda não consegui passar da primeira página do primeiro!

 

E, de repente, tornei-me "a louca"...

mulher-digita.gif

 

 

... a louca que corre para o telemóvel , ou pega no primeiro pedaço de papel que tem à mão, para escrever aquela ideia que acaba de surgir, nas horas mais impróprias, e nos sítios mais inusitados.

 

E não é porque são muitas!

É mesmo porque a memória está mais para formiga, do que para elefante e, se não o fizer na hora, minutos depois já não me lembro de nada.

 

E, sim, este post também foi objecto de apontamento, na parte de trás da lista de compras do marido!

Manter o equilíbrio

Resultado de imagem para equilíbrio

 

Poderá uma pessoa, que sempre viveu a sua vida a desempenhar o mesmo papel ao longo dos anos, ter a oportunidade de mostrar as suas outras facetas? Ser-lhe-á, alguma vez, permitido trocar de papel?

Na sociedade, em geral, e no seio da família, em particular, cada membro tem um papel fundamental, e necessário para o equilíbrio.

É esse equilíbrio que mantém toda a estrutura de pé. 

Para que possa haver uma troca de papéis, mantendo o equilíbrio é necessário que, também os outros, o façam. 

Porque, na falta de um pilar que seja, nada resiste, tudo se desmorona.

 

Se existe alguém que leva tudo na brincadeira, tem que haver alguém que leve as coisas a sério.

Se há alguém que gasta, tem que haver alguém que poupe.

Se há alguém que se desmarca, tem que haver alguém que se responsabiliza.

 

E por aí fora...

 

E, quando são sempre os mesmos a desempenhar o mesmo papel durante toda a sua vida, torna-se difícil sair dele, e deixar que outros o assumam. Por outro lado, é algo que gostariam de fazer, para variar: estar, por algumas vezes, do lado de lá, e ver os outros a interpretar o nosso papel.

No entanto, sem uma troca recíproca, é "morte" certa, porque se todos segurarmos a estrutura do mesmo lado, é mais que certo que ela cairá do outro, sem qualquer suporte. E se, simplesmente, deixarmos de a segurar, ela cairá em cima de todos.

Todos precisamos uns dos outros!

Resultado de imagem para precisamos uns dos outros

 

No outro dia, conversava com o meu marido sobre o sentimento de superioridade de boa parte dos licenciados, que se acham mais que os outros só porque andaram numa universidade a estudar não sei quantos anos, e têm agora o título de Dr.

Mas, o que lhes dá esse direito de acharem que, por esse motivo, são mais que os outros? O que são eles a mais que eu, ou que o "zé da esquina"?

Todos precisamos uns dos outros, todos temos a nossa missão, e todos contribuímos com aquilo que melhor sabemos.

E até os "doutores" precisam do homem do lixo, da empregada do supermercado, do eletricista, do canalizador, e por aí fora. Porque sem estas pessoas, e muitas outras, de nada lhes serviria ser "doutor".

O pior, é que esta mania da superioridade está a alastra-se até mesmo àqueles que ainda nem o curso terminaram, ou nem sequer começaram! E a muitos funcionários que, não sendo licenciados, mas tendo cargos administrativos, acham que são mais importantes que o porteiro, a cozinheira, a mulher da limpeza ou o segurança da empresa.

Se querem tirar uma licenciatura, mestrado ou doutoramento, façam-no porque é algo que realmente gostam, e porque sentem que será útil para essas pessoas e para a sociedade. Não pelo simples facto de isso equivaler a um título, e por acharem que isso significa ter direito a tratamento especial.

A sociedade precisa menos de "doutores" e afins que se gabem daquilo que estudaram, daquilo que ganham, dos títulos que adquiriram, e mais de profissionalismo, atitude, ou seja, menos conversa e mais acção.

Porque o melhor profissional, seja em que área for, não é aquele que apenas fala e se gaba, esperando o reconhecimento de todos à sua volta, é aquele que age de imediato, sem esperar nada em troca!

A terceira protagonista do Masterchef Júnior

 

 

Depois do "engraçado" Pedro Jorge, e do "malvado" Gonçalo, eis que está definida a terceira protagonista deste Masterchef Júnior, a "amiga, divertida e boazinha" que passou agora a "irritante" - Maria!

Esta miúda já tinha vindo a ganhar protagonismo e caído em graça, principalmente junto do Manuel Luis Goucha, devido ao seu gosto pela moda, e a sua forma extrovertida de ser.

Eu confesso que, no primeiro programa, não achei muita piada à miúda. No segundo programa, devido à situação com o Gonçalo, considerei que esteve bem, e comecei a simpatizar mais com a Maria.

No entanto, devo dizer que a atitude dela no último programa foi exagerada e desnecessária.

Não é fácil ter a responsabilidade nos nossos ombros, e ter que fazer tudo para não falhar. Não é fácil lidar com a pressão, e com toda uma equipa, de forma calma e segura, e manter tudo sob controlo e os membros unidos.

A Maria percebeu agora o que o Gonçalo passou quando esteve nesse lugar de chefe de equipa, e mostrou que também ela não soube lidar da melhor forma com o cargo.

Compreendo que, por atitudes anteriores, ela já não goste muito de trabalhar com o Gonçalo. Compreendo que tenha os seus próprios métodos de trabalho, e de limpeza. Até compreendo que a "lentidão" lhe faça alguma confusão, numa prova em que todo o tempo é precioso e conta.

Mas a implicância exagerada com o Gonçalo, o estar constantemente a criticá-lo, numa discussão que não lhe ia adiantar os pratos que estavam por confeccionar, era escusada, e só lhe ficou mal.

Porque, por vezes, não basta ter razão. A nossa razão perde-se com determinadas atitudes que temos para com as pessoas visadas.

Se a postura contasse, a vencedora da prova de equipas seria, para mim, a equipa azul. Ganhou a equipa vermelha, a Maria ficou muito feliz por ter vencido, mas tem agora os holofotes que, anteriormente, estavam apontados para o Gonçalo, centrados em si, e não pelos melhores motivos. 

Fico a aguardar os próximos programas, para ver a quem caberá o novo papel, e que papel estará reservado para esse concorrente.

 

 

Imagem: http://www.tvi.iol.pt/masterchef/

 

  • Blogs Portugal

  • BP