Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

You gotta get up and try, try, try...

 

Ouvi, pela primeira vez, esta música da Pink, num dia em que a minha vida parecia querer virar do avesso.

Um dia em que eu pensei que tínhamos chegado ao temido fim da linha... E uma parte do refrão ficou marcada na minha memória "só porque queima, não significa que vais morrer, tens que te levantar e tentar, tentar, tentar".

A minha interpretação desta frase é dupla: o termos que reconstruir a nossa vida e seguir em frente, não ficando presos ao que não deu certo porque, apesar da decepção e frustração, não será isso que nos "matará"; e o termos que continuar a lutar pela relação e pelo amor que sentimos, contra tempestades, nuvens negras e temporais, porque nada disso nos derrubará.

E foi nesse sentido que, depois de algumas conversas, o sol voltou a brilhar e a esperança renasceu. Desapareceram automaticamente as minhas paranoias, os meus receios, as minhas previsões pessimistas, dando lugar à tranquilidade, paz e felicidade!

No entanto, parecendo imitar o tempo que insiste em nos dar um dia de sol, para logo em seguida nos voltar a dar chuva, também nós parecemos não sair deste ciclo vicioso de paz temporária e ameaças de tornados cada vez mais constantes.

Há quem diga que o amor verdadeiro não é feito de serenidade permanente, antes pelo contrário, dele fazem parte todos os altos e baixos que a relação sofre ao longo do tempo.

Mas chega um momento em que as nossas forças começam a faltar... Talvez seja melhor voltar a ouvir a Pink, e recuperá-las! 

 

Se soubesse que não iria falhar...

...casava-me!? (novamente)

 

Acho que qualquer pessoa, se soubesse à partida que não iria falhar, faria tudo aquilo que muitas vezes não faz ou hesita em arriscar, por não saber se irá dar certo ou não.

E, se é certo que, "estando deitados, não corremos o risco de cair, mas também não andamos para lado nenhum", que é o mesmo que dizer que, apesar de não haver certezas, mais vale arriscar e viver, do que ficarmos parados e quietinhos na nossa zona de conforto, também é certo que, por vezes, precisamos mais de segurança do que aventuras!

Se nos dá prazer viver cada momento sem saber o que dali poderá resultar, ou o que o futuro nos reserva, e ir descobrindo aos poucos, também seria bom se, uma vez por outra, nos levantassem uma pontinha do véu, se nos mostrassem uma pequena luz que nos iluminasse.

Se é verdade que é com os erros que aprendemos, e que precisamos de experimentar tudo na vida, porque só assim poderemos tirar partido desta nossa breve passagem, também é verdade que algumas vezes seria melhor saber como evitar certos acontecimentos, e seguir outro caminho.

Falhar é humano, e quase sempre vale mais tentar e falhar, do que nem sequer tentar. Digo quase sempre, porque acredito que há momentos em que é preferível fazer uma paragem. Cabe-nos a todos nós decidir! 

  • Blogs Portugal

  • BP