Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Rapto Escaldante, de Sandra Brown

Resultado de imagem para rapto escaldante sandra brown

 

O nome do livro engana. Não me pareceu muito escaldante este rapto, ao contrário do que poderíamos começar a imaginar.

A história começa num bar, onde estão dois homens contratados para matar Jordie, irmã do homem que, supostamente, deitou a mão a 30 milhões de dólares. Tudo leva a crer que foi o sócio do irmão que encomendou a sua morte.

No entanto, no último momento, Shaw atira contra o parceiro e rapta Jordie, tentando fazê-la falar, antes de a matar, sobre onde está o seu irmão Josh, e onde está o dinheiro. Só que Jordie nada diz.

Enquanto isso, Josh consegue escapar, mas tem agora que arcar com as consequências dos seus actos, que poderão passar pela morte da sua irmã, e pela sua.

 

Esta é a típica história de Sandra Brown. Mas consegue, ainda assim, surpreender.

Começamos logo com a personagem Shaw. Era de esperar que ele não fosse, afinal, o criminoso que dão a entender, mas um elemento qualquer da CIA ou do FBI. E, no entanto, acabamos por vê-lo ir para o hospital, depois de ferido, tratado como um assassino procurado e algemado à cama de hospital.

E ao contrário do que seria de esperar - ele passar o tempo todo em fuga com Jordie - enquanto ele é preso, Jordie fica sob protecção da polícia, e sob custódia, até novos desenvolvimentos, sobretudo para controlar o que ela sabe, até que ponto está envolvida na fuga do irmão, e se o está ajudar, o que não augura nada de bom. 

Percebemos que houve algo que se passou entre Jordie e Panella, o homem que encomendou a sua morte, e que ela não quer revelar.

Também percebemos que Jordie tem um papel protector de irmã mais velha, mas há algo mais, que a prende ao irmão, que não a deixa viver a sua própria vida.

A determinado momento, comecei mesmo a desconfiar que seria Jordie quem estaria na posse do dinheiro, já que nem o irmão, nem Panella, parecem saber onde está, ou sabem, mas falta-lhes a última peça do puzzle.

E, de tão embrenhada que estava na história, há pormenores que escapam, e estive convencida até muito próximo do fim que Jordie ia ser apanhada e correria perigo. E não deixa de ser verdade. Mas quem sempre ameaçou a sua vida, e tenciona matá-la, é aquela pessoa que nunca me passaria pela cabeça!

Adorei esta reviravolta.

E é por isso que sou fã incondicional da Sandra Brown, e vou continuar a devorar todos os livros dela, assim ela tenha inspiração e vontade para os escrever!

 

 

SINOPSE

Num bar fumarento e sombrio do Louisiana, o olhar de Shaw Kinnard cruza-se com o da elegante Jordie Bennet. Mas não se trata de amor à primeira vista. Ele está lá para a matar. Jordie sente que chegou a sua hora. Mas Shaw tem outros planos, pois sabe que o irmão dela, Josh, deitou indevidamente a mão a 30 milhões de dólares. No último minuto, Shaw poupa a vida de Jordie mas rapta-a. Agora, estão ambos em perigo, pois não são os únicos que procuram Josh e a fortuna roubada. 

Jordie e Shaw precisam um do outro para se manterem vivos - mas confiar é baixar as defesas. E se Shaw emana uma aura de perigo que é quase irresistível, Jordie não lhe fica atrás; é misteriosa e impenetrável, e incapaz de revelar o que sente. À medida que o desejo e a tensão entre ambos aumentam, torna-se evidente que terão de fazer o impensável: confiar um no outro. 

RAPTO ESCALDANTE é uma história de encontros, desencontros e enganos… mas quem está a enganar quem?

Ligações Arriscadas, de Sandra Brown

Resultado de imagem para ligações arriscadas sandra brown

 

Mais um livro da Sandra Brown acabadinho de ler, para juntar à colecção!

 

Pontos positivos:

Continua a inovar e a reinventar-se a cada nova história com que nos presenteia, e a manter o suspense até ao final, sem sabermos bem quem é o mau da fita, e que segredos escondem as personagens, embora neste caso tenha desvendado cedo o autor, deixando apenas por descobrir o motivo.

 

Pontos negativos: 

Não me cativou logo nas primeiras páginas, ao contrário dos restantes;

Parece-me que detectei neste livro alguns erros de escrita  e, até mesmo, uma forma de escrever que nem parece a Sandra Brown como a conhecemos;

 

Crawford Hunt é um ranger texano, pai de uma menina que deixou, durante 4 anos, à guarda dos avós, por ter percebido que não estava em condições de cuidar dela naquela altura.

No entanto, após várias sessões com a psicóloga, e verificando-se as condições para ficar com a guarda da filha Georgia, ele assim fez, requerendo essa mesma guarda ao tribunal.

No dia em que a juíza Holly se iria pronunciar e proferir a sentença, ocorre um atentado na sala do tribunal, acabando Crawford por salvar a vida da juíza, e pondo em causa o seu objectivo de ficar definitivamente com a filha.

E se, num primeiro momento, Crawford é visto como um herói, no seguinte, torna-se no principal suspeito. À medida que a investigação avança, e que o ranger fornece aos investigadores as pistas que vai descobrindo, e que se inclinam numa direcção, estes têm uma leitura e perspectiva diferente, que os leva direitinhos a Crawford. E ele está cada vez mais próximo da juíza Holly...

Mas não será só este incidente a dificultar-lhe os planos. O sogro também não vai descansar enquanto não o vir longe de Georgia, de preferência, preso. E, diga-se de passagem, Crawford proporciona-lhe esse desejo quase de bandeja, devido à sua impulsividade.

 

Quem vencerá a batalha pela guarda de Georgia?

Estará a juíza Holly a unir-se ao seu potencial assassino, sem o saber?

Na vida, existem ligações arriscadas, que levam muitas vezes a um desfecho inesperado...

 

SINOPSE

"Crawford Hunt acabou de preparar o quarto novo da filha. Em tons de rosa, a cor preferida de Georgia. No dia seguinte, se tudo correr bem em tribunal, a sua menina voltará para casa depois de quatro anos de ausência.
Após a morte da mulher, Crawford - ranger de profissão - mergulhou numa profunda depressão. Mas desde então fez tudo ao seu alcance para dar a volta por cima. O seu destino encontra-se agora nas mãos da juíza Holly Spencer.

Porém, tudo aquilo que ele conseguiu com tanto esforço vai ser posto à prova na sala de audiências, quando um homem armado dispara contra Holly. Instintivamente, o ranger protege-a. Não podia saber que estava a pôr em causa o seu futuro com Georgia… pois, por um lado, acaba de mergulhar num mistério do qual dificilmente sairá ileso. Por outro, vai comprometer a própria Holly. A juíza faz tudo para reprimir os seus sentimentos, mas revela-se incapaz de negar a surpreendente - e altamente inapropriada - atração que sente pelo ranger.

Sob o peso de tamanha responsabilidade, Crawford sente o seu mundo descarrilar de novo. Não pode perder a filha… mas para poder recuperar a sua vida de outrora, precisa desesperadamente de pôr fim a uma situação impossível.

Um vertiginoso thriller sobre a importância dos laços de família e os segredos que estamos dispostos a guardar para os proteger…"

Caminhos Sombrios - Sandra Brown

001.jpg

 

No seguimento do post anterior, foi este o livro da Sandra Brown que li este fim-de-semana. Ou, melhor, devorei!

Emory é uma pediatra que gosta de correr nos tempos livres. E, para se preparar para a próxima maratona, que ela própria organizou, decide ir correr, naquele sábado de manhã, para uns trilhos numa montanha da Carolina do Norte.

O marido, com quem discutiu antes, não a quis acompanhar, nem a conseguiu demover. Até ficou feliz porque assim aproveitou para passar o fim-de-semana com a amante.

Enquanto isso, Emory leva uma pancada na cabeça durante o treino, e acorda numa cabana com um desconhecido que nada lhe diz sobre ele, mas que a trata de forma bondosa, embora todo o cenário à sua volta possa ser sombrio. Ele não lhe permitirá ligar para ninguém, ir a um hospital, utilizar sequer o portátil. Não a prende directamente, mas não lhe dá muitas hipóteses de fuga, por montanhas cobertas de neve e sob um nevoeiro cerrado que não permitiruia ver nada a dois passos de distância.

E assim, Emory permanece numa cabana abandonada no meio das montanhas, com um estranho que parece foragido da justiça, e vê-se envolvida num assalto a um consultório médico, para salvar uma adolescente que está a precisar de cuidados médicos.

Por outro lado, o marido faz o seu papel de preocupado e indignado com as desconfianças que os agentes parecem ter em relação a ele.

E os sócios de Emory, entre os quais Alice, uma das grandes amigas dela, e amante do seu marido, oferecem uma recompensa a quem encontre Emory.

Quatro dias depois, Emory aparece, viva, e metida em maus lençóis, quando o seu marido ficar a saber tudo o que aconteceu, e os agentes começarem a investigar mais a fundo o que se passou naqueles dias em que ela esteve ausente, e que ela insiste em dizer que não se lembra bem.

Mas o perigo que Emory corre é bem maior que a descoberta de que se transformou numa fora da lei. O homem misterioso que a ajudou vai voltar, e levá-la com ele. Mas será que é ele que representa o perigo, ou será ele, na verdade, o seu guardião, que a vai proteger de quem está bem perto dela, pelos motivos errados? 

 

Se gostam do género, não deixem de ler!

 

Ler um livro de 400 páginas em poucas horas é possível?

 

Sim, é possível!

Não é fácil um livro tão grande conseguir segurar e motivar o leitor em cada página que lê, mas a Sandra Brown tem esse efeito sobre mim.

Ninguém consegue ter aquela capacidade de manter o suspense, e fazer-me querer ler mais e mais e mais, porque a cada novo capítulo há uma surpresa guardade para mim. Deve ser por isso que não perco nenhum dos livros da Sandra Brown, e estou sempre à espera do próximo!

Sim, as histórias podem partir todas da mesma premissa: uma mulher que será a possível vítima, um homem que nos dá todos os motivos para acreditar que é ele o criminoso, mas que acabamos por descobrir que não, e alguém que nunca desconfiámos acaba por ser o verdadeiro culpado. O salvador, quase sempre não se pode, ou não se quer, envolver com a mulher que tenta proteger, mas acaba por fazê-lo. A mulher, apesar de todas as aparentes evidências, ainda assim acredita neles e sente-se mais segura ao seu lado. Quase sempre, este homem desaparece por uns tempos, deixando o romance em supenso, mas volta nas linhas finais para ficar com a mulher.

Mas, ainda assim, gosto de ler Sandra Brown, e deliciar-me com as voltas e reviravoltas que ela dá às suas histórias, e que nos prendem a cada uma das páginas, até ao desfecho.   

O Último Minuto da Sandra Brown!

IMG_1381[1].JPG

 

Isto não é o que parece!

Eu não estou com ideias de tirar a vida da senhora, até porque é uma das minhas escritoras favoritas. 

Estou, na realidade, a referir-me ao seu último livro lançado que, por coincidência e curiosidade, tem o mesmo título de um livro de outro dos meus autores favoritos (Jeff Abbott) - O Último Minuto!

Sobre este livro, tenho a dizer que não é daqueles que prende logo na primeira página, como já aconteceu com outros livros da Sandra Brown.

Comecei a lê-lo, e a pensar "quando é que começa a acção?". Não a de há uns anos atrás, na caça a um grupo de terroristas, mas a de agora.

E ela acaba mesmo por chegar, envolvendo-nos aos poucos.

Tudo começa no ano de 1976, num confronto entre polícia e terroristas, do qual dois destes últimos escapam com vida - Carl Wingert e Flora Stimel, levando consigo um bebé. Desde então, nunca mais ninguém ouviu falar deles, julgando-os mortos. Até ao dia em que, por mero acaso, numa análise de ADN, se coloca a hipótese de um homem, recentemente assassinado, ser o filho do casal de terroristas.

Já na actualidade, Gary Headly (agente do FBI prestes a reformar-se) incumbe o seu afilhado Dawson Scott, jornalista, de fazer a reportagem do julgamento do assassino do suposto filho de Carl e Flora - Jeremy Wesson. Este aceita, mas não sabe o que lhe espera.

De um dia para o outro, vê-se apaixonado pela viúva Amélia Nolan, envolvido com os filhos desta, suspeito de um homicídio, e a proteger Amelia e os filhos contra um novo crime.

Quem quererá fazer mal a Amélia? A verdade é que, desde o início, andam a ocorrer coisas estranhas, que culminam com a morte da ama dos filhos que, por acaso, estava a usar um impermeável que lhe pertencia.

Estará Jeremy Wesson, seu ex-marido e pai dos seus filhos, cujo corpo nunca foi encontrado, vivo? Quererá ele matá-la?

Vamos avançando na leitura, e descobrindo que algumas personagens não são aquilo que pareciam, e escondem grandes segredos.

Ao mesmo tempo, ao longo da história, a autora foi inserindo páginas do diário de Flora Stimel, que podem vir a esclarecer muitas das dúvidas que vão surgindo na leitura.

Mas deixo-vos com uma, que só ficarão a saber se lerem o livro (tão mázinha): "E se o filho desaparecido de Carl e Flora for, na verdade, Dawson Scott?"

Sandra Brown, fico à espera do próximo! E que ainda venham muitos depois deste último minuto!

 

  • Blogs Portugal

  • BP