Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Sugestões para o fim-de-semana

 (cliquem na imagem)

 

Aqui ficam as sugestões do Fantastic para os próximos dias, na rubrica semanal "Fora de Casa"!

 

Esta semana, como não poderia deixar de ser, destaco dois programas aqui no concelho - uma gala de teatro solidário e uma noite de contos à lareira.

Mas há muito mais - comédia, um festival das sopas solidário, um festival de curtas-metragens, e muita música, com destaque para o concerto de apresentação do novo álbum de Tony Carreira.

Agrada-vos?!

História de uma mini fã

 

Esta é a história de uma mini fã do cantor Tony Carreira, que começou há cerca de 7 anos atrás!

Uma menina que, com 3 anos, começou a ouvir as músicas deste cantor quando andava de carro, com o pai e, desde então, ficou viciada.

Passava o tempo a ouvir os CD's que o pai tinha até que, mais tarde, lhe ofereceram novos CD's e até o DVD com o concerto dos 15 anos no Pavilhão Atlântico.

Com o tempo, foi decorando as letras das músicas, e depois cantava e imitava as bailarinas. Punha-nos também a ouvir e desafiava-nos para dançar com ela. E foi assimilando toda a informação sobre o Tony Carreira e a família.

Aos 4 anos, levámo-la ao concerto que o Tony Carreira deu na Baía de Cascais. Para ela foi o melhor presente que lhe podíamos ter dado!

Infelizmente para ela, não conseguiu ficar mesmo lá à frente, mas ficou sensivelmente a meio, e assistiu à maior parte dos espectáculo às cavalitas do pai.

Foi melhor assim. Já foi um pouco irresponsável da nossa parte, como pais, levá-la. E tememos pela sua segurança. É que as pessoas atropelavam-se umas às outras, empurravam e discutiam para poder passar à frente dos outros e ficar com o melhor lugar. Até mesmo os homens!

Mas correu tudo bem. E até apareceu numa foto que publicaram numa revista. Só ficou com pena de não ter estado mesmo ao pé dele no fim do concerto.

E assim continuou esta admiração à medida que foi crescendo.  

Há uns anos atrás, teve a sorte de ter o Tony Carreira a cantar aqui em Mafra, embora não tenha conseguido, igualmente, chegar perto dele.

Hoje, essa menina tem 10 anos! E já anda mais calma :) Já ouve uma diversidade maior de músicas e não fala tanto do cantor. Hoje, brincamos com ela quando ouvimos falar dele e a lembramos de como era viciada. Ainda assim, continua a ser fã, mas não tão mini!

 

A inveja não é bonita...

 

...e não nos fica nada bem!

 

Segundo consta, José Cid, vá-se lá saber porquê, decidiu empreender um ataque ao seu colega de profissão, o cantor Tony Carreira, acusando-o de ser "um cantor fraquinho, que só alcançou o sucesso devido a uma enorme estrutura de marketing".

Mas as críticas não se ficam por aqui. Para José Cid, Tony Carreira "evoluiu em termos estéticos, mas não como compositor e intérprete". E vai mais longe, afirmando que as suas músicas têm "letras rafeiras e falta de originalidade, sendo os seus concertos fabricados e não genuínos".

José Cid considera-se um intérprete superior a todos os níveis e frequentador/ convidado para meios aos quais Tony Carreira nunca chegará.

Não sei a que se deveu este súbito ataque, mas posso dizer que tais afirmações não lhe ficam nada bem.

Alguém que se afirma "superior" nunca se prestaria a críticas deste género, nem tão pouco teria necessidade de se gabar a si próprio.

Se é por inveja, só lhe posso dizer que é um sentimento muito feio.

Felizmente, neste mundo, há músicas e cantores para todos os gostos, e ninguém é obrigado a ouvir aquilo que não gosta, aquilo que "não pertence ao seu mundo".

Por isso, se o Sr. José está satisfeito com o seu público de "gente bonita", com os seus concertos em determinadas festas, casamentos e outros locais onde nem todos, incluindo Tony Carreira, podem ir, óptimo! Se os seus concertos são genuínos, ainda melhor para ele!

Mas a verdade é que, se houve uma época em que José Cid esteve no auge da sua carreira, essa época há muito passou.

Os tempos são outros e, por mais que não se queira, o marketing e todo o processo de produção de espectáculos são algo perfeitamente normal e que não tem, necessariamente, por objectivo diminuir ou disfarçar a qualidade das músicas e do cantor que as interpreta.

Não sou fã de José Cid. Também não sou do Tony Carreira. Mas já fui a um concerto deste último e não me pareceu que aquelas quarenta mil pessoas tenham ido em excursões organizadas pelo próprio.

A verdade é que, quer queiramos, quer não, Tony Carreira move massas - mulheres, homens e até crianças - ninguém lhe fica indiferente. E chegou onde muitos outros cantores não conseguiram chegar!

Já se vamos falar de "letras refeiras", poderia dizer que a letra de uma das suas músicas "como o macaco gosta de banana eu gosto de ti..." é uma letra digna de enquadrar essa classe! Por vezes, as pessoas ganhavam mais se estivessem caladas.

Embora cada um seja livre de expressar a sua opinião, e os seus gostos, considero que seria uma atitude mais digna respeitar um colega de profissão, com todas as suas diferenças, sem ataques nem desafios.

Resta a Tony Carreira mostrar, com a sua suposta "inferioridade", que um ataque deste género não merece resposta nem contra-ataque.

Porque quem está seguro do seu valor e das suas capacidades, não precisa de o provar a ninguém que não seja a si mesmo! E não precisa de se servir de "golpes baixos" nem descer ao mesmo nível de quem, gratuitamente e sem aparente motivo, lhe lança críticas!

 

 

 

PS.: Para aqueles que sabem que a minha filha é fã incondicional do Tony Carreira desde os seus 4 anos, informo que não foi ela que me "obrigou" a  escrever este post! {#emotions_dlg.smile}

 

  • Blogs Portugal

  • BP