Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Das férias que já se foram

Sem Título.jpg

 

Então, Marta, como foram essas férias?

Olhem, passaram-se!

 

Pouca ou nenhuma televisão vi.

Não peguei num único livro.

Deitei-me quase todos os dias cedo (o único em que fiz excepção valeu-me uma enxaqueca).

Levantei-me quase todos os dias cedo (porque as bichanas queriam alguém de pé para as servir).

 

Depois, para mim, férias de verão é sinónimo de praia.

E, por azar, este ano, pouca praia pude fazer, por causa do bicho que me foi diagnosticado.

Só quem passou grande parte da sua vida nas praias, sabe o quanto elas fazem falta, o quanto precisamos delas.

Aquele sol que nos aquece e nos traz energia. Aqueles mergulhos na água gelada que nos revigoram e levam toda a negatividade.

 

Sim, é verdade que fizemos alguns passeios mas, esses, posso fazer em qualquer altura do ano.

Já a praia...

Mas pronto, tudo por uma boa causa.

 

O que é certo é que o dinheiro se foi, não faço ideia em quê, os dias passaram, e parece que não fiz nada de especial.

Penso que é sempre assim, quando olhamos para trás.

Fica sempre a sensação de que se podia ter feito mais, aproveitado melhor.

E a promessa de que no ano seguinte se irá fazer diferente.

É mais uma daquelas que, na hora, com sorte, se desvanece.

 

Enfim...

As férias acabaram.

Agora só para o Natal, e verão, só para o ano.

Restam 11 longos meses de trabalho pela frente, e fins de semana para tentar compensar.

 

Palácio Nacional da Pena, em Sintra

20220828_184813.jpg

 

Ainda no Parque da Pena, como estávamos a poucos metros do Palácio da Pena, apesar de estar quase na hora de encerrar, ainda lá demos um saltinho (digamos que não é fácil acelerar a subir), e conseguimos ver de perto aquele que, ao longe, de onde moramos, observamos lá no cimo da Serra de Sintra.

 

 

20220828_185455.jpg 

20220828_185332.jpg 

20220828_190158.jpg 

20220828_185506.jpg 

20220828_185521.jpg 

20220828_185211.jpg 

20220828_185013.jpg 

20220828_184956.jpg 

20220828_185426.jpg 

20220828_190120.jpg 

20220828_185131.jpg 

20220828_185353.jpg

O Vale dos Lagos

Parque da Pena - Sintra

20220828_174359 (1).jpg

 

Sintra é uma vila lindíssima para se visitar.

Pena é ser tão difícil visitar o que quer que seja, por conta do estacionamento difícil e área restrita junto ao que de mais histórico e bonito se quer ver.

Por isso, tivemos que parar o carro a vários quilómetros, e ir de Uber até ao local.

Estas são as imagens da primeira parte do passeio, ao Vale dos Lagos, no Parque da Pena.

 

 

20220828_174540.jpg

20220828_181429.jpg 

20220828_181208.jpg

20220828_182547.jpg

20220828_182412.jpg

20220828_181720.jpg

20220828_180417.jpg

20220828_180404 (1).jpg

20220828_180004.jpg

20220828_180156.jpg

20220828_181108.jpg

 

20220828_181029.jpg

20220828_181606.jpg

20220828_175700.jpg

20220828_174502.jpg 

20220828_183823.jpg

20220828_183836.jpg

20220828_181353.jpg

20220828_175030.jpg

20220828_181452.jpg

20220828_181219.jpg

20220828_183631.jpg

20220828_183227.jpg

20220828_181539.jpg

20220828_182526.jpg

20220828_173755.jpg

20220828_173947.jpg

20220828_175429.jpg

Uma visita à Quinta do Pisão

IMG_2224.JPG

 

O passeio do passado fim de semana acabou por ser uma escolha de última hora depois de, pela terceira vez, nos ter sido cancelada a visita que tínhamos programada arruinando, mais uma vez, os planos.

 

 

IMG_2196.JPG

 

Mas, como se costuma dizer, há males que vêm por bem e, por isso, optámos por visitar a Quinta do Pisão, que está inserida no Parque Natural Sintra-Cascais, no sopé da Serra de Sintra.

 

 

IMG_2197.JPG

IMG_2199.JPG

IMG_2200.JPG

 

Logo ao início, é possível ver os burros, em liberdade, no pasto. Achei uma piada ao mais pequenote, e um outro que se rebolava de um lado para o outro na terra, deitado, e ficámos com pena de não nos podermos aproximar mais deles.

 

 

20220724_145912.jpg

20220724_150131.jpg

20220724_145742.jpg

20220724_150138.jpg 

20220724_145825.jpg

20220724_145847.jpg

 

Mais à frente, encontrámos o estábulo, onde é possível ver cavalos, burros e cabras.

É também possível fazer algumas actividades com estes animais, mas tem que ser por marcação, e com antecedência, por isso, não tivemos sorte.

 

 

20220724_140922.jpg

20220724_145631.jpg

20220724_153438.jpg 

20220724_143431.jpg 

 

Podemos observar diferentes espécies de árvores, plantas e flores, bem como toda uma diversidade de fauna, conforme nos vai sendo indicado ao longo do percurso.

 

 

20220724_154050.jpg 

 

Por toda a quinta, vamos encontrando espaços para descansar, e de piquenique, como este, até porque o espaço ainda é grande, e anda-se muito.

 

 

20220724_152615.jpg 

20220724_145152.jpg

20220724_144642.jpg

20220724_143030.jpg 

 

Pelo caminho, é possível ver estas casinhas, e postes, bem como um poço, e uma gruta, que está vedada.

A quinta tem ainda uma horta biológica, onde é possível apanhar os produtos e pagar, depois, na loja.

As lagoas não fazem parte do percurso delineado. Tínhamos esperança de as ver mas, não conhecendo bem, e havendo algumas zonas vedadas, não deu para tal.

O mesmo com as ovelhas, que só conseguimos ver ao longe.

 

A entrada é gratuita.

Tem dois parques de estacionamento.

Há uma loja onde pode pedir informações, ver os mapas do percurso, e comprar merchandising.