Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Que resposta se dá a isto?!

Imagem relacionada

 

Na praia, a entrar no mar, mas ainda com a maior parte do corpo de fora, levo com água de uns rapazes que se lembraram de brincar.

O primeiro, que estava ao meu lado, mandou areia ao outro. O segundo, de frente para mim, chateado, começou a mandar água ao outro, só que me acertou a mim.

Reclamei, com eles, para terem cuidado.

O parvalhão, que se achava o rei do mar, responde-me, de trombas:

"Está na água, não se quer molhar?"

 

É preciso ter lata! Faz asneira e, em vez de pedir desculpa, ainda acha que tem razão e agiu bem.

 

Não me deixei ficar:

"Eu gosto de me molhar sozinha, não preciso que me molhem!"

 

Entretanto, foi o que estava ao meu lado que acabou por pedir desculpa, enquanto o outro reclamava sozinho que a praia é pública.

 

Que resposta se dá a isto?!

Resultado de imagem para what

 

Na última reunião de pais, falava a directora de turma com os pais acerca do comportamento da turma. 

Não é uma questão de serem mal educados para os professores, ou casos de indisciplina grave. São sim, de forma geral, muito conversadores.

Nesse dia, por esse motivo, tinham sido convidados a sair de uma aula dois alunos. Uma das mães perguntou se, por norma, apenas eram expulsos da aula os alunos que provocavam a situação. 

A professora respondeu:

 

"Nem sempre o aluno que vai para a rua é aquele que se portou pior na aula. O que acontece, por vezes, é que determinados alunos vão-se portando mal, e o professor vai aguentando.

Depois, um outro pode até fazer uma coisa mínima, mas é nessa altura que o professor enche as medidas, e acaba por ser esse a pagar por todos!"

 

Ou seja, 2 ou 3 alunos fazem porcaria quase toda a aula. Um outro tem o azar de fazer um disparate, e é ele que vai para a rua, enquanto os outros permanecem na aula.

Será justo? 

 

 

 

Que resposta se dá a isto #2

 

 

Primeiro email, recebido dia 8:

"Olá Marta, estive no teu blogue e vi o que escreveste sobre o livro A Rapariga no Comboio, gostei muito do que li.

Queria pedir te se me podias escrever um resumo da história tal como fizeste mas com o seguimento da história, achas que podias?

Muito Obrigada"

 

Segundo email, recebido dia 8:

"Agradecia muito que me respondesses nem que seja pra dizer se podes ou não me fazer esse favor, é muito importante pra mim. E também precisava de tirar uma pequena duvida sobre o livro se poder ser claro. Já agora a duvida é se a historia se pode dizer que é um romance ou um policial? Ou as duas coisas? É que fiquei mesmo na duvida. Fico a aguardar a tua resposta aos dois emails.

Mais uma vez muito obrigada"

 

Terceiro email, recebido dia 9:

"Era mesmo muito importante que me tivesse respondido, mas pronto está visto que há pessoas que não merecem mesmo consideração nenhuma. Fazem um trabalho tao bom é visto e apreciado por imensas pessoas e depois disso já não querem saber de ninguém, já nem sequer podem ajudar uma pessoa.
Mas obrigada por nada, por não me ter ajudado."

 

 

 

Resposta, enviada hoje:

"Olá bom dia.

Só hoje vi os seus emails, daí não lhe ter respondido mais cedo.
O meu blog é apenas uma parte da minha vida, ao qual me dedico nos meus tempos livres. Trabalho o dia todo, e tenho casa, marido, filhos e gatas para cuidar, pelo que nem sempre a minha disponibilidade é aquela que os seguidores desejariam. 
A verdade é que, tal como eu não a conheço, também não me conhece para estar a tecer juízos de valor sobre a forma como trato os meus seguidores do blog, e fica-lhe muito mal esta atitude da sua parte, só porque não lhe pude responder no momento em que pretendia.
Quanto às suas questões, teria todo o gosto em responder-lhe, dentro da minha disponibilidade, indicando-me qual era a finalidade ou objectivo das mesmas mas, tendo em conta este último email por si enviado, como deverá calcular, terá que procurar ajuda junto de outro blogger que demonstre "mais consideração" que aquela que, na sua opinião, eu lhe concedi.
 
Obrigada"
 
 
E é isto. Faz parte da vida de blogger!
  • Blogs Portugal

  • BP