Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Serviço VASP Expresso x CTT Expresso

Resultado de imagem para vasp expresso

 

Na segunda-feira encomendei ração para as nossas gatas.

Paguei à hora do almoço. Escolhi o serviço VASP Expresso, para entrega da encomenda na morada.

No dia seguinte entregaram a encomenda. Ligaram antes a perguntar se estava alguém em casa.

Serviço 5 estrelas, como sempre!

 

 

Resultado de imagem para ctt expresso

Na terça-feira encomendei um livro na Wook.

Paguei nesse mesmo dia e, no dia seguinte, de manhã, recebi sms dos CTT Expresso, a dizer que a mesma seria entregue nesse dia, entre as 09h e as 19h.

Cheguei a casa à hora de almoço e, qual o meu espanto, quando a minha mãe me diz que o carteiro não lhe entregou a encomenda, apenas o aviso para ir levantar aos correios!

Ao que parece, o carteiro parou a mota, e começou logo a preencher o aviso ainda antes de sequer bater à porta. Nas opções, assinalou destinatário ausente.

A minha mãe, que o ouviu chegar e estava avisada da chegada da encomenda, assistiu a tudo à janela.

Quando viu que ele ia pôr o aviso na caixa de correio, abriu a porta, e o dito carteiro deu-lhe o aviso em mãos, dizendo que teria que ser levantada nos correios.

O que é que me dá a entender? Que ele nem sequer tinha a encomenda com ele, porque não tinha lógica entregar o aviso, tendo ali a encomenda. A não ser que seja dos que gosta de complicar o simples...

 

 

Posto isto, liguei para a linha dos CTT, que gentilmente me sugeriu pedir o serviço SIGA, com o respectivo custo acrescentado.

Eu sou uma pessoa muito calma, mas não brinquem comigo nem me tirem do sério. Então eu ainda tinha que pagar mais por um erro deles?! Lá me passaram à linha dos CTT Expresso, que ainda tentou umas desculpas, disse-me que teria que ir levantar aos CTT, mas acabou por registar a reclamação, alertando-me que não garantia que voltassem à morada para nova entrega.

Ontem à tarde, fiz reclamação contra os CTT e CTT Expresso, e ainda comunicação para a Wook.

À noite, liguei novamente para a linha dos CTT Expresso. Já tinham uma resposta. Irão fazer a entrega hoje. Já vi que se encontra em distribuição. Vamos lá ver como corre.

Das duas vezes que fiz encomendas na Wook, com o serviço CTT Expresso, tive problemas. A culpa, não tenho dúvidas, é do carteiro.

Dizem que já acautelaram para que não volte a acontecer. Será suficiente?

E quem me paga os 10 euros que gastei na chamada para resolver o problema que o carteiro criou? Bem feito seria sair do bolso dele! Podia ser que assim deixasse de fazer asneiras!

Não era boa ideia?!

Resultado de imagem para atendimento ao publico com qualidade

 

Há pessoas que, pelos seus maus modos, pouca vontade de trabalhar, ou lentidão, deveriam ser reformadas antecipadamente, levando desconto agravado, proporcional ao motivo da reforma e às queixas dos ofendidos!

 

Concordam?

 

E vem esta reflexão a propósito de quê? De muitos episódios que já presenciei e de outros tantos que já aconteceram comigo, como foi o caso esta semana.

 

Num serviço público, estava a ser atendida num balcão, e precisei de ir a outro, pelo que transferiram a minha senha para o respectivo. É suposto sair para a sala de espera, e esperar que chamem, mas como o sistema não estava no seu melhor, e nem sempre as transferências são feitas, disseram-me para ir directamente ao balcão, porque não tinha ninguém.

 

Chego lá, e vejo que estão dois funcionários, uma a atender, e o outro sem ninguém, e é a esse que me dirijo, explicando a situação. Ele verifica que a senha não foi transferida e pede-me para esperar um bocadinho.

Pergunto se quer que espere lá fora.

Responde que não, para esperar, que quando a colega dele acabasse de atender, tratava do meu assunto.

Enquanto isso, ele permaneceu ali sentado, ainda em horário de expediente, a fingir que fazia alguma coisa, sem me atender a mim,nem chamar mais ninguém.

 

Já não é a primeira vez que ele faz cenas destas, para além de ser sempre mal educado com as pessoas. Talvez pense que,por ser mais velho e, provavelmente, mais antigo, tem determinados privilégios, incluindo o de passar o trabalho que lhe compete aos colegas.

Onde é que está a farmácia?

Resultado de imagem para what

 

 

E pronto, para terminar a semana de férias em grande, nada melhor que ficar doente!

É o resultado da mistura explosiva entre sol na cabeça e banhos de água gelada no mar :)

 

Ontem à noite, depois de dois dias a rebuçados para a garganta, tive mesmo que ir ao hospital. Diagnóstico - faringite!

Fomos à suposta farmácia de serviço permanente, indicada no mapa do hospital, levantar os medicamentos. Chegámos lá e...onde é que está a farmácia?!

Prateleiras vazias, portas trancadas, gradeamento. Nada de farmácia. Consultámos pela net, e também dizia que era aquela. Mais pessoas foram, entretanto, chegando lá para o mesmo, ficando à toa.

Voltámos ao hospital, onde a funcionária nos informou que agora a farmácia era noutro lado. Mas, se não perguntarem, as pessoas que se guiam pelo mapa vão todas enganadas. 

Não era mais fácil afixar um aviso da mudança de instalações, junto ao mapa?

Uma estupidez, que nos faz andar a todos às voltas de um lado para o outro, a gastar gasolina, porque em Mafra mesmo, não havia nenhuma disponível.

 

Chegados à farmácia, estive mais um tempo à espera na rua, enquanto a Dr.ª procurava os medicamentos, ligava para uma colega, voltava a procurar...

 

Por fim, lá encontrou tudo!

Os médicos no serviço público e no privado

O meu marido é da opinião de que os médicos, nas clínicas privadas, só se interessam pelo dinheiro e, com ele garantido, pecam no atendimento dos utentes, dando pouca importância aos seus problemas e mostrando pouco interesse, preocupação ou profissionalismo. Já os médicos do serviço público, que cada vez recebem menos, não exercem a sua profissão com vista ao lucro e, como tal, mostram-se mais atenciosos com quem os procura.

Eu, sou de opinião contrária! Considero que os médicos, assim como todos os que trabalham, sentindo-se injustiçados face à constante redução dos seus salários, tendem a sentir-se desmotivados para o exercício da sua profissão e, como tal, pouco querem saber dos utentes que a eles recorrem, e tão pouco estão preocupados com o que lhes possa acontecer, porque não são suficientemente pagos para isso. Por outro lado, um médico que cobra um preço que acha justo pelo seu serviço, está mais motivado e tem obrigação de justificar o valor cobrado, com um atendimento mais amável, atencioso e cuidado.

Claro que, havendo excepções, encontramos bons e maus profissionais em qualquer um dos serviços - público ou privado. Até porque os médicos realmente profissionais exercem a sua profissão por amor à mesma, porque se sentem bem a ajudar o próximo, a melhorar a vida de cada um dos seus pacientes ou, simplesmente, a ser um ouvinte atento ou dar uma palavra amiga de consolo ou incentivo, fazendo disso a sua prioridade, sem olhar aos escassos meios que possam haver ou ao dinheiro que poderão, ou não, receber.

E quanto à questão da atenção que é dada aos pacientes, por médicos e enfermeiros? Falava disso a Van

do blog http://nuagesdansmoncafe.blogs.sapo.pt após um comentário que fiz sobre o assunto.  

Quem será mais atencioso? Os médicos ou os enfermeiros? 

Temos tido alguma sorte com os médicos que nos têm calhado, mas parece-me que os enfermeiros saem a ganhar. 

No hospital D. Estefânea, por exemplo, posso falar bem dos enfermeiros e da segurança, mas os médicos são para esquecer. No hospital de Torres Vedras, na parte da pediatria e internamento, tanto médicos como enfermeiros foram 5 estrelas. Já na maternidade, nem uns nem outros me deixaram saudades.

Mas, de uma forma geral, os médicos estão lá para observar, passar receitas e exames e pouco mais. São os enfermeiros que mais cuidam, que mais acalmam, que mais conversam, que mais atenção nos dão, que estão sempre lá noite e dia para o que precisarmos.

 

 

O serviço de apoio ao cliente da Fnac

 

Depois do concerto da Violetta, fui ao site da Fnac à procura de um CD que a minha filha queria comprar "Violetta en Vivo".

Da primeira vez, vi o CD, vendido não pela própria Fnac mas sim por um vendedor particular Mecodu. Fiz a encomenda mas não paguei logo, até porque não sabiua se era seguro ou fiável. Mais tarde percebi que havia também o mesmo CD vendido pela Fnac, pelo que fiz nova encomenda.

Mas, ao pesquisar pelas músicas do referido CD, percebi que havia o CD com apenas 20 músicas, e o CD + DVD é que continha as 20 músicas mais 5 faixas adicionais. Qualquer deles com disponibilidade de 2 a 4 semanas, ou seja, não têm em stock, tendo que encomendar ao editor. Como fiquei na dúvida, liguei para o serviço de apoio ao cliente da Fnac.

Ora, um serviço de apoio ao cliente, especialmente para encomendas e vendas online, deveria prestar informação nesse sentido, e esclarecer os potenciais ou actuais clientes sobre os produtos que estes pretendem adquirir.

Não foi o caso! Ah e tal, só conseguimos ver aqui que existe o CD e o CD + DVD, mas não lhe sabemos dizer que músicas têm, ou se há alguma diferença entre um e outro. Para isso, terá que se dirigir a uma loja FNAC e pedir lá essa informação. Então, mas se o artigo não está imediantemente disponível (pelo menos no site), será que eles lá na loja terão o produto para eu poder visualizar? Ou será que a base de consulta desse tipo de informação é diferente no site e na loja?

De qualquer forma, se eu quisesse ou me fosse extremamente fácil dirigir a uma loja, não recorria ao site.

Como me disseram também, no serviço de apoio ao cliente, para informações sobre produtos vendidos no Market Place, as perguntas deveriam ser feitas aos próprios vendedores, no site. Assim fiz. Ao fim de mais de uma semana, não obtive qualquer resposta.

Para evitar ir a uma loja, pesquisei os contactos de lojas FNAC, para ligar em vez de ir. Uma gravação informou-me que, para qualquer informação, deveria ligar para o número de apoio ao cliente!

 

Muito bem, pensei. Andamos tipo pescadinha de rabo na boca. E nisto, já tinha mais duas encomendas feitas, sem saber qual delas pagar.

Assim, graças a este espectacular serviço de apoio ao cliente da Fnac, e à rapidez no esclarecimento e prestabilidade de informação tanto deste, como dos vendedores do Market Place, acabei por pagar um produto que se intitulo Violeta en Vivo CD + DVD, sem visualização de qualquer imagem, sem saber se realmente é este o produto que a minha filha quer ou não.

Restava-me aguardar até ao final do mês para ver se a encomenda chegava, e se não tinha que a devolver em seguida!

Mas, qual não é o meu espanto quando vejo anunciar, na televisão, o CD + DVD Violetta em Concerto! Já à venda. Vou ao site da Fnac, e lá está ele! Exactamente aquilo que eu queria, muito mais barato e com a indicação de todas as faixas!

Resultado, mais uma encomenda cancelada, uma nova e, espero, última encomenda feita e paga, e agora é esperar que ela venha, e que a devolução do dinheiro já gasto não demore muito! 

 

 

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP