Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

"Tu" ou "você": como tratar os bloggers que não conhecemos?

Resultado de imagem para tu ou você

 

Aqui na blogosfera somos todos membros da mesma comunidade.

Muitos de nós amigos. Alguns, vizinhos próximos. Outros, apenas conhecidos.

Mas existem, a todo o instante, pessoas novas a chegar ao bairro, que nos visitam ou que visitamos, e a quem queremos dar as boas vindas.

 

 

Ora, quando conhecemos as pessoas, ou elas tomam a iniciativa de nos tratar de uma determinada forma, é fácil.

Mas, quando não conhecemos as pessoas, e somos nós a dar o primeiro passo, de que forma devemos tratá-las?

Por tu? Ou por você?

Será o tratamento por "você" demasiado formal entre bloggers? 

Será o tratamento por "tu" abuso de uma certa confiança e intimidade que ainda não existe?

 

Já vos aconteceu querer comentar algum blogger, e surgir esta dúvida?

Como ficar com a boca destruída em pouco tempo

Imagem relacionada

 

Sobre os advogados que são atribuídos às pessoas que pedem apoio judiciário à Segurança Social, há aquela ideia generalizada de que, como são mal pagos, não querem saber dos clientes e nada fazem para defender os seus interesses como fariam se, em vez de serem pagos pelo instituto competente, a baixo custo, fosse o cliente a pagar o valor justo pelo serviço.

A verdade é que os advogados só trabalham nesta modalidade se se inscreverem para tal. Ninguém os obriga. E nem todos são iguais.

 

No entanto, e no que diz respeito aos dentistas, começo a concordar com essa opinião generalizada. Ninguém os obriga a aderir a programas de saúde dentária, como é o caso do "cheque dentista". Mas, se aderiram, só têm que fazer o mesmo trabalho que fariam se fosse eu a pagar do meu bolso.

Em Agosto marquei consulta na clínica para a minha filha, supostamente, para a mesma médica onde tinha ido antes. Afinal era outra, com o mesmo nome.

Estávamos na sala de espera quando sai de lá uma adolescente a queixar-se da boca. Chamaram a minha filha.

Ia apenas fazer uma destartarização, e pôr selante em alguns dentes.

Saiu de lá com os lábios todos feridos e inchados, e assim continuaram por uns 3 ou 4 dias, gretados, a sangrar.

O meu marido está farto de fazer destartarizações, numa outra clínica, e nunca ficou assim.

 

Tanto a outra adolescente, como a minha filha, tinham lá ido no âmbito do "cheque dentista".

Não sei se é a médica que não tem mesmo jeito nenhum, ou nem se preocupou em ter cuidado porque não está a ser bem paga para isso.

Tinha que marcar mais duas consultas, uma para setembro e outra para outubro, para completar os tratamentos, porque senão não tenho direito aos próximos.

Mas se ela, com uma simples destartarização, já ficou com os lábios naquele estado, nem quero imaginar o que poderá acontecer quando for lá novamente. Ainda por cima a médica falou que se calhar teria que usar a broca...

 

Acho que me vou esquecer dos cheques dentista e, quando precisar, pago do meu bolso. Pode ser que seja melhor tratada! 

 

Maculopatia? O que é isso?

Não há uma sem duas, nem duas sem três!

Depois de ter tido um descolamento do vítreo, em 2014, e herpes ocular, em 2015, tinha que me aparecer qualquer coisa este ano.

 

Dizem que, por vezes, os animais sentem e sofrem de acordo com os problemas que os seus donos têm.

Numa segunda-feira, a Becas não conseguia abrir o olho direito, algo que nos assustou e levou a ir com ela ao veterinário. Não detectaram nada, e nunca mais lhe aconteceu isso.

Na terça-feira de manhã, acordei com o olho direito, com uma ligeira sensação de que estava a ver de uma forma esquisita. Premonição de gata?!

Mas como já é costume acontecer quando durmo com o braço por cima dos olhos, esperei para ver se passava.

 

Quando pus os óculos, tinha a impressão de que estava ali qualquer parte suja ou embaciada, mas limpava, e não passava. Com as lentes de contacto, a mesma coisa. A sensação é a de que está ali qualquer coisa à frente - um reflexo, um embaciamento muito ligeiro, quase imperceptível, a incomodar, notando-se mais quando olhava em frente.

 

Pesquisei na internet, e poderia ser apenas vista cansada, poucas horas de sono, ou algo do género. Deitei-me cedo nesse dia e esperei para ver como acordava no seguinte.

Continuava igual.

Fiz nova pesquisa. Poderia ser cataratas. Os meus pais já foram ambos operados às cataratas, pelo que poderia ser o meu caso também. 

Marquei consulta no oftalmologista, para não adiar mais e andar a inventar, sem certezas de nada. 

 

 

Nem sabia para que médico me tinham marcado, até que o dito me chamou, e percebi que tinha sido o mesmo que me viu em 2014. Relembrou-me que eu tinha ficado de lá ir ao fim de um mês e não apareci. Quatro anos depois não é um grande atraso, pois não?! E que devia ser vista, pelo menos, uma vez por ano, devido à minha predisposição para problemas de visão.

 

Perguntou-me quinhentas mil vezes o meu nome, ao longo da consulta. parecia atarantado, sem saber como gerir as três fichas das pacientes que ali estavam.

Fez um primeiro exame geral, concluindo que continuo a ver o mesmo que em 2014, e que a tensão ocular estava normal. 

Pôs-me gotas para dilatar a vista e juntei-me às outras duas mulheres que já ali estavam sentadas, na sala de espera, de olhos fechados, à espera que fizesse efeito. Como é óbvio, abri algumas vezes, que não estou ali a cumprir castigo!

Nessa mesma sala estava um pai com uma criança que não parava de arrastar brinquedos e tagarelar, ao mesmo tempo que reclamava com a recepcionista pelo atraso na consulta, até que desistiu, e foi um alívio para o cérebro.

 

Fui finalmente chamada. Fez novo exame, e colocou-me umas gotas analgésicas para me pôr uma lente no olho logo de seguida, antes de fazer efeito.

Não viu nada no meu olho através desta observação, e descansou-me quanto a cataratas ou lesões da retina.

Mas... há sempre um mas...

Suspeita de maculopatia, que só poderá ser diagnosticada através de um exame específico - OCT (Tomografia de Coerência Ocular), feito no Instituto onde trabalha, a nível particular, e que custa cerca de 125 euros (pela caixa poderia ter que aguardar alguns meses).

 

Mas o que é exactamente a maculopatia, e o que implica.

Mais uma vez, e estritamente baseada em informações recolhidas na internet, parece ser uma lesão da mácula, órgão que fica na parte de trás do olho, responsável pela visão central, e que pode ter diversas causas, entre as quais, a idade, a exposição excesiva ao sol e a miopia, entre outras.

 

Resultado de imagem para maculopatia

A progressão será mais ou menos esta, ao longo do tempo, se não for tratada.

Não existe cura, apenas tratamento, que retarda a progressão e pode, em alguns casos, proporcionar algumas melhorias na visão.

 

O que o médico me disse foi que, quando fosse fazer o exame, ele via logo e logo se via o que fazer, caso se confirmasse o diagnóstico.

É que não estando ainda a minha visão afectada, não vale a pena tratar, apenas vigiar. Mas se começar a sentir a diminuação da visão, aí teria que me encaminhar para o serviço público,porque os tratamentos são dispendiosos pelo privado.

Para já, tenho que tomar vitaminas - Luteína Forte - para ajudar a proteger a visão, por tempo indeterminado. 

E marcar o exame o quanto antes porque, se em férias, o desconforto era mínimo, no trabalho, já atrapalha mais.

 

Deixo aqui estes dois links que pesquisei, se quiserem saber mais:

 

https://www.saudebemestar.pt/pt/clinica/oftalmologia/maculopatia/

https://retinapro.com.br/blog/voce-sabe-o-que-e-degeneracao-macular-descubra-aqui/

 

 

 

Todos precisamos uns dos outros!

Resultado de imagem para precisamos uns dos outros

 

No outro dia, conversava com o meu marido sobre o sentimento de superioridade de boa parte dos licenciados, que se acham mais que os outros só porque andaram numa universidade a estudar não sei quantos anos, e têm agora o título de Dr.

Mas, o que lhes dá esse direito de acharem que, por esse motivo, são mais que os outros? O que são eles a mais que eu, ou que o "zé da esquina"?

Todos precisamos uns dos outros, todos temos a nossa missão, e todos contribuímos com aquilo que melhor sabemos.

E até os "doutores" precisam do homem do lixo, da empregada do supermercado, do eletricista, do canalizador, e por aí fora. Porque sem estas pessoas, e muitas outras, de nada lhes serviria ser "doutor".

O pior, é que esta mania da superioridade está a alastra-se até mesmo àqueles que ainda nem o curso terminaram, ou nem sequer começaram! E a muitos funcionários que, não sendo licenciados, mas tendo cargos administrativos, acham que são mais importantes que o porteiro, a cozinheira, a mulher da limpeza ou o segurança da empresa.

Se querem tirar uma licenciatura, mestrado ou doutoramento, façam-no porque é algo que realmente gostam, e porque sentem que será útil para essas pessoas e para a sociedade. Não pelo simples facto de isso equivaler a um título, e por acharem que isso significa ter direito a tratamento especial.

A sociedade precisa menos de "doutores" e afins que se gabem daquilo que estudaram, daquilo que ganham, dos títulos que adquiriram, e mais de profissionalismo, atitude, ou seja, menos conversa e mais acção.

Porque o melhor profissional, seja em que área for, não é aquele que apenas fala e se gaba, esperando o reconhecimento de todos à sua volta, é aquele que age de imediato, sem esperar nada em troca!

Contradições médicas #2

Resultado de imagem para pílula cerazette

 

A pílula provoca quistos nos ovários:

 

Efeitos colaterais do Cerazette

Cefaléia
Aumento de peso
Dor nas mamas
Náusea
Sangramento irregular
Amenorréia
Acne
Alterações de humor
Diminuição da libido
Vaginite
Dismenorréia
Cistos ovarianos
Vômitos
Alopecia
Fadiga
Dificuldades em utilizar lentes de contato
Exantema (rash)
Urticária
Eritema nodoso

 

Para eliminar os quistos nos ovários, os médicos recomendam a toma da pílula!

 

"Quando estiverem em causa quistos pequenos e persistentes (ovários multifoliculares), está indicada a utilização de contraceptivos orais (pílulas) para controlar a actividade dos ovários e, consequentemente, levar à diminuição dos quistos."

 

Em que é que ficamos?

  • Blogs Portugal

  • BP