Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Marta - O meu canto

Guardamos tanta coisa só para nós - opiniões, sentimentos, ideias, estados de espírito, reflexões, que ficam arrumados numa gaveta fechada... Abri essas gavetas, e o resultado é este blog!

Decisões...

15 frases que te farão pensar sobre a vida

 

Porque é que tantas vezes as evitamos?

As adiamos?

 

Porque é que, tantas vezes, tentamos contorná-las?

Empurrá-las para outra pessoa?

 

Porque as tememos tanto?

Porque receamos tanto as suas consequências? Os seus efeitos?

Porque evitamos tanto assumir essa responsabilidade?

 

Nem sempre é fácil tomar decisões.

Nem sempre há decisões fáceis de tomar.

Ainda assim, é preciso tomá-las.

Tomar decisões implica coragem. Determinação. Que nem sempre temos.

 

Há inações que esperam acções.

Há momentos que pedem decisões.

Há pedidos ocultos que apelam a decisões.

Há silêncios que gritam por decisões.

Há urgências que obrigam a decisões.

 

A decisão que tem de ser tomada, neste momento, é necessária, ainda que não consensual.

De um lado, está o respeitar da vontade do outro. O não querer agir, para não melindrar. O acatar do desejo do outro, se isso o faz sentir melhor. Ainda que, na prática, lhe esteja mesmo a fazer pior.

De outro, está o agir o quanto antes, de forma radical, para evitar o pior. Ainda que, fazendo-o, se vá contra a vontade e desejo do outro, e se arrisque a, na ânsia de querer o melhor, levar ao pior.

E, no meio, está o tentar conseguir alguns progressos, o tentar respeitar a vontade, ainda que com algumas cedências, para que o pior não chegue nem de forma passiva, nem de forma activa, mas sem certezas de, nesse tempo, conseguir melhorar o que quer que seja. O que, provavelmente, poderá ser um arrastar negativo.

 

Pois, é difícil decidir...

Mas alguma decisão terá que ser tomada.

Antes que seja tarde demais.

Se não for já tarde demais...

Saúde 24 - o número que nos liga à saúde...

...e à redução ou mesmo isenção do pagamento das taxas moderadoras nas urgências hospitalares!

Para isso, bastará que os utentes tenham ligado primeiro para a Linha Saúde 24, antes de se dirigirem a um serviço de urgência. 

Parece que a ideia do Ministério da Saúde é retirar doentes às urgências, que passam assim a ser atendidos pelos operadores da linha Saúde 24. Estes funcionarão, então, como uma espécie de triagem, enviando para os serviços de urgência apenas os utentes que considerem que realmente deverão ir. 

Eu aposto que, em tempos de crise, e atendendo ao valor das taxas moderadoras, haverá muita gente a ligar, para tentar obter consultas gratuitas! Retiram-se utentes às urgências para "entupir" a linha Saúde 24! 

Mas, se aliarmos à eficácia, por vezes, questionada desta linha, o seu "entupimento", é provável que os utentes desistam, e voltem a recorrer directamente ao hospital.

Pessoalmente, já liguei umas 3 vezes para a Saúde 24 - em duas delas, enviaram a minha filha para o Serviço de Atendimento Permanente da área da residência (que eles insistem em chamar de Centro de Saúde), e numa outra não foi necessário.

Se esta ideia for mesmo avante, pergunto-me se, na dúvida e por "descargo de consciência", a linha não enviará a grande maioria dos utentes para a urgência? Pergunto-me se não haverá muito boa gente a inventar mais sintomas do que os que tem para ser enviada e consultada de borla? Pergunto-me se, para evitar estas situações, irá o Ministério da Saúde inventar multas, para todos aqueles que o tenham feito. E, se fosse a puxar o fio à meada, muitas mais dúvidas me surgiriam, mas é melhor esperar para ver no que vai dar esta ideia, sem grandes divagações...