Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Quando as pessoas não têm opinião própria

Artigos_opiniao.png

 

Hoje em dia, quase toda a gente tem uma opinião a dar, qualquer que seja o assunto.

Umas mais informadas ou fundamentadas que outras, é certo. Mas as pessoas gostam de mostrar o seu ponto de vista e, se em muitos casos, nem sequer lhes é pedido, ou não serve para nada, noutros, as opiniões são bem vindas.

Não vem mal ao mundo em partilhar e trocar opiniões, e até pode ser enriquecedor, ou gerar boas conversas e debates.

Mas, para isso, é preciso que as pessoas apresentem aquela que é, de facto, a sua opinião.

 

E o que se vê, por vezes, é que as pessoas nem sempre têm opinião e, como tal, vão atrás das opiniões alheias, consoante a sua conveniência. Hoje, até são da mesma opinião que fulano x mas, amanhã, se for preciso, já são da opinião de fulano y que, por acaso, até é contrária à do x!

Ou, pior, mudam de opinião sem qualquer critério, só porque sim. Porque é melhor ir atrás da maioria. Ou porque é mais cool ser do contra.

 

São opiniões que, na prática, não valem nada porque, na verdade, as pessoas que as pronunciam não têm sequer uma opinião formada.

Já em relação àqueles que, realmente, mostram a sua opinião, esta acaba por gerar, muitas vezes, em vez de discussões saudáveis, verdadeiros pesadelos para quem as pronuncia.

Porque quem está do lado de lá, nem sempre está preparado para ouvir opiniões contrárias à sua. E, a única forma de evitar dissabores, é manter-se calado, ou concordar com os outros.

 

Por isso, para quem está no lugar do ouvinte diria que há que respeitar todas as opiniões, ainda que contrárias à sua. Se fosse para todos pensarmos da mesma forma, e termos o mesmo ponto de vista, tinham-nos feito robots, e programavam-nos para tal.

Para quem está no lugar de opinante, que dê a sua opinião, se de facto tiver alguma, ou mantenha-se calado, se não a tiver, em vez de estar a roubar as dos outros. 

 

 

Quando o livro e o filme não batem certo

Resultado de imagem para dei-te o melhor de mim

 

Já há vários anos que li o livro do Nicholas Sparks "Dei-te o Melhor de Mim" e, mais tarde, em 2014, assisti ao filme no cinema.

Este fim de semana, voltei a ver o filme, que tinha passado na TV e gravei.

 

E ao vê-lo novamente, vinham-me à memória de pedaços do livro, e dava por mim a pensar "então, mas esta não era a parte em que...", "então, mas esta cena não se tinha passado naquele sítio...", então mas não acontecia aquilo?".

Por curiosidade, fui ver as páginas do livro, e percebi que estava certa. O filme trocou algumas voltas ao livro, e eu já não me lembrava disso porque a versão que me ficou na mente, foi a original!

 

De qualquer forma, a emoção que senti ao vê-lo foi a mesma!

 

The Voice Portugal: quando o público troca as voltas aos mentores

A gala de ontem foi um desastre que, como não poderia deixar de ser, terminou de forma desastrosa!

O público deu o seu contributo, trocando algumas voltas aos mentores, os concorrentes fizeram a sua parte, e os mentores finalizaram com o que acharam melhor, dentro do que lhes sobrou.

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Equipa do Mickael - o próprio mentor admitiu que o público baralhou a sua decisão. Para bom entendedor, meia palavra basta :) É óbvio que, se fosse ele a decidir, levaria a Inês e o Simão. Tendo o público escolhido o Fábio, um dos seus preferidos teria que ficar para trás.

Confesso que, nas galas, não estou a gostar de ouvir a Inês, embora tenha estado menos mal nesta segunda gala. Talvez tenha valido o facto de o Simão já ser repetente, e querer dar oportunidade à Inês, ou porque acha que ela tem grandes hipóteses de vencer. Mas não percebo como é que ele pôde ficar tão entusiasmado com a actuação dela, a ponto de fazer certos comentários.

Foi também a primeira vez que ouvi o tema "Espera" do Fernando Daniel, e confesso que não gostei muito.

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Equipa da Aurea - mais uma mentora a quem o público trocou as voltas. Aposto que, se fosse a Aurea a decidir, teria ficado com a Cláudia e o Joaquim. Mas o público, pela segunda vez, votou na Ana Paula, que está cada vez mais perto de se tornar finalista. Apesar de, como a própria afirma, a sua página ter ainda poucos seguidores, a público está com ela!

Restou à Aurea optar por dois dos seus mais fortes concorrentes, sendo que um deles teria que ficar de fora do Top 8. Decidiu salvar a Cláudia. Qualquer dos dois esteve à altura, e merecia seguir em frente.

 

 

Foto de The Voice Portugal. 

Equipa do Anselmo - era óbvio que o público iria, mais uma vez, votar na Kátia, que será a mais provável finalista desta equipa.

Entre a Telma e a Marta, preferi a Marta. E, ao que parece, o Anselmo achou o mesmo, porque foi para ela o voto de confiança.

Gosto da voz da Telma, mas não na música que escolheu ontem, que estragou por completo.

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Equipa da Marisa - não percebi porque foi, novamente, a última a actuar. Será por ter três meninos bonitos e assim, manter as meninas todas à espera para os ver?! Será por ter três fortes concorrentes, que todos querem ver, e assim manter as audiências?

O que quer que tenha sido, aqui por casa resultou! Estávamos a torcer pelo Ricardo Barroso, que começou bem, com a decisão da Marisa de o manter nesta gala.

Não gosto do Tomás, mas não posso negar que ele será o pontencial vencedor desta edição do The Voice. Foi prometida à Marisa a vitória, e não pode agora falhar! A verdade é que já foi, por duas vezes, o mais votado pelo público.

E se a vitória não chegar com ele, há sempre um Tiago Nacarato à mão. A prestação que mais gostei dele foi a primeira, na prova cega. Desde então, pouco tem mostrado. Não canta mal, tem o seu estilo próprio e o seu caminho bem definido, disso não há dúvidas.

Prova disso é um email que ainda há pouco tempo recebi, a promover o Tiago Nacarato:

 

"Tiago Nacarato é um cantautor portuense de 27 anos, com raízes brasileiras.
Com um contacto com a música desde cedo, estudou na Escola de Música Valentim de Carvalho e participou em alguns projetos, tendo integrado - a convite de Pedro Cardoso (Peixe de Ornatos Violeta), seu professor na altura - uma orquestra de guitarras e baixos elétricos, que pisou palcos como Serralves em Festa, Hard Club ou Casa da Música.
Atualmente é uma das vozes habituais da Orquestra Bamba Social, que junta músicos luso-brasileiros residentes no Porto e que presta tributo a vários clássicos da música brasileira, recriando-os e acrescentando novas sonoridades.
De momento é um dos finalistas do “The Voice Portugal”, na RTP. 
A par do percurso no The Voice, Tiago Nacarato encontra-se em estúdio a produzir o seu primeiro disco de originais, que deverá ser editado no final do próximo ano.
As primeiras datas para 2018 começam a surgir, estando já confirmadas passagens pelo Cinema Passos Manuel, no Porto, por Estarreja e pelo Funchal."

 

Posto isto, e sabendo que ele participou a convite da produção, pergunto-me "o que está ele ali a fazer?"

 

 

Foto de The Voice Portugal.

Se o público tivesse votado no Tiago, tinha a certeza que a Marisa escolheria o Tomás. Tendo o público votado no Tomás, para mim era óbvia a escolha do segundo semi finalista - o Ricardo!

Só quando ela começou com aquele discurso dos caminhos definidos, é que comecei a ver a coisa a descambar, e acabou por se verificar o pior - a Marisa optou pelo Tiago.

Em todos os comentários que tenho lido, vejo vários a favor e contra os vários concorrentes, à excepção do Ricardo, que reune consenso, quanto a ser um dos melhores concorrentes do programa.

Só por isso, e porque sou mazinha, era bem feito que a Marisa voltasse a perder mais uma edição!

 

 

Imagens The Voice Portugal