Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Tipos de polícias nas estradas

Resultado de imagem para desenhos de polícias

 

 

Com os quais já nos deparámos:

 

 

I - Os prestativos

Há os que, quando interpelados para pedir informações ou esclarecer dúvidas, tentam esclarecer e ajudar o melhor que podem

 

II - Os apressados

Há os que nos mandam seguir, afirmando que não têmpo para isso, e temos que sair dali rapidamente porque já estamos a empatar o trânsito 

 

III - Os conflituosos

Há ainda os que, mesmo não estando em serviço, e estando os condutores a pedir informação a terceiros, buzinam, param ao lado, reclamam e implicam porque aquilo não é sítio para se parar, não querendo nem saber o motivo pelo qual isso aconteceu

 

IV - Os cumpridores

Podem até ser simpáticos e compreender a situação mas, lei é lei, e é para ser aplicada quando se infringem as regras, sem excepções

 

V - Os benevolentes

Avisam-nos do que está mal mas, ainda assim, deixam-nos seguir viagem com a promessa de não voltar a acontecer

 

VI - Os caça-multas

Estão, ou surgem, onde menos esperamos, e só têm um único objectivo - a multa - nem que para isso tenham que inventar infracções

 

 

Alguém quer acrescentar mais alguns comportamentos destas autoridades que já encontraram nas estradas?

Sobre Um Refúgio para a Vida

 

Acabei esta semana de ler o livro Um Refúgio para a Vida e, como já esperava, gostei muito mais do livro do que do filme.

Eu dividiria a história em três partes, ligadas entre si, que nos mostram três vidas e três pessoas diferentes.

 

Erin/ Katie

Uma mulher meiga, carinhosa e apaixonada que, um dia, amou o seu marido. Uma mulher que não teve uma infância muito feliz, embora também não tenha sido trágica, e que pensou encontrar, no seu marido, a segurança que lhe faltava. Puro engano! Tornou-se ainda mais insegura, passou a viver com medo, e a odiar o seu marido e a si própria, por não conseguir mudar o rumo dos acontecimentos. Uma mulher corajosa e engenhosa que, quando percebeu que o seu destino, se não agisse, seria a morte, foi buscar forças onde nem sabia que as tinha e arriscou fugir, procurar o seu refúgio para a vida.

 

Kevin

Um homem déspota, possessivo, agressivo, controlador, egoísta e alcoólico, que não gostava que a sua mulher fosse amiga de ninguém. Um homem que não a deixava ir a lado nenhum sozinha, que passava pela casa quando estava por perto, ou ligava para o telefone de casa aleatoriamente, só para se certificar que ela lá estava. Que controlava todos os seus passos, o dinheiro que ela gastava. Que batia, pedia desculpas, mas logo a seguir voltava a agredir. Um homem que afirmava que a amava e que não gostava de lhe bater, mas que ela o fazia perder a cabeça por ser tão egoísta e só pensar nela. Que a faz acreditar que a culpa era dela. Um homem crente que se guiava, à sua maneira e como mais lhe era favorável, pela Bíblia.

 

Alex

Um homem pacato, trabalhador, viúvo, pai de dois filhos, que tenta como pode, ser pai e mãe para aquelas crianças. Um homem que fez uma promessa à sua falecida esposa, de voltar a ser feliz e encontrar uma nova mulher e mãe para os seus filhos. Um homem que se irá apaixonar por uma ilustre desconhecida que, certo dia, “deu à costa” em Southport. Um homem que irá proporcionar a Katie, aquilo que ela sempre sonhou ter e viver.

 

Erin tenta então, pela última vez, escapar das agressões do marido e arma um plano que acaba por levar a cabo enquanto ele está fora em trabalho. E vai parar a Southport, onde vai conhecer Alex e os seus filhos, e apaixonar-se de novo. Conhece também uma nova amiga muito especial, sua vizinha, Jo para os amigos, que a vai acompanhar até aos momentos finais.

Já a viver uma relação com Alex, a agora Katie só vai ter paz quando o seu marido deixar de a perseguir. E Kevin vai persegui-la, como um louco, até às últimas consequências, nem que para isso tenha que matá-los aos quatro. Mas a sua amiga vodka acaba por ser a sua perdição…

 

É um excelente livro sobre a violência doméstica, que recomendo!

  • Blogs Portugal

  • BP