Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Os vários "efeitos" que se aplicam na vida

Aprenda Como Criar um Efeito Dominó na sua Vida

 

Vinha hoje para o trabalho e, já não sei a que propósito, veio-me à mente algumas expressões que usamos para explicar determinados acontecimentos, mais conhecidos como "efeitos".

Lembrei-me destes:

 

"Efeito Borboleta"

Refere-se à forma como as mais pequenas alterações num determinado ponto, podem gerar transformações com proporções drásticas e significativas, noutro ponto qualquer sem que, à partida, se pudesse esperar isso dada a pouca relação entre ambos. 

 

"Efeito Bola de Neve"

Refere-se à forma como uma acção que, isolada, começa por ser pequena, pode vir a aumentar gradualmente, quando a ela se vão acumulando outras tantas pequenas acções, sendo que o efeito dessa aglomeração se torna perigoso ou desastroso.

 

"Efeito Dominó"

Refere-se, basicamente, a diversos acontecimentos que se sucedem em cadeia.

Basta um determinado efeito, para gerar outro, levando a uma sucessão dos mesmos, provocando estragos. 

Isto acontece, por norma, quando existe uma proximidade ou dependência entre os objectos desses efeitos.

 

Por aí, conhecem mais alguns para acrescentar à lista?

Será consequência da idade?

Resultado de imagem para vida

 

 

 

Pensar que a vida é curta demais para nos deixarmos contagiar pelo mau humor dos outros, para deixar que alguém, cujo dia não está a correr bem, consiga afectar o nosso dia, descarregando em nós aquilo que os frustra?

 

Dar cada vez menos importância a coisas e situações em que, antes, ficávamos a matutar e a remoer o tempo todo?

 

Ver determinadas pessoas com outros olhos e perceber que, algumas dessas pessoas com as quais antes até nos identificávamos, e poderiam fazer parte das nossas vidas, são aquelas que hoje, quereríamos bem longe e não têm nada a ver connosco, nem com a nossa forma de ser e estar na vida?

PAE e Tutoria - o que é isto?

Resultado de imagem para careta desenho

 

 

Primeiras reacções ao ver o horário da minha filha, no telemóvel do meu marido:

 

- Não tem manhãs nem tardes livres?! 

- Sai tardíssimo 

- Ainda continua a ter Ética e Cidadania? Já não bastavam 13 disciplinas?! 

- O que raio é PAE e Tutoria?

- Apoio a Português e Matemática. Será obrigatório? 

- A foto não apanhou a legenda! 

 

Uns dias depois:

 

Afinal tem uma tarde livre 

Graças ao facto de esta coisa da Tutoria ser apenas para quem teve retenções 

PAE, que é um Plano de Acção Estratégico, é obrigatório para todos os alunos do 7º ano. 

Parece que os Apoios são só para alunos em dificuldades, indicados pelo Conselho de Turma. Talvez se safe, para já. 

 

No conjunto, até não é um horário muito mau. Há piores!

Mas continuo a achar um exagero a quantidade de disciplinas que lhes impingem no 7º ano. E um aumento de 5 aulas na carga horária, relativamente ao ano anterior.

 

 

Nos últimos tempos...

 

...tem sido assim:

 

qualquer coisa serve para implicar,

qualquer atitude nos irrita,

qualquer palavra nos ofende,

qualquer comentário nos exalta os ânimos,

qualquer observação nos provoca reacções exageradas,

 

e tudo isto nos reduz a muito pouco, e tende a transformar aquilo que sentimos em algo que não expressa, minimamente, a verdade e a realidade dos nossos sentimentos.

 

Existirá alguma vacina para este vírus que nos atacou?

O luto e a perda

 

O que é o luto? A roupa escura que se veste por respeito ao falecimento de alguém? Pode ser. Mas não se resume a tão pouco.

O luto é, sim, um conjunto de reacções a uma perda, seja ela de que natureza for, com diferentes formas de expressão em cada cultura, e com determinadas características.

No início, normalmente, ocorre a negação da perda. Segue-se o choque (muito embora, na minha opinião, possa acontecer o inverso - primeiro o choque, e depois a negação).

As pessoas entram num processo que pode incluir, entre outros sentimentos, estado de choque, raiva, impotência, hostilidade e solidão. É normal sentirem-se sozinhas e isoladas, até porque elas próprias se isolam e querem ficar sozinhas.

A fase seguinte caracteriza-se por uma profunda tristeza. Há uma tendência para relembrar a perda. Essas recordações, intercalando as agradáveis e desagradáveis, são muitas vezes acompanhadas de tristeza e choro, que vão diminuindo com o passar do tempo, à medida que as pessoas se vão reorganizando, ainda que com recaídas. 

A última fase é a aceitação da perda.

Nem todas as pessoas vivem da mesma forma cada uma destas fases, cuja duração é igualmente variável em função do tipo de perda e da pessoa que a experiencia. Mas, por norma, todas passam por elas. E por mais que os outros lhes tentam dar ânimo, força, palavras de conforto ou qualquer outro tipo de ajuda, embora sejam gestos benvindos, nem sempre vão minorar os efeitos devastadores da perda, nem aquilo que as pessoas estão a sentir. Penso mesmo que, muitas vezes, o silêncio é de ouro. Quem acompanha estas pessoas pode sentir um certo desconforto, nervosismo ou constrangimento, evitando falar do assunto, porque não sabe o que dizer nem o que fazer. 

Mas o mais importante, é mostrar interesse, sensibilidade e disponibilidade. Estar presente, de forma sentida e sincera.

Sim, porque existem algumas pessoas que só estão presentes em corpo. Que vão a funerais para pôr a conversa em dia com familiares e conhecidos, para ver quem leva o quê vestido, se foi de preto ou de branco...Que falam ao telemóvel e trocam mensagens em plena igreja...Que marcam presença só para "inglês ver"...Que se aproximam para tudo menos apoiar, ou apoiam com interesse...Que nem se aproximam, ou logo se afastam só porque não sabem o que dizer...E, definitavamente, não é esse tipo de ajuda que as pessoas precisam.