Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Matéria da universidade no 9º ano?!

Resultado de imagem para neurónios

 

Há cerca de um ano ouvi falar, pela primeira vez, em termos como sistema nervoso central, sistema nervoso periférico, sistema simpático, sistema parassimpático e afins.

Estava o meu marido no primeiro semestre da licenciatura em Ciências do Desporto, a estudar esta matéria na cadeira de Anatomofisiologia. Ele bem me queria explicar todos estes conceitos, mas eu já não o podia nem ouvir falar deles!

 

Este ano, quando deu uma olhadela nos conteúdos das várias disciplinas que a minha filha iria dar, torci logo o nariz às ciências: a maior parte da matéria era sobre o corpo humano - a matéria em que sempre teve mais dificuldades. Mal sabia eu o que estava por vir.

 

Ontem, trouxe uma ficha de ciências para fazer. Pediu-nos ajuda. Era sobre o sistema nervoso.

Eu estava a olhar para aquilo pela primeira vez, o livro não é muito explícito e fiquei um pouco à nora. O meu marido ajudou, e ficou extremamente surpreendido porque a matéria que ela está a estudar, foi aquela que ele teve na universidade!

 

Será impressão minha, ou os programas cada vez exigem mais dos alunos, e cada vez mais cedo?

Ou serão os alunos de hoje muito mais capacitados para apreender uma quantidade infinita e complexa de conhecimentos, do que éramos nós, no nosso tempo?

 

O que eu sei é que tanto a minha filha, que está a aprender esta matéria, como o meu marido, que já a estudou, como eu, que a vi pela primeira vez, de tanto olhar para os livros e imagens dos neurónios, ficámos com os nossos próprios neurónios todos avariados! 

Quando terminámos o último exercício, foi uma festa!

 

A estreia do Got Talent Portugal

Foto de Got Talent Portugal.

 

Estreou ontem mais um Got Talent Portugal.

E, mais uma vez, um programa que abrange vários talentos diversificados, tende a valorizar aqueles, para os quais existem outros programas mais direccionados.

A culpa não é de quem se inscreve, nem de quem escolhe - é das regras.

Pelo pouco que vi, gostei da postura dos apresentadores.

 

 

Sobre os jurados

Foto de Got Talent Portugal.

Valha-nos o Pedro Tochas!

O Manuel, é o Manuel.

A Cuca, dispenso. Tragam de volta a Sofia Escobar :)

Deixei de simpatizar com a Cuca numa participação que ela fez, penso que numa das edições do Ídolos em que ela, ao invés de deixar brilhar o concorrente, ou pelo menos partilhar o brilho, ocupou-se de grande parte da música, deixando pouco para quem devia fazer mais.

E pelo que vi no domingo, a minha antipatia por ela mantém-se.

 

 

Sobre os concorrentes

Foto de Got Talent Portugal.

"Qual foi a parte da tua actuação, em que imitaste a Shakira?!"

Pergunto-me o mesmo!

E ela disse mesmo "youtuve"?!

Por momentos, confesso, pensei que fosse um travesti. Acho que, mal por mal, prefiro a Maria Leal!

 

 

 

Foto de Got Talent Portugal.

O Pedro Freitas surpreendeu-me. Quando ele disse que ia declamar poesia, pensei: "ui, já foste".

Mas a verdade é que foi espectacular! Do melhor que tenho visto no género. 

Poderoso, emotivo, expressivo. Só não sei até onde poderá chegar neste programa, que tende a valorizar sempre o mesmo.

 

 

 

Foto de Got Talent Portugal.

Mais uma "Micaela"? Sim, cantou muito bem, tem um dom incrível, mas pareceu-me que houve ali qualquer coisa (nervos, voz tremida?). Mas foi um momento marcante no programa. E teve direito ao botão dourado!

 

 

De resto, houve bons talentos a ser mostrados, e mais música e dança. 

Aliás, há concorrentes persistentes, e que já vamos conhecendo de outros programas. Foi o caso da Inês Gameiro na edição passada, e do Vadim, nesta. O que me faz alguma confusão é como bailarinos como estes, professores e habituados a competições, até a nível internacional, chegam a um programa e fazem uma atuação que levou os jurados a considerar apenas "suficiente", e com a Cuca a dar um "não".

 

Vamos aguardar pelos próximos capítulos!

 

Imagens Got Talent Portugal

O tendencionismo dos programas de TV

 

A propósito do programa Masterchef Júnior, li na capa de uma revista que a família do concorrente Gonçalo está revoltada com o programa.

Não admira! Depois de terem passado aquelas imagens das atitudes do filho para milhões de pessoas verem, é normal que não tenham gostado até porque, neste momento, estão todas as armas apontadas para o miúdo, as críticas não se fizeram esperar, e ele está a ficar conhecido pelas piores razões.

A primeira coisa que me veio à mente, quando li estas palavras, foi "não deveria antes estar revoltada com as atitudes do próprio filho?".

 

Mas a questão, se bem aprofundada, vai muito além de uma atitude egoísta e baixa de um miúdo.

 

 

A verdade é que a televisão "vende-nos" aquilo que ela própria quer, e lhes convém, independentemente de tudo o resto.

Li no blog no Manuel Luís Goucha que, para se gravar um episódio, são precisas cerca de 12 horas, distribuídas pelo fim de semana. Depois, existe alguém que faz uma selecção, edição de imagens e compacta o que acha mais relevante, para transmitir numa hora e meia de programa.

 

Ora, no primeiro programa, propositadamente ou não, deram destaque ao Pedro Jorge, que desde logo conquistou o carinho da maioria dos telespectadores que assistiram à estreia. E, mesmo sem saber se chegará à final, tornaram-no uma pequena estrela.

Já no segundo programa, mais uma vez, não sei se propositadamente ou não, resolveram dar a conhecer o(s) vilão(ões), a competição desleal entre concorrentes, e centrar todos os holofotes no Gonçalo mostrando, continuamente, cenas onde o mesmo não agiu da melhor forma com os colegas, e mostrou uma faceta que não abona nada a seu favor.

 

 

 

Agora pergunto eu: Porquê? Para quê? Qual era o objectivo? Pôr toda a gente a criticá-lo, a persegui-lo, a discriminá-lo, a insultá-lo? Quem sabe até, a ameaçá-lo?

É que se, ao menos, essa exibição tivesse vindo acompanhada de uma conversa dos chef's com o rapaz sobre a sua atitude, de uma penalização pelo seu comportamento a título de exemplo de que não vale tudo numa competição que se quer saudável...Mas não. Ou, pelo menos, não passaram essa ideia.

Então, não teria sido preferível evitar que essas imagens chegassem até nós? E resolver a questão fora do grande ecrã?

Terão os responsáveis pelo programa alguma noção das consequências que a exibição destas imagens pode trazer à vida da criança em causa e da sua família?

É certo que as crianças, quando aceitam participar neste tipo de programas, sabem que se estão a expôr, para o bem e para o mal, e aceitam todos os termos do contrato. E os pais, se concordaram com a participação, também estão cientes do que ela implica.

Também é certo que a primeira pessoa a evitar que isto acontecesse deveria ser o próprio concorrente, sabendo que estava a ser filmado e que as imagens poderiam chegar a mais gente.

 

Mas, haveria mesmo necessidade de fazê-lo desta forma? Ou foi pura estratégia para prender os telespectadores ao programa, primeiro através da imagem do engraçadinho e bom rapaz que a todos faz rir, e agora através da imagem do vilão sem escrúpulos?

Não será, esta forma de agir, uma forma de discriminação e bullying? Não haverá um certo tendenciosismo nestes programas de televisão?

Blogmas - Dia 14 - Programas de TV

Durante esta época natalícia, existem alguns programas de TV que já são típicos, uns mais antigos, outros que se mantêm:

 

Programas:

Natal dos Hospitais (sobre este assunto falarei melhor num outro post)

Bravo Bravíssimo - costumava passar na noite da consoada e era um programa para toda a família ver

Circo de Montecarlo

 

Filmes:

ET

Sozinho em Casa

Filmes de animação para as crianças

Um Conto de Natal

 

E vocês, o que costumavam ou costumam ver na televisão nesta época?

 

Podem por favor fazer uma pausa...

 

..e não falar durante uns tempos de trails, maratonas, caminhadas e corridas?

É que tudo o que é demais enjoa e eu, que ainda nem sequer comecei a correr, já estou cansada de tanto ouvir falar destes assuntos.

Em casa, o meu marido está sempre a falar dos trails que gostava de fazer, das corridas em que se vai inscrever, dos sites que publicitam estas provas.

Parece que agora é moda toda a gente correr, toda a gente participar em provas, toda a gente escrever e falar sobre isso.

Toda a vida houve atletas e outras pessoas que fizeram e fazem da corrida um hobby, uma forma de estarem em forma sem gastar dinheiro, uma terapia. Mas não são esses que andam sempre a falar do assunto. Para esses é algo que faz parte da rotina, algo natural. Podem recomendar a esta ou aquela pessoa, incentivar, mas só isso.

Por outro lado, são muitos os novas adeptos desta modalidade que fazem questão de mostrar o que fazem, porque fazem, como, quando e onde fazem.

Às tantas, parece-me que as pessoas estão mais interessadas em mostrar que correm, do que na corrida propriamente dita. 

E até o termo mudou para uma palavra mais fashion - em vez de corrida, agora é running! Hoje em dia, em vez de as pessoas pegarem nuns ténis, num fato de treino, e saírem para a rua, vão agora também equipadas com telemóveis e outros equipamentos para registar por onde passaram, que tempo fizeram, os km que percorreram, etc. Há, inclusivé, programas para isso!

Acho um exagero! Mas como a moda está longe de passar de moda, podiam pelo menos fazer uma pequena pausa, e dar tempo de antena a outros assuntos? 

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP